Avaliação do Tópico:
  • 1 Voto(s) - 5 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[POLÍTICA] A invenção da dupla paternidade, M$OLs aplaudem!!!
#61
Pros coroas da real, 70 anos, que ja teve uma vasta experiencia com o mulheril, estando na terceira idade, arrumar companheiras entre 35 À 40 anos, tá bom.... Olhe a diferença de idade.... trinta anos... tá bom demais pro coroa.

To dizendo coroas normais... Sem ter fama, dinheiro e status social....

Agora se o coroa detem de poder de barganha, é outra conversa.
Responda-o
#62
Se uma pessoa chegar a 70 anos com um físico bom, não estilo Stallone, mas relativamente definido e com dinheiro pra viver de rendimentos rendendo uns 5k por mês, vocês acham viável esta pessoa conseguir um PAC-B?
.
Responda-o
#63
Porra,vcs ficam discutindo por causa de idade,nem sabem se nem vai chegar na porra do ano que vem
E pra que raios é difícil admitir que nenhum ser normal que seja jovem quer velho,eu não quero velha como dizem quem gosta de velha é a museu e a mesma coisas as mulheres dizem quem gosta de velho é museu.Ate a propria velharia diz o mesmo quem gosta de velho é museu por isso fica a velharia atras de novinho e novinha .Só se envolve com velho e velha quem tem problema ou interesse.
Mãe solteira distancia sempre,fora de cogitação.
Responda-o
#64
Detalhe ele(Maldonado) editou a primeira mensagem que foi um ataque, mas no tempo de bani-lo, ele conseguiu editar.
Fumei 25 cigarros esta noite e você sabe da cerveja.

Buwkoski.

Buceta não machuca e não se faz sexo com a bunda.

Leg. Bean, fórum mundo realista.
Responda-o
#65
marcando o tópico.
Responda-o
#66
Fugiram do tópico.

Mas relativo a este, somente aquele que caía no conto da paixão que realmente será seduzido por uma MS.
Citação:Semper Fidelis

"Seu coração deve ser como uma espada, assim você não perderá. É um longo caminho construído com o valor de muitas vidas, nunca se esqueça..." El Cid de Capricórnio para Tenma de Pegáso
[Image: latest?cb=20130329182556&path-prefix=pt]
Responda-o
#67
Vcs chegaram a ver o recém anunciado "filho de três pais"?
"Primeiro vêm os sorrisos, depois as mentiras; por último, o tiroteio" - Roland de Gilead
Responda-o
#68
Estao tentando incentivar, a qualquer custo, as mulheres a incomodarem os 'cafas'... nunca vao entender que os genes da maioria dos 'cafas' sao mais que suficiente pras elas...
Responda-o
#69
mãe solteira é encrenca sempre. existem exceções? certamente em algum rincão desse braza, quem quer arriscar, que se arrisque.

nosso sistema jurídico está sendo moldado para beneficiar sempre o lado "mais fraco" (como a postagem inicial explicando o grande e perigoso precedente no STF), ou seja, uma mulher e uma criança sempre serão prioridade em detrimento ao homem (evacuem o prédio: mulheres e crianças primeiro).

no mais sigam os conselhos dos mais sábios daqui que já passaram a letra e usem camisinha, tem muita criança aí que poderia se chamar "Nãotanael Noperíodofértil da Silva", "Meuriovário Policistico dos Santos", "Coutinho Interrompido Almeida" ou "DIUmara Maria".
Responda-o
#70
Vamos ver a conquistas feminazis no mundo jurídico bostileiro;

Direito Penal: se você é homem não há presunção de inocência contra você, não existe isonomia legal e a mulher é um ser com privilégios legais e processuais. 

A lei entre os homens e mulheres não é mais abstrata, generica e impessoal, temos uma cidadania de 3ª classe.


Direito de Família: é agora que as coisas estão pegando fogo no país, milhares de desavisados estão se fudendo...a chamada nova direita sequer olhou a máquina destruidora inserida na legislação civil, agora o TSUNAMI modal, abusivo, revolucionário está sendo usado pelas mulheres, defensores públicos, desembargadores e tribunais contra você cidadão masculino.

No chamado Direito de Família na prática somente os homens tem deveres, não há direitos. A aplicação legal é pura injustiça...

