Avaliação do Tópico:
  • 5 Voto(s) - 1.8 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[RELATO] Uma linda mulher - Como cafetinar mulheres, vadias, putas e afins.
#61
Big Grin 
Eu só não entendo o motivo do assombro da galera. Porventura mulheres que se prostituem não são dotadas de sentimento? São alguma espécie de subumanas? É óbvio que eu não estou aqui defendo a ilusão da mulher exceção, mesmo porque TODAS quando estão em um relacionamento sério se mostram inconstantes e descontroladas, malucas e perigosas como qualquer outra mulher. Mas, não podemos negar o fato de que existe sim sentimento no mundo. Uma prostituta quando tratada como uma civil - com carinho, afeto e um olhar terno, mesmo que estes sejam falsos, ela se surpreende e se anima. Da mesma forma que uma mulher casada, que quando é tratada como uma puta na cama se sente plenamente satisfeita. É o paradoxo do fetichismo. Eu conheço dois casos de mulheres que foram tiradas da zona, uma hoje é dona-de-casa, não sei se trai o marido, mas ela nunca sai de casa e quando sai pra ir ao mercado, não veste roupas de puta, tampouco se comporta publicamente como tal. A outra, manteve seu relacionamento estável por 20 anos e o cara que a trocou por uma vizinha. Bom, eu te aconselharia a dar asas à essa relação, mas mantendo todo cuidado possível para não abrir sua retaguarda, tanto emocional, quanto sentimental, financeira e de sua vida pessoal. Continue se encontrando com ela, viva os momentos gostosos, beije, abrace, seja carinhoso e receba os carinhos dela. Só cuide do seu coração porque dele provém a fonte da vida.  Big Grin
Responda-o
#62
(04-10-2016, 11:54 PM)Estóico Escreveu: Eu só não entendo o motivo do assombro da galera. Porventura mulheres que se prostituem não são dotadas de sentimento? São alguma espécie de subumanas? É óbvio que eu não estou aqui defendo a ilusão da mulher exceção, mesmo porque TODAS quando estão em um relacionamento sério se mostram inconstantes e descontroladas, malucas e perigosas como qualquer outra mulher. Mas, não podemos negar o fato de que existe sim sentimento no mundo. Uma prostituta quando tratada como uma civil - com carinho, afeto e um olhar terno, mesmo que estes sejam falsos, ela se surpreende e se anima. Da mesma forma que uma mulher casada, que quando é tratada como uma puta na cama se sente plenamente satisfeita. É o paradoxo do fetichismo. Eu conheço dois casos de mulheres que foram tiradas da zona, uma hoje é dona-de-casa, não sei se trai o marido, mas ela nunca sai de casa e quando sai pra ir ao mercado, não veste roupas de puta, tampouco se comporta publicamente como tal. A outra, manteve seu relacionamento estável por 20 anos e o cara que a trocou por uma vizinha. Bom, eu te aconselharia a dar asas à essa relação, mas mantendo todo cuidado possível para não abrir sua retaguarda, tanto emocional, quanto sentimental, financeira e de sua vida pessoal. Continue se encontrando com ela, viva os momentos gostosos, beije, abrace, seja carinhoso e receba os carinhos dela. Só cuide do seu coração porque dele provém a fonte da vida.  Big Grin

Verdade Estoico, o problema que o "assombro" se deve a probabilidade de se assumir algo a sério com uma mulher dessas, sabe? 
O pessoal cria essa expectativa, porque, vai me colocar no patamar de CSP - Capitão Salva Putas - ou coisa do tipo. Bem, não pretendo ser uma coisa e nem outra, sei que uma relação desse tipo as coisas tem que estar claras para evitar que algum lado venha se ferir, tanto que estamos sempre conversando com frequência, e já deixei claro que caso venhamos terminar, vamos terminar de uma forma adulta e sem traumas e manter uma amizade. 

As coisas estão caminhando bem por enquanto, agradeço o conselho camarada Estoico, vou levar a sério e com as devidas precauções.
Responda-o
#63
Velho, esse tipo de mulher tem cabeça muito fraca e é cheia de traumas e complexos, além da baixa auto estima.
Aconselho não fazer o que vc tem feito, pois só tem servido para afundá-la ainda mais.
Sei que é gostoso dominar fisicamente, mentalmente e até espiritualmente a fêmea; mas esse papel é dado ao marido, não a um cara que só quer fazer uso de algo sem ser o dono.

Enfim, vc tem mãe, pode ter filha, irmã, etc; não é bom abusar da fragilidade alheia; pois todos tem algum tipo de fragilidade.

Sei que muitos vão me achar um babaca, ou ir contra minha opinião; mas já trabalhei com táxi e conheci muitas GP's. Apesar das tentações que passei e da minha capacidade de domínio físico-psicológico sobre uma fêmea, nunca fiz uso fora de um relacionamento estável e sério.