No país do casa e divorcia, casa e divorcia quem se fode é homem. Quem paga a conta de toda a promiscuidade feminista é o homem.

https://veja.abril.com.br/brasil/um-a-ca...no-brasil/

[color=rgba(33, 33, 33, 0.9)]Quarenta anos após a instituição da lei do Divórcio no Brasil, um a cada três casamentos termina em separação no país. É o que mostram os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Um balanço feito com dados do instituto entre 1984 e 2016 aponta ainda que o número de dissoluções disparou com o passar dos anos.[/color]

[color=rgba(33, 33, 33, 0.9)]Em 1984, elas representavam cerca de 10% do universo de casamentos, com 93.300 divórcios. Essa correlação saltou para 31,4% em 2016 – com 1,1 milhão de matrimônios e 344.000 separações.[/color]
[color=rgba(33, 33, 33, 0.9)]Apesar de a Lei do Divórcio vigorar desde 1977, os dados sobre o tema só começaram a ser incluídos nas estatísticas anuais de Registro Civil na década seguinte. Até aquele ano, o desquite era o dispositivo legal, mas não possibilitava uma nova união formal. O levantamento aponta mais de 7 milhões de dissoluções registradas no país entre 1984 e 2016, ou 580 divórcios por dia, ante 29 milhões de matrimônios.[/color]

[color=rgba(33, 33, 33, 0.9)]No período, os casamentos subiram 17%. Já os divórcios aumentaram 269%. Na prática, o Brasil passou a contar com três gerações de casais legalmente separados.[/color]

Vejam o demônio que foi inserido na nova legislação criando o que chamam de MULTIPARENTALIDADE, aberração do tipo TEORIA DE GENERO.

Art. 1.593. O parentesco é natural ou civil, conforme resulte de consangüinidade ou outra origem.

Existem milhares de homens recebendo citações para responderem perante a Justiça ações de reconhecimento de paternidade socioafetiva e estão todos se fudendo pois foram pegos de calças curtas.

1-Caso do tipo em que o pai registrou pensando que o filho era dele e depois de 1 a 2 anos descobre via DNA que o filho não era dele são resolvidos da seguinte maneira:

Procurador a favor da socioafetividade, psicologa forense feminazi a favor da criança sempre atestará o vinculo, de vez em quando uma assistente social diz o que vinculo deve ser extinto porque o "pai" não quer mais ver a criança. Juízes de 1 ª instancia, desembargadores e 95% do STJ são insensíveis aos direitos do homem, dizem que a socioafetividade deve prevalecer de acordo com laudos e no interesse da criança e porque registrou, mas e a vontade e a descoberta posterior ? Foda-se, pau no cú do pai, a vontade do homem e o direito de sangue são irrelevantes.

Todo o corpo juridico  do Estado Brasileiro  é progressista e contrário ao homem.

2- tipos de casos: Morou 6 meses a 2  anos e meio com o catarrento tirou fotos, festinha de aniversário etc. Sorria você está fudido, terá de cumprir pena de pensão alimentícia nos próximos 25 anos, será processado e ainda que não haja mais convívio a conta será sua, terá de carregar isso para sempre. Yaoming

Se mãe ja faz a cabeça da criança nas alienações parentais, o que ela não será capaz de fazer com a criança para ela ter o vinculo afetivo de filiação do catarrento declarado $$$$$? 


A familia multiparental é tão bonita, os tempos mudaram. Se você acreditou nisso tomou no cú, é o homem que pagará a conta da promiscuidade e imprestabilidade das mulheres nos relacionamentos. 

Nas propagandas vocês assistem famílias felizes com vários filhos de outros casamentos etc, pura ilusão de marketing. Os betas estão pagando as contas das vadias.

Na prática juridica atual os chamados ENTEADOS são filhos SOCIOAFETIVOS e a ação de reconhecimento de paternidade é imprescritivel ou ETERNA Ruge

Se você morou com uma M$OL  ainda o presentinho juridico não chegou, torça para não chegar. Os que mais sabem direito no país são ladrões, empregados e mulheres.


A castração hipergâmica que assola o beta agora será financeira também e se faltar dinheiro para pensão ainda que sejam 2 a 3 pais, terá a prisão decretada do mesmo jeito. trollface  Isto é Brasil progressista seu trouxa.