No mais o mundo espiritual é um bumerangue: tudo que vc manda, volta pra vc. Pode demorar décadas, mas volta.

Se quer ser o dominador o seja com uma parceira fixa e a elevando, jamais enaltecendo sentimentos e complexos negativos como forma de impor sua dominação; pois isso deixa de ser uma dominação sadia e se torna exploração.
Responda-o
#64
(07-10-2016, 04:12 AM)OldMan Escreveu: Velho, esse tipo de mulher tem cabeça muito fraca e é cheia de traumas e complexos, além da baixa auto estima.
Aconselho não fazer o que vc tem feito, pois só tem servido para afundá-la ainda mais.
Sei que é gostoso dominar fisicamente, mentalmente e até espiritualmente a fêmea; mas esse papel é dado ao marido, não a um cara que só quer fazer uso de algo sem ser o dono.

Enfim, vc tem mãe, pode ter filha, irmã, etc; não é bom abusar da fragilidade alheia; pois todos tem algum tipo de fragilidade.

Sei que muitos vão me achar um babaca, ou ir contra minha opinião; mas já trabalhei com táxi e conheci muitas GP's. Apesar das tentações que passei e da minha capacidade de domínio físico-psicológico sobre uma fêmea, nunca fiz uso fora de um relacionamento estável e sério.

No mais o mundo espiritual é um bumerangue: tudo que vc manda, volta pra vc. Pode demorar décadas, mas volta.

Se quer ser o dominador o seja com uma parceira fixa e a elevando, jamais enaltecendo sentimentos e complexos negativos como forma de impor sua dominação; pois isso deixa de ser uma dominação sadia e se torna exploração.
 
Muito boa resposta!! 

[Image: hqdefault.jpg]
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#65
(04-10-2016, 11:17 PM)Sociólogo Escreveu:
Spoiler Revelar
Bem, vamos em partes: pensei muito hoje pela manhã quando li esses questionamentos, mas, não pude respondê-los. 

Senna, bem, toda garota de programa que leva uma vida dupla cria um certo alibe para exercer a profissão, mas, há todo um "modus operandi" para isso associado a rotina estudantil e laboral em outros ramos profissionais. 

Já presenciei marido dando flagra na mulher que levava a vida dupla como garota de programa. Situação muito tensa, estava eu pela manhã antes de ir para faculdade no puteiro, - sim, porque, de manhã dá para pegá-las apertadinhas e nessa época eu fazia trabalho de campo em uma pesquisa sobre prostituição, então, unia o útil ao agradável - quando chega um sujeito entrando no local antes de mim, ele parecia estar procurando por alguém. 

Sentei na bancada e esperei a apresentação do "elenco", nisso o cara estava lá parado, na apresentação das mulheres, adivinha quem aparece: pois é, a "esposinha" dele de biquíni e fio dental. O constrangimento foi enorme, xingamentos para todos os lados, mas, o cara manteve a classe e deu por terminada a relação ali mesmo, a mulher nem quis mais trabalhar, caiu no choro e foi aparada pela outras, e eu perdi até a vontade de transar, impossível fazer alguma coisa com aquela cena de impacto moral enorme. 

Então, vamos aos tópicos a fim de esclarecer-lhes:

1) Geralmente a mulher que se torna garota de programa é aliciada por uma amiga próxima, a corrupção começa pelas companhias, a promessa de dinheiro fácil e discrição é o que as atraem, e não somente isso, a crença de que será somente uma vez e nunca ninguém vai saber. 

2) Quando elas ingressam nesse ramo, elas criam a justificativa de que estão trabalhando fora geralmente como cuidadoras de idosos ou babás, porque, não precisam comprovar experiência profissional e nem contrato, e podem alegar que a patroa trabalha fora e por isso o contato é impossível, justificativa perfeita. 

3) O perfil dessas mulheres são de civis casadas e com filhos que se engajam na vida dupla, não são mães solteiras, outras são mulheres de policiais militares e trabalhadores braçais.

4) Algumas utilizam da justificativa utilizando de "entrevistas" e "entrega de curriculum" em agências de empregos, depois do surgimento do Infojobs e do Catho isso caiu em desuso total.

5) Aquelas recém egressas na maioridade encontram isso como forma de ganhar dinheiro fácil, outras, porque, querem abrir seu próprio negócio. 

6) Mudanças nos trejeitos e na linguagem corporal, esse é o fator que mais tem que ser levado em consideração.

7) Vícios de linguagem característicos de garotas de programa como "coração", "bem", entre outros.

Esses são os sete pontos do perfil para identificar uma civil que leva vida dupla como garota de programa. Pelo menos não sou desses iludidos, fico aliviado com isso, honestidade em qualquer relacionamento é primordial. Não posso me queixar no futuro que fui "enganado", por isso sou sujeito homem o suficiente para assumir o que eu faço, pois, posso andar com a minha cabeça erguida, sem nada a temer a ninguém. 