Os conceitos MGTOW irão se expandir bastante, a estabilidade geracional monogâmica foi quebrada, a legitimidade desse movimento se baseia na autopreservação como mero reflexo do feminazismo jurídico, politico e sociológico. A luta de classes recepcionada pelas mulheres faz vitimas mantidas no cativeiro da espiral do silêncio.


Recomendações:

1- Faça DNA antes de registrar qualquer  criança !!!

2-M$OL mantenha distancia, ou só a encontre no Motel em caso de extrema necessidade sexual.
A guerra política também é  espiritual orando para YHWH castigar o Congresso, STF e a isentosfera.
Responda-o
#71
O esquema é ir atras das novinhas (18+) sem filhos e que não estejam tão infectadas pelo Feminazismo. Dificil, porém, não impossivel.


Responda-o
#72
O cara que registra um filho que não é dele e posteriormente descobre a negativa da paternidade deve sofrer anos para reverter o status de papai formal. Sem contar que vão fazer de tudo para a paternidade ser mantida- é uma forma de controle social também- pois o estado pode interferir muito na sua vida,ainda mais em algo tão relevante.
Responda-o
#73
(07-12-2018, 12:38 AM)Minerim Escreveu: Os conceitos MGTOW irão se expandir bastante, a estabilidade geracional monogâmica foi quebrada, a legitimidade desse movimento se baseia na autopreservação como mero reflexo do feminazismo jurídico, politico e sociológico. A luta de classes recepcionada pelas mulheres faz vitimas mantidas no cativeiro da espiral do silêncio.

O tal do MGTOW parece vir crescendo bastante nos últimos tempos, pelo que vejo na internet. Mas eu não tenho dúvidas, se esse movimento crescer de forma significativa e a ridicularização apenas, não for suficiente pra barrar seu aumento de popularidade, haverá pressão por manobras políticas que o prejudiquem de alguma forma, e isto será apoiado por todo tipo de pseudomacho ginocentrista, escória humana da política e o silêncio das mulheres que dizem não serem feministas.


O homem tem que boicotar de todas as formas possíveis todas as instituições ginocêntricas que trabalham ativamente contra o homem, e isso inclui a pior e mais imoral de todas, o estado.
Responda-o
#74
Depois do post do @Minerim , restou uma sugestão.

Visitar o site "tr0cand0fraldas", onde tem um tópico bem "interessante" (só substituir os zeros no nome).

E tirem suas conclusões.
Responda-o
#75
(21-09-2016, 11:47 PM)Minerim Escreveu: Um pai sem poderes é um paiaço,o pai financeiro poder ser qualquer um; as M$OL  devem estar vibrando porque os enteados ou bastardos poderão ter dois pais, receber duas pensões etc estamos nesse caminho, um avanço trolha no cú do macho e do direito de família, a relativização vertical e compulsória começou.




http://www.conjur.com.br/2016-set-21/pai-socioafetivo-nao-tira-deveres-pai-biologico-decide-stf

OBRIGAÇÃO PERPÉTUA

Existência de pai socioafetivo não tira deveres do pai biológico, diz STF

A pessoa criada e registrada por pai socioafetivo não precisa abrir mão da paternidade biológica e, portanto, nem de direitos como pensão e herança. Assim entendeu o Supremo Tribunal Federal, nesta quarta-feira (21/9), ao reconhecer simultaneamente ambas as formas de paternidade, por 8 votos  2, e negar pedido de um homem que alegava preponderância da socioafetiva sobre a biológica.

Como o recurso teve repercussão geral reconhecida, deve nortear outras decisões nos tribunais de todo o país. A tese que servirá de parâmetro ainda deve ser fixada pelo Plenário, na sessão da próxima quinta-feira (22/9).

O autor do recurso só foi “descoberto” pela filha quando ela tinha 16 anos. Como a jovem foi registrada por outra pessoa, ele afirmava não pretender fugir da responsabilidade, mas eximir-se dos efeitos patrimoniais, para impedir que a “conveniência” fizesse alguém optar pelo reconhecimento familiar apenas para obter possíveis efeitos materiais, já que a própria filha afirmou que não queria desfazer os vínculos com o pai socioafetivo.

[Image: ministro-luiz-fux-05072012.jpeg]Constituição descarta modelo engessado de família, afirma Fux, ao rejeitar escolha entre uma ou outra paternidade.