Esse camarada que relatei no começo do post que pegou a esposa no flagra, possivelmente fez averiguações e encontrou diversas incoerências no discurso da esposa de que iria arrumar um "emprego" ou que estava trabalhando em local X, possivelmente algo não casou nessa estória para esse confrade que resolveu tirar a prova real dos fatos, por ter um certo desapego e duvidar da conduta no ambiente, possivelmente algum tipo de comportamento denunciou a conduta da esposa, ou os trejeitos adquiridos  e a linguagem corporal " sugestiva"  devido ao "exercício" da profissão. 

Espero que essas dicas sirvam para deixá-los com as barbas de molho, porque, as minhas estão faz tempo.


Seria interessante se você e demais confrades que tem mais envolvimento com esse tipo de mulher discorressem com mais detalhes sobre a linguagem corporal e nos trejeitos.

A quem se interessar, faz um tempo que criei no fórum do Búfalo um tópico sobre a prostituição em Belo Horizonte: http://forum.bufalo.info/showthread.php?tid=8310

Fazendo aqui uma pergunta mais direta, nessas saídas aí com GP rola beijo na boca? Pode ser frescura minha, mas se eu souber de um passado "micareteiro" de uma mulher já tenho certo nojo de beijar e desisto de tentar qualquer coisa, quanto mais uma GP.
"E sete mulheres naquele dia lançarão mão de um homem, dizendo: Nós comeremos do nosso pão, e nos vestiremos do que é nosso;
tão-somente queremos ser chamadas pelo teu nome; tira o nosso opróbrio.
" - Isaías 4:1

Quer me perguntar algo? - Visite meu Ask.fm - [Backup]
Responda-o
#66
(07-10-2016, 12:27 PM)Senna Escreveu: Seria interessante se você e demais confrades que tem mais envolvimento com esse tipo de mulher discorressem com mais detalhes sobre a linguagem corporal e nos trejeitos.

A quem se interessar, faz um tempo que criei no fórum do Búfalo um tópico sobre a prostituição em Belo Horizonte: http://forum.bufalo.info/showthread.php?tid=8310

Fazendo aqui uma pergunta mais direta, nessas saídas aí com GP rola beijo na boca? Pode ser frescura minha, mas se eu souber de um passado "micareteiro" de uma mulher já tenho certo nojo de beijar e desisto de tentar qualquer coisa, quanto mais uma GP.

Bom o levantamento feito em BH.  

Minha experiência com GPs talvez não seja tão grande quanto a do confrade Sociologo, mas faço uso do serviço com alguma regularidade.  

Não é difícil reconhecer uma quando você tem oportunidade de conversar e tempo para analisar.  Já aconteceu de eu reconhecer uma durante uma viagem de final de semana naquele esquema que viajamos quando somos jovens: alguém aluga uma casa e vai um monte de amigos e amigas.  Não reconheci de imediato, mas ao longo do final de semana percebi.  Falei para os amigos e eles duvidaram, aí tempos depois alguém a viu em algum puteiro de luxo e confirmou o que eu já tinha dito.

Elas tem um comportamento bem característico.

A fala é sempre malandra, usa muitas gírias típicas de homem.  Quando falam da profissão é sempre alguma coisa genérica, sem horário fixo e que não pode ser verificado.  Prestam MUITA atenção em dinheiro, muita mesmo.  Quem são os caras com mais grana, o que fazem, onde trabalham, etc.  Além disso tendem a ser mais exibidas que o normal, seja quando colocam um biquíni na praia ou quando colocam vestido para sair.  

Estes fatores isoladamente não dizem nada, até porque eventualmente você pode encontrar civis por aí com uma ou outra característica destas.  Mas é o conjunto deles que vai te mostrar mesmo se é uma GP ou não.

Abraço,
Taimanov
Responda-o
#67
O jeito de falar, jeito de puta, cara de puta, expressão de puta. Tudo isso se nota.
Raramente uma puta consegue disfarçar 100%. É igual homossexualismo, mesmo que não queira o indivíduo dá uma afinada na voz, um olhar meio de lado, etc.
Responda-o
#68
Pessoas andam com pessoas semelhantes.

Aura negativa puxa aura negativa.
"Há um amplo fosso de aleatoriedade e incerteza entre a criação de um grande romance – ou joia, ou cookies com pedaços de chocolate – e a presença de grandes pilhas desse romance – ou joia, ou sacos de biscoitos – nas vitrines de milhares de lojas. É por isso que as pessoas bem-sucedidas em todas as áreas quase sempre fazem parte de um certo conjunto – o conjunto das pessoas que não desistem." O andar do bêbado.
Responda-o
#69
(07-10-2016, 04:12 AM)OldMan Escreveu: Velho, esse tipo de mulher tem cabeça muito fraca e é cheia de traumas e complexos, além da baixa auto estima.
Aconselho não fazer o que vc tem feito, pois só tem servido para afundá-la ainda mais.
Sei que é gostoso dominar fisicamente, mentalmente e até espiritualmente a fêmea; mas esse papel é dado ao marido, não a um cara que só quer fazer uso de algo sem ser o dono.

Enfim, vc tem mãe, pode ter filha, irmã, etc; não é bom abusar da fragilidade alheia; pois todos tem algum tipo de fragilidade.

Sei que muitos vão me achar um babaca, ou ir contra minha opinião; mas já trabalhei com táxi e conheci muitas GP's. Apesar das tentações que passei e da minha capacidade de domínio físico-psicológico sobre uma fêmea, nunca fiz uso fora de um relacionamento estável e sério.

No mais o mundo espiritual é um bumerangue: tudo que vc manda, volta pra vc. Pode demorar décadas, mas volta.

Se quer ser o dominador o seja com uma parceira fixa e a elevando, jamais enaltecendo sentimentos e complexos negativos como forma de impor sua dominação; pois isso deixa de ser uma dominação sadia e se torna exploração.

Brother, vou ser sincero contigo que estava pensando nisso hoje, que as coisas não chegam a esse extremos a ponto de afundá-la ainda mais, de verdade mesmo. Não quero e nem vou ser dono de ninguém, tanto que temos as coisas muito bem definidas, tanto que não fico julgando-a pelas opções dela. Isso é bastante claro entre nós dois, no tocante a não termos segredos para colher lamurias que são colhidas com tantas civis por ai.

Não estou abusando da fragilidade de ninguém, pode ficar tranquilo, somente criei instrumentos para esse tipo de relação; instrumentos a fim de não me ver prejudicado, tanto que maioria do pessoal me orientou a saber o momento certo de sair fora da relação.
Sei do que você está falando, e você tem inteira razão no tocante a parte espiritual, embora eu seja Sociólogo, minha formação me garanta de instrumentos para o ceticismo, tenho minhas crenças nesse tocante. 

Sim, eu o farei, pode ficar tranquilo.
Responda-o
#70
(07-10-2016, 12:27 PM)Senna Escreveu: Seria interessante se você e demais confrades que tem mais envolvimento com esse tipo de mulher discorressem com mais detalhes sobre a linguagem corporal e nos trejeitos.

A quem se interessar, faz um tempo que criei no fórum do Búfalo um tópico sobre a prostituição em Belo Horizonte: http://forum.bufalo.info/showthread.php?tid=8310

Fazendo aqui uma pergunta mais direta, nessas saídas aí com GP rola beijo na boca? Pode ser frescura minha, mas se eu souber de um passado "micareteiro" de uma mulher já tenho certo nojo de beijar e desisto de tentar qualquer coisa, quanto mais uma GP.

Desculpe, mas, não entrarei em detalhes sobre a minha intimidade, embora eu esteja usando de um perfil que me garanta um relativo anonimato, você mostrou que tem certos preconceitos e se faz valer de juízos de valor quando fala da questão da intimidade, logo se vê que não faria muito sentido eu responder-lhe de forma clara.
Responda-o
#71
(07-10-2016, 12:44 PM)taimanov Escreveu:
(07-10-2016, 12:27 PM)Senna Escreveu:
Spoiler Revelar
Seria interessante se você e demais confrades que tem mais envolvimento com esse tipo de mulher discorressem com mais detalhes sobre a linguagem corporal e nos trejeitos.

A quem se interessar, faz um tempo que criei no fórum do Búfalo um tópico sobre a prostituição em Belo Horizonte: http://forum.bufalo.info/showthread.php?tid=8310

Fazendo aqui uma pergunta mais direta, nessas saídas aí com GP rola beijo na boca? Pode ser frescura minha, mas se eu souber de um passado "micareteiro" de uma mulher já tenho certo nojo de beijar e desisto de tentar qualquer coisa, quanto mais uma GP.

Spoiler Revelar
Bom o levantamento feito em BH.  

Minha experiência com GPs talvez não seja tão grande quanto a do confrade Sociologo, mas faço uso do serviço com alguma regularidade.  

Não é difícil reconhecer uma quando você tem oportunidade de conversar e tempo para analisar.  Já aconteceu de eu reconhecer uma durante uma viagem de final de semana naquele esquema que viajamos quando somos jovens: alguém aluga uma casa e vai um monte de amigos e amigas.  Não reconheci de imediato, mas ao longo do final de semana percebi.  Falei para os amigos e eles duvidaram, aí tempos depois alguém a viu em algum puteiro de luxo e confirmou o que eu já tinha dito.

Elas tem um comportamento bem característico.

A fala é sempre malandra, usa muitas gírias típicas de homem.  Quando falam da profissão é sempre alguma coisa genérica, sem horário fixo e que não pode ser verificado.  Prestam MUITA atenção em dinheiro, muita mesmo.  Quem são os caras com mais grana, o que fazem, onde trabalham, etc.  Além disso tendem a ser mais exibidas que o normal, seja quando colocam um biquíni na praia ou quando colocam vestido para sair.  