Para o relator, ministro Luiz Fux, o princípio da paternidade responsável obriga que sejam acolhidos tanto vínculos de filiação construídos pela relação afetiva entre os envolvidos como também aqueles originados da ascendência biológica.

Segundo o ministro, o reconhecimento pelo ordenamento jurídico de modelos familiares diversos da concepção tradicional não autoriza decidir entre a filiação afetiva e a biológica, num modelo engessado. “Do contrário, estar-se-ia transformando o ser humano em mero instrumento de aplicação dos esquadros determinados pelos legisladores. É o Direito que deve servir à pessoa, não o contrário.”

“Não cabe à lei agir como o Rei Salomão, na conhecida história em que propôs dividir a criança ao meio pela impossibilidade de reconhecer a parentalidade entre ela e duas pessoas ao mesmo tempo. Da mesma forma, nos tempos atuais, descabe pretender decidir entre a filiação afetiva e a biológica quando o melhor interesse do descendente é o reconhecimento jurídico de ambos os vínculos”, declarou.

Fux disse ainda que, enquanto o Código Civil de 1916 tinha seu conceito de família centrado no instituto do casamento — com a “distinção odiosa” entre filhos legítimos, legitimados e ilegítimos —, a partir da Constituição Federal de 1988 “o regramento legal passa a ter de se adequar às peculiaridades e demandas dos variados relacionamentos interpessoais, em vez de impor uma moldura estática baseada no casamento entre homem e mulher”.

Foi com essa visão, disse o ministro, que o Supremo já reconheceu a qualidade de entidade familiar às uniões estáveis homoafetivas (ADI 4.277).

Cinismo e cuidado obrigatório
Ao acompanhar o relator, o ministro Gilmar Mendes afirmou que a tese sustentada pelo pai biológico apresenta “cinismo manifesto”. Para o ministro Dias Toffoli, é importante reconhecer que as obrigações de quem tem um filho continuam ainda que outra pessoa o crie. O ministro Marco Aurélio, que também seguiu a maioria dos votos, destacou que o direito de conhecer o pai biológico é um direito natural.


“Amor não se impõe, mas cuidado sim e esse cuidado me parece ser do quadro de direitos que são assegurados, especialmente no caso de paternidade e maternidade responsável”, declarou a presidente da corte, ministra Cármen Lúcia.

Divergências
O ministro Edson Fachin votou pelo parcial provimento do recurso, ao entender que o vínculo socioafetivo “é o que se impõe juridicamente” no caso dos autos, tendo em vista que existe vínculo socioafetivo com um pai e vínculo biológico com o genitor. Portanto, para ele, há diferença entre o ascendente genético (genitor) e o pai, ao ressaltar que a realidade do parentesco não se confunde exclusivamente com a questão biológica.


[Image: edson-fachin12.jpeg]Em voto divergente, Edson Fachin disse que o vínculo biológico nem sempre coexiste.
Nelson Jr./SCO/STF


“O vínculo biológico, com efeito, pode ser hábil, por si só, a determinar o parentesco jurídico, desde que na falta de uma dimensão relacional que a ele se sobreponha, e é o caso, no meu modo de ver, que estamos a examinar”, disse, ao destacar a inseminação artificial heteróloga [doador é terceiro que não o marido da mãe] e a adoção como exemplos em que o vínculo biológico não prevalece, “não se sobrepondo nem coexistindo com outros critérios”.

Também divergiu o ministro Teori Zavascki. Para ele, a paternidade biológica não gera necessariamente a relação de paternidade do ponto de vista jurídico e com as consequências decorrentes.
“No caso há uma paternidade socioafetiva que persistiu, persiste e deve ser preservada”, afirmou. Ele observou ser difícil estabelecer uma regra geral e que deveriam ser consideradas situações concretas. Com informações da Assessoria de Imprensa do STF.

Basicamente,  significa que dependendo da vontade do juiz(a), o cafa pode até sair ileso e sem custo algum. Sem responsabilidade jurídica nenhuma.
Já o beta provedor,  esse se fode de qualquer maneira. Além de assumir o catarrento,  vai pagar pensão sim. E se a mulher estiver desempregada,  ou doente, paga pensão pro catarrento e pra va*****. 
Enquanto isso, o cafa goza de impunidade.
Responda-o
#76
(07-12-2018, 12:38 AM)Minerim Escreveu: Vamos ver a conquistas feminazis no mundo jurídico bostileiro;

Direito Penal: se você é homem não há presunção de inocência contra você, não existe isonomia legal e a mulher é um ser com privilégios legais e processuais. 