Estes fatores isoladamente não dizem nada, até porque eventualmente você pode encontrar civis por aí com uma ou outra característica destas.  Mas é o conjunto deles que vai te mostrar mesmo se é uma GP ou não.

Abraço,
Taimanov

Senna, considere isso um adendo ao que eu disse, é claro que há garotas e garotas de programa com essa características, algumas são universitárias e procuram passar uma postura de polidas e educadas.
Responda-o
#72
Nem toda sabedoria está naquilo que estudamos.
Responda-o
#73
Puta é puta, o que passar disso é manginismo e matrixianismo.

Não estou abusando da fragilidade de ninguém, pode ficar tranquilo, somente criei instrumentos para esse tipo de relação; instrumentos a fim de não me ver prejudicado, tanto que maioria do pessoal me orientou a saber o momento certo de sair fora da relação.

Verdade Estoico, o problema que o "assombro" se deve a probabilidade de se assumir algo a sério com uma mulher dessas, sabe? 

O pessoal cria essa expectativa, porque, vai me colocar no patamar de CSP - Capitão Salva Putas - ou coisa do tipo. Bem, não pretendo ser uma coisa e nem outra, sei que uma relação desse tipo as coisas tem que estar claras para evitar que algum lado venha se ferir, tanto que estamos sempre conversando com frequência, e já deixei claro que caso venhamos terminar, vamos terminar de uma forma adulta e sem traumas e manter uma amizade. 


Em breve irei ler:



Puteiros deveriam ser agências de casamento ou namoro.



Toda puta tem seu lado mulher, seus insensíveis, sejam romanticos  conquiste-as para ter o sexo gratuito dentro e fora do puteiro Big Grin


O lado obscuro da puta inexiste porque ela nessa condição revelada é sincera. Heart



Sleepy


Andar de mão dadas com a puta no shopping é normal, ir na pizzaria de mão dadas também desde que você saiba que ela é puta.

Não vou contar se beijo a puta com que eu saio,porque é invasão de privacidade e vocês dirão que é namorico, lembrem-se eu sei que estou fazendo. Shy



Entendi o recado como desinteresse puro da parte dela, e uma perda de energia enorme da minha parte, depois disso conheci essa mulher e deu nisso, e tem sido prazeroso em diversos aspectos, não somente sexual, mas, a mulher escuta e obedece, e não externa as vontades dela antes de satisfazer as minhas vontades.

As profissionais servem para a saciedade sexual instantânea e não permanente, relacionamentos envolvem diplomacia com as bucetocraticas, de fato o confrade só quer a saciedade. A seletividade de rebote é perigosa,quem manda é a cabeça do pau e o sujeito acaba escolhendo mal e errado, a zona de conforto fodal que fode muitos caras que aceitam M$OL, balzacas, putas para relacionamento, a situação se consolida ao longo do tempo o que era precário deixa de se-lo.


[Image: 851208.gif]
Anuncie aqui!!!!
Responda-o
#74
(08-10-2016, 02:11 AM)Sociólogo Escreveu:
(07-10-2016, 12:27 PM)Senna Escreveu:
(04-10-2016, 11:17 PM)Sociólogo Escreveu:
Spoiler Revelar
Bem, vamos em partes: pensei muito hoje pela manhã quando li esses questionamentos, mas, não pude respondê-los. 

Senna, bem, toda garota de programa que leva uma vida dupla cria um certo alibe para exercer a profissão, mas, há todo um "modus operandi" para isso associado a rotina estudantil e laboral em outros ramos profissionais. 

Já presenciei marido dando flagra na mulher que levava a vida dupla como garota de programa. Situação muito tensa, estava eu pela manhã antes de ir para faculdade no puteiro, - sim, porque, de manhã dá para pegá-las apertadinhas e nessa época eu fazia trabalho de campo em uma pesquisa sobre prostituição, então, unia o útil ao agradável - quando chega um sujeito entrando no local antes de mim, ele parecia estar procurando por alguém. 

Sentei na bancada e esperei a apresentação do "elenco", nisso o cara estava lá parado, na apresentação das mulheres, adivinha quem aparece: pois é, a "esposinha" dele de biquíni e fio dental. O constrangimento foi enorme, xingamentos para todos os lados, mas, o cara manteve a classe e deu por terminada a relação ali mesmo, a mulher nem quis mais trabalhar, caiu no choro e foi aparada pela outras, e eu perdi até a vontade de transar, impossível fazer alguma coisa com aquela cena de impacto moral enorme. 

Então, vamos aos tópicos a fim de esclarecer-lhes:

1) Geralmente a mulher que se torna garota de programa é aliciada por uma amiga próxima, a corrupção começa pelas companhias, a promessa de dinheiro fácil e discrição é o que as atraem, e não somente isso, a crença de que será somente uma vez e nunca ninguém vai saber. 

2) Quando elas ingressam nesse ramo, elas criam a justificativa de que estão trabalhando fora geralmente como cuidadoras de idosos ou babás, porque, não precisam comprovar experiência profissional e nem contrato, e podem alegar que a patroa trabalha fora e por isso o contato é impossível, justificativa perfeita. 

3) O perfil dessas mulheres são de civis casadas e com filhos que se engajam na vida dupla, não são mães solteiras, outras são mulheres de policiais militares e trabalhadores braçais.

4) Algumas utilizam da justificativa utilizando de "entrevistas" e "entrega de curriculum" em agências de empregos, depois do surgimento do Infojobs e do Catho isso caiu em desuso total.

5) Aquelas recém egressas na maioridade encontram isso como forma de ganhar dinheiro fácil, outras, porque, querem abrir seu próprio negócio. 

6) Mudanças nos trejeitos e na linguagem corporal, esse é o fator que mais tem que ser levado em consideração.

7) Vícios de linguagem característicos de garotas de programa como "coração", "bem", entre outros.

Esses são os sete pontos do perfil para identificar uma civil que leva vida dupla como garota de programa. Pelo menos não sou desses iludidos, fico aliviado com isso, honestidade em qualquer relacionamento é primordial. Não posso me queixar no futuro que fui "enganado", por isso sou sujeito homem o suficiente para assumir o que eu faço, pois, posso andar com a minha cabeça erguida, sem nada a temer a ninguém. 

Esse camarada que relatei no começo do post que pegou a esposa no flagra, possivelmente fez averiguações e encontrou diversas incoerências no discurso da esposa de que iria arrumar um "emprego" ou que estava trabalhando em local X, possivelmente algo não casou nessa estória para esse confrade que resolveu tirar a prova real dos fatos, por ter um certo desapego e duvidar da conduta no ambiente, possivelmente algum tipo de comportamento denunciou a conduta da esposa, ou os trejeitos adquiridos  e a linguagem corporal " sugestiva"  devido ao "exercício" da profissão. 

Espero que essas dicas sirvam para deixá-los com as barbas de molho, porque, as minhas estão faz tempo.

Spoiler Revelar
Seria interessante se você e demais confrades que tem mais envolvimento com esse tipo de mulher discorressem com mais detalhes sobre a linguagem corporal e nos trejeitos.

A quem se interessar, faz um tempo que criei no fórum do Búfalo um tópico sobre a prostituição em Belo Horizonte: http://forum.bufalo.info/showthread.php?tid=8310

Fazendo aqui uma pergunta mais direta, nessas saídas aí com GP rola beijo na boca? Pode ser frescura minha, mas se eu souber de um passado "micareteiro" de uma mulher já tenho certo nojo de beijar e desisto de tentar qualquer coisa, quanto mais uma GP.

Desculpe, mas, não entrarei em detalhes sobre a minha intimidade, embora eu esteja usando de um perfil que me garanta um relativo anonimato, você mostrou que tem certos preconceitos e se faz valer de juízos de valor quando fala da questão da intimidade, logo se vê que não faria muito sentido eu responder-lhe de forma clara.

Ora ora meu amigo quér dizer que ela faz um cafune em você depois da foda é ? Um beijinho e um fio de despedida... ta carentinho é filho.

Responder-lhe de forma clara... vira homem rapaz, puta que pariu.
"Há um amplo fosso de aleatoriedade e incerteza entre a criação de um grande romance – ou joia, ou cookies com pedaços de chocolate – e a presença de grandes pilhas desse romance – ou joia, ou sacos de biscoitos – nas vitrines de milhares de lojas. É por isso que as pessoas bem-sucedidas em todas as áreas quase sempre fazem parte de um certo conjunto – o conjunto das pessoas que não desistem." O andar do bêbado.
Responda-o
#75
(08-10-2016, 02:58 PM)Bean Escreveu: Ora ora meu amigo quér dizer que ela faz um cafune em você depois da foda é ? Um beijinho e um fio de despedida... ta carentinho é filho.

Responder-lhe de forma clara... vira homem rapaz, puta que pariu.

Cara, numa boa: qual o seu problema? Somente gostaria de saber isso, qual é o seu problema?
Responda-o
#76
(08-10-2016, 01:57 PM)Minerim Escreveu:
Spoiler Revelar
Puta é puta, o que passar disso é manginismo e matrixianismo.

Não estou abusando da fragilidade de ninguém, pode ficar tranquilo, somente criei instrumentos para esse tipo de relação; instrumentos a fim de não me ver prejudicado, tanto que maioria do pessoal me orientou a saber o momento certo de sair fora da relação.

Verdade Estoico, o problema que o "assombro" se deve a probabilidade de se assumir algo a sério com uma mulher dessas, sabe? 