A lei entre os homens e mulheres não é mais abstrata, generica e impessoal, temos uma cidadania de 3ª classe.


Direito de Família: é agora que as coisas estão pegando fogo no país, milhares de desavisados estão se fudendo...a chamada nova direita sequer olhou a máquina destruidora inserida na legislação civil, agora o TSUNAMI modal, abusivo, revolucionário está sendo usado pelas mulheres, defensores públicos, desembargadores e tribunais contra você cidadão masculino.

No chamado Direito de Família na prática somente os homens tem deveres, não há direitos. A aplicação legal é pura injustiça...

No país do casa e divorcia, casa e divorcia quem se fode é homem. Quem paga a conta de toda a promiscuidade feminista é o homem.

https://veja.abril.com.br/brasil/um-a-ca...no-brasil/

[color=rgba(33, 33, 33, 0.9)]Quarenta anos após a instituição da lei do Divórcio no Brasil, um a cada três casamentos termina em separação no país. É o que mostram os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Um balanço feito com dados do instituto entre 1984 e 2016 aponta ainda que o número de dissoluções disparou com o passar dos anos.[/color]

[color=rgba(33, 33, 33, 0.9)]Em 1984, elas representavam cerca de 10% do universo de casamentos, com 93.300 divórcios. Essa correlação saltou para 31,4% em 2016 – com 1,1 milhão de matrimônios e 344.000 separações.[/color]
[color=rgba(33, 33, 33, 0.9)]Apesar de a Lei do Divórcio vigorar desde 1977, os dados sobre o tema só começaram a ser incluídos nas estatísticas anuais de Registro Civil na década seguinte. Até aquele ano, o desquite era o dispositivo legal, mas não possibilitava uma nova união formal. O levantamento aponta mais de 7 milhões de dissoluções registradas no país entre 1984 e 2016, ou 580 divórcios por dia, ante 29 milhões de matrimônios.[/color]

[color=rgba(33, 33, 33, 0.9)]No período, os casamentos subiram 17%. Já os divórcios aumentaram 269%. Na prática, o Brasil passou a contar com três gerações de casais legalmente separados.[/color]

Vejam o demônio que foi inserido na nova legislação criando o que chamam de MULTIPARENTALIDADE, aberração do tipo TEORIA DE GENERO.

Art. 1.593. O parentesco é natural ou civil, conforme resulte de consangüinidade ou outra origem.

Existem milhares de homens recebendo citações para responderem perante a Justiça ações de reconhecimento de paternidade socioafetiva e estão todos se fudendo pois foram pegos de calças curtas.

1-Caso do tipo em que o pai registrou pensando que o filho era dele e depois de 1 a 2 anos descobre via DNA que o filho não era dele são resolvidos da seguinte maneira:

Procurador a favor da socioafetividade, psicologa forense feminazi a favor da criança sempre atestará o vinculo, de vez em quando uma assistente social diz o que vinculo deve ser extinto porque o "pai" não quer mais ver a criança. Juízes de 1 ª instancia, desembargadores e 95% do STJ são insensíveis aos direitos do homem, dizem que a socioafetividade deve prevalecer de acordo com laudos e no interesse da criança e porque registrou, mas e a vontade e a descoberta posterior ? Foda-se, pau no cú do pai, a vontade do homem e o direito de sangue são irrelevantes.

Todo o corpo juridico  do Estado Brasileiro  é progressista e contrário ao homem.

2- tipos de casos: Morou 6 meses a 2  anos e meio com o catarrento tirou fotos, festinha de aniversário etc. Sorria você está fudido, terá de cumprir pena de pensão alimentícia nos próximos 25 anos, será processado e ainda que não haja mais convívio a conta será sua, terá de carregar isso para sempre. Yaoming

Se mãe ja faz a cabeça da criança nas alienações parentais, o que ela não será capaz de fazer com a criança para ela ter o vinculo afetivo de filiação do catarrento declarado $$$$$? 


A familia multiparental é tão bonita, os tempos mudaram. Se você acreditou nisso tomou no cú, é o homem que pagará a conta da promiscuidade e imprestabilidade das mulheres nos relacionamentos. 