O pessoal cria essa expectativa, porque, vai me colocar no patamar de CSP - Capitão Salva Putas - ou coisa do tipo. Bem, não pretendo ser uma coisa e nem outra, sei que uma relação desse tipo as coisas tem que estar claras para evitar que algum lado venha se ferir, tanto que estamos sempre conversando com frequência, e já deixei claro que caso venhamos terminar, vamos terminar de uma forma adulta e sem traumas e manter uma amizade. 


Em breve irei ler:



Puteiros deveriam ser agências de casamento ou namoro.



Toda puta tem seu lado mulher, seus insensíveis, sejam romanticos  conquiste-as para ter o sexo gratuito dentro e fora do puteiro Big Grin


O lado obscuro da puta inexiste porque ela nessa condição revelada é sincera. Heart



Sleepy


Andar de mão dadas com a puta no shopping é normal, ir na pizzaria de mão dadas também desde que você saiba que ela é puta.

Não vou contar se beijo a puta com que eu saio,porque é invasão de privacidade e vocês dirão que é namorico, lembrem-se eu sei que estou fazendo. Shy



Entendi o recado como desinteresse puro da parte dela, e uma perda de energia enorme da minha parte, depois disso conheci essa mulher e deu nisso, e tem sido prazeroso em diversos aspectos, não somente sexual, mas, a mulher escuta e obedece, e não externa as vontades dela antes de satisfazer as minhas vontades.

As profissionais servem para a saciedade sexual instantânea e não permanente, relacionamentos envolvem diplomacia com as bucetocraticas, de fato o confrade só quer a saciedade. A seletividade de rebote é perigosa,quem manda é a cabeça do pau e o sujeito acaba escolhendo mal e errado, a zona de conforto fodal que fode muitos caras que aceitam M$OL, balzacas, putas para relacionamento, a situação se consolida ao longo do tempo o que era precário deixa de se-lo.


[Image: 851208.gif]

De fato, o que eu quero é a minha saciedade cara, acordar de pau duro pela manhã, tocar punheta, e ficar negociando fodas com as chamadas "Bucetocráticas" com a regra do "terceiro encontro", onde se você chegar ao quarto, a prudência é desistir, é foda, isso cansa, estressa, e você gasta muita energia nisso. 

Ontem mesmo, eu estava lendo um post de uma feminista radical na minha timeline em que ela criticava os homens - como sempre - sobre as acusações que fazemos a respeito da chamada burocracia para termos sexo, principalmente, no tocante ao acusarmos elas de "desinteressadas" quando elas não costumam dar o feedback esperado. 

Recentemente, eu estava conhecendo duas civis da faculdade, uma fez o favor de expor nossa conversa para os outros no whatsapp quando eu a chamei para sairmos e me fazer chacotas, típico de crianças, convenhamos isso é palhaçada, então, decidi por ignorá-la, a outra simplesmente denota desinteresse ao não responder meus contatos. 

Como devo ver isso? Para algum lado devo correr, não concorda? Estou correndo para o lado que me trás vantagem, tanto que ela tem me apresentado algumas coleguinhas de faculdade para começarmos a "segunda fase" do relacionamento: ménage a trois, sim, ela como profissional do sexo é adepta a todas as formas de putarias. 

Não fui apresentado como o "namorado" dela, mas, aquele alguém que tem algo "especial" e "diferente" com ela, temos saído, eu, ela e outra amiga - civil -  entendidas como "modernas" e "liberais", ou "cabeça aberta", enfio a piroca nas duas, sempre me mantendo os olhos abertos para qualquer proposta escondida nas entrelinhas como alertado por você e outros nesse tópico Minerim, e então, me questiono e questiono aos demais confrades: qual o tipo desvantagem posso ter nesse relacionamento? Em termos de comparação com as "bucetocraticas" a proposta de um "ménage a trois" soaria impensável e repreensível por parte delas, alvo para diversas desconfianças e até mesmo ressentimentos dentro da relação. Estou muito bem desse jeito, obrigado, e prefiro me manter assim.
Responda-o
#77
(08-10-2016, 05:34 PM)Sociólogo Escreveu:
Spoiler Revelar
De fato, o que eu quero é a minha saciedade cara, acordar de pau duro pela manhã, tocar punheta, e ficar negociando fodas com as chamadas "Bucetocráticas" com a regra do "terceiro encontro", onde se você chegar ao quarto, a prudência é desistir, é foda, isso cansa, estressa, e você gasta muita energia nisso.

Ontem mesmo, eu estava lendo um post de uma feminazi radical na minha timeline em que ela criticava os homens - como sempre - sobre as acusações que fazemos a respeito da chamada burocracia para termos sexo, principalmente, no tocante ao acusarmos elas de "desinteressadas" quando elas não costumam dar o feedback esperado.

Recentemente, eu estava conhecendo duas civis da faculdade, uma fez o favor de expor nossa conversa para os outros no whatsapp quando eu a chamei para sairmos e me fazer chacotas, típico de crianças, convenhamos isso é palhaçada, então, decidi por ignorá-la, a outra simplesmente denota desinteresse ao não responder meus contatos.