Nas propagandas vocês assistem famílias felizes com vários filhos de outros casamentos etc, pura ilusão de marketing. Os betas estão pagando as contas das vadias.

Na prática juridica atual os chamados ENTEADOS são filhos SOCIOAFETIVOS e a ação de reconhecimento de paternidade é imprescritivel ou ETERNA Ruge

Se você morou com uma M$OL  ainda o presentinho juridico não chegou, torça para não chegar. Os que mais sabem direito no país são ladrões, empregados e mulheres.


A castração hipergâmica que assola o beta agora será financeira também e se faltar dinheiro para pensão ainda que sejam 2 a 3 pais, terá a prisão decretada do mesmo jeito. trollface  Isto é Brasil progressista seu trouxa.

Os conceitos MGTOW irão se expandir bastante, a estabilidade geracional monogâmica foi quebrada, a legitimidade desse movimento se baseia na autopreservação como mero reflexo do feminazismo jurídico, politico e sociológico. A luta de classes recepcionada pelas mulheres faz vitimas mantidas no cativeiro da espiral do silêncio.


Recomendações:

1- Faça DNA antes de registrar qualquer  criança !!!

2-M$OL mantenha distancia, ou só a encontre no Motel em caso de extrema necessidade sexual.
Confrade, esses relatos fazem a gente ficar pensativo até que ponto vale a pena o risco de envolvimento com mulher.
Ee Esse trecho resume o que estou pensando agora:

>Os conceitos MGTOW irão se expandir bastante, a estabilidade geracional monogâmica foi quebrada, a legitimidade desse movimento se baseia na autopreservação como mero reflexo do feminazismo jurídico, politico e sociológico. A luta de classes recepcionada pelas mulheres faz vitimas mantidas no cativeiro da espiral do silêncio
Responda-o
#77
aí por causa de uma bcta o homem gado boizão assume a vaca e de quebra vem os bezerros dela
Responda-o
#78
cara, é simples

não pegues mãe solteira
Responda-o
#79
Toda vez que eu medito sobre essas questões, chego a conclusão que no LONGO PRAZO ( de 30 a 50 anos pra frente) outras sociedades patriarcais irão DOMINAR COMPLETAMENTE as nações ocidentais mergulhadas no feminismo.
Por exemplo: Europa está nesse caminho. Em poucas gerações o Islã vai dominar a porra toda. Não gosto do Islã, mas seria engraçadíssimo ver as feministas lidando DE VERDADE com os caras. Simplesmente estão se disseminando, têm 10 vezes mais filhos que os nativos dos países europeus (como a Alemanha, por exemplo). Em pouco tempo os "kebabs" vão ser maioria no governo central, no exército, nas polícias. Vão mudar as leis e FODAM-SE as feministas. Vão fazer o quê? Só de olhar feio levam dez chibatadas. Os homens nativos ou vão sumir sem descendentes, ou vão se converter. Eu me converteria fácil dentro desse clima, só pra ver as feministas se danando. No FINAL, os homens que elas arrancaram tanto o couro com essas leis feminazis não estarão ai para defendê-las. Vai ser poético...
Responda-o
#80
(10-07-2019, 06:13 PM)Berzerk Escreveu: Toda vez que eu medito sobre essas questões, chego a conclusão que no LONGO PRAZO ( de 30 a 50 anos pra frente) outras sociedades patriarcais irão DOMINAR COMPLETAMENTE as nações ocidentais mergulhadas no feminismo.
Por exemplo: Europa está nesse caminho. Em poucas gerações o Islã vai dominar a porra toda. Não gosto do Islã, mas seria engraçadíssimo ver as feministas lidando DE VERDADE com os caras. Simplesmente estão se disseminando, têm 10 vezes mais filhos que os nativos dos países europeus (como a Alemanha, por exemplo). Em pouco tempo os "kebabs" vão ser maioria no governo central, no exército, nas polícias. Vão mudar as leis e FODAM-SE as feministas. Vão fazer o quê? Só de olhar feio levam dez chibatadas. Os homens nativos ou vão sumir sem descendentes, ou vão se converter. Eu me converteria fácil dentro desse clima, só pra ver as feministas se danando. No FINAL, os homens que elas arrancaram tanto o couro com essas leis feminazis não estarão ai  para defendê-las. Vai ser poético...

E depois torcer pra que a gente aprenda a lição com eles aqui no Brasil.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)