Como devo ver isso? Para algum lado devo correr, não concorda? Estou correndo para o lado que me trás vantagem, tanto que ela tem me apresentado algumas coleguinhas de faculdade para começarmos a "segunda fase" do relacionamento: ménage a trois, sim, ela como profissional do sexo é adepta a todas as formas de putarias.

Não fui apresentado como o "namorado" dela, mas, aquele alguém que tem algo "especial" e "diferente" com ela, temos saído, eu, ela e outra amiga - civil - entendidas como "modernas" e "liberais", ou "cabeça aberta", enfio a piroca nas duas, sempre me mantendo os olhos abertos para qualquer proposta escondida nas entrelinhas como alertado por você e outros nesse tópico Minerim, e então, me questiono e questiono aos demais confrades: qual o tipo desvantagem posso ter nesse relacionamento? Em termos de comparação com as "bucetocraticas" a proposta de um "ménage a trois" soaria impensável e repreensível por parte delas, alvo para diversas desconfianças e até mesmo ressentimentos dentro da relação. Estou muito bem desse jeito, obrigado, e prefiro me manter assim.

A seletividade feminina para com os betas é dura e implacável, lide com isso, e mulheres também são fontes de relacionamentos não apenas de sexo, podem ser boas cozinheiras, passadoras e lavadoras de roupa,organizadoras do lar e namoradas Blush .
Dignidade e amor próprio devem se sobrepor ao Ibope e e score sexual, o binômio necessidade e carência podem deixar o macho fora de seu controle seletivo.O ego e autoestima do confrade está sendo restaurado pela validação de uma puta e quem sabe então pela lascívia de um menage ou four hands, este serviço também existe, uma grande fantasia. Deve ser muito bom beijar a amiguinha colorida e profissa na boca após ela ter tido uma longa jornada de trabalho, qual é o gosto? Big Grin
O tópico em seu desenvolvimento nos trouxe questões interessantes : exame do autocontrole seletivo,autoestima, seletividade consciente e pragmatismo.
Anuncie aqui!!!!
Responda-o
#78
(08-10-2016, 06:50 PM)Minerim Escreveu: A seletividade feminina para com os  betas é dura e implacável, lide com isso, e mulheres também são fontes de relacionamentos não apenas de sexo, podem ser boas cozinheiras, passadoras  e lavadoras de roupa,organizadoras do lar e namoradas Blush . 
Dignidade e amor próprio devem se sobrepor ao Ibope e e score sexual, o binômio necessidade e carência podem deixar o macho fora de seu controle seletivo.O  ego e autoestima do confrade está sendo restaurado pela validação de uma puta e quem sabe então pela lascívia de um menage ou four hands, este serviço também existe, uma grande fantasia.  Deve ser muito bom beijar a amiguinha colorida e profissa na boca após ela ter tido uma longa jornada de trabalho, qual é o gosto? Big Grin
O  tópico em seu desenvolvimento nos trouxe questões interessantes :  exame do autocontrole seletivo,autoestima, seletividade consciente e pragmatismo.


Sem dúvidas, ego e autoestima, tal como amor próprio também. 
Exame de autocontrole, autoestima e seletividade consciente e pragmatismo. 
Se você ver, escutei uma coisa interessante vinda dela: "para os outros eu cobro, mas, você pode comer de graça sempre."
Você está notando que nessa questão outras vão surgindo, o que é bastante positivo para entendermos isso. 

PS: Vocês estão implicando muito com esse lance de troca de beijos, pelo amor de Deus! Qual a neura que vocês tem com um beijo na boca?

Gostaria de ter esse entendimento, numa boa.
Responda-o
#79
Broxante meu filho.
"Há um amplo fosso de aleatoriedade e incerteza entre a criação de um grande romance – ou joia, ou cookies com pedaços de chocolate – e a presença de grandes pilhas desse romance – ou joia, ou sacos de biscoitos – nas vitrines de milhares de lojas. É por isso que as pessoas bem-sucedidas em todas as áreas quase sempre fazem parte de um certo conjunto – o conjunto das pessoas que não desistem." O andar do bêbado.
Responda-o
#80
Não é questão de ser beta ou alfa. O nível de atratividade de um macho varia de fêmea pra fêmea. Tem muito alfa que é calado e nem por isso demonstra ser o alfa que é.
Igual o nosso colega: ele tem abordado vadias igual se trata vadias, isso funciona. Talvez esteja sendo muito bonzinho com as mulheres da faculdade.

Não quero dizer que o cara tem que se adaptar a mulher, mas apenas que se vc segue uma linha de ação/postura/personalidade, deve estar disposto a levar fora quando a mulher não se atrai/encaixa por isso.

Se o cara tentar mudar de atitude para parecer alfa para todas, no fundo ele será um beta atrás de aprovação.

Ele quer sexo, não quer ser alfa ou beta aos olhos das mulheres. De certa forma está conseguindo o que quer.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)