Avaliação do Tópico:
  • 2 Voto(s) - 5 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Inteligência Emocional, você tem?
#21
Se fosse aqui no Brasil, o sujeito quebraria o vidro do carro e arrancaria o outro pela janela. 
Isso se não descesse do carro já apontando a arma.

Só dá pra ser calmo assim dentro de um carro blindado.
Responda-o
#22
Citação:Mas a pergunta que tenho é, o que vocês fazem de forma prática para desenvolver e aprimorar a inteligência emocional no seu dia a dia?

Essa é a pergunta chave!

Efetivamente e na prática, que ação tomamos para desenvolver e aprimorar cada qualidade da inteligencia emocional?!


Tomar consciência dos pontos de melhoria é bom, mas ter ações efetivas para melhorá-las é melhor ainda!
Responda-o
#23
Muito bom o post do Roberto e melhor ainda saber que ele esta por aqui.

Tenho aplicado o alocamento de tempo e tarefas conscientes. Depois que li o poder do hábito, consegui criar bons hábitos e deixar meu 'piloto automático' agir corretamente.

Também costumo imaginar situações que possam acontecer(ex: essa do acidente de transito) e pensar na melhor forma de agir antes de algo acontecer para estar preparado caso algo aconteça.
Bode velho gosta de Capim Novo.
Responda-o
#24
(13-02-2016, 07:01 PM)Libertador Escreveu: Tópico muito bom!

Esse trecho eu retirei de um livro que li porque gostei muito, e expressa esse mesmo ponto de vista:

"Muitos tomam erradamente as paixões fortes como caráter forte; mas a verdade é que aquele que é dominado por suas paixões é homem fraco. A verdadeira grandeza do homem é medida pela força dos sentimentos que ele domina, e não pelos sentimentos que o dominam."

Mas a pergunta que tenho é, o que vocês fazem de forma prática para desenvolver e aprimorar a inteligência emocional no seu dia a dia?

Sent from my GT-I9500 using Tapatalk

A inteligência emocional está ligada ao seu carácter. O que observo nas interações sociais o ideal é se manter estável, caminhando entre os lobos, é sempre bom ter comportamento de algumas pessoas como referência tome para si construa seus princípios, trabalhe no carácter e ele guiará suas ações automaticamente.

(15-02-2016, 02:15 PM)Roberto Escreveu: O motorista calmo é um perfeito exemplo de como funciona o magnetismo nas relações sociais. Concentrem-se no áudio e assistam aos primeiros 25 segundos do vídeo. Agora comparem com a voz dele a partir de 1:45. Percebam a tonalidade suplicante, desesperada e impotente. Nenhuma arma de fogo, nenhum golpe de arte marcial tem um efeito tão devastador quanto a defesa emocional.

A inteligência emocional é um fator determinante da hierarquia social porque a maioria das pessoas age em piloto automático: conversam sem raciocinar, trabalham em atividades mecânicas e repetitivas e não planejam a semana.

O sistema emocional tem a importante função de impulsionar as suas ações enquanto a parte racional do seu cérebro estiver dormente. As emoções são naturalmente submissas, e primeiro enviarão um impulso à parte racional do seu cérebro, agindo apenas se você continuar omisso após o alerta.

A ação motivada por emoções é impulsiva, instintiva, genérica e previsível. Imaginem-se no lugar do motorista do vídeo e saiam do carro. Garanto que vocês podem prever passo a passo o que aconteceria na sequência, inclusive a parte onde a polícia levaria ambos para a delegacia.

Para tomar o controle da própria vida e fazer prevalecer a racionalidade nas próprias ações, é necessário desenvolver a frequência e prevalência do raciocínio no cotidiano. Ou seja, fazer com que um percentual maior das próprias ações seja motivado e arquitetado pela racionalidade.

Por exemplo: você está sentado na postura correta enquanto lê o meu comentário? Quando você precisa ir ao banheiro, você vai imediatamente ou continua a ler até não agüentar mais? Você consegue trabalhar ou estudar por um longo período sem se distrair? Quando acontece algum desentendimento com um colega ou estranho, o seu foco continua nas suas metas?

É importante fracionar as suas metas em pequenos objetivos que você possa executar em curtos espaços de tempo, educar o seu piloto automático para executar naturalmente algumas tarefas produtivas (ex.: acordar em determinado horário, acostumar-se a estudar de três em três horas, melhorar a tolerância a ruídos etc.) e buscar um ponto de equilíbrio entre trabalho, estudos e lazer.

Eu tenho o costume de exercitar a racionalidade tanto nas tarefas pequenas, como a postura, maneira de andar e respiração, quanto nas questões mais complexas como a orientação de testemunhas para a audiência de instrução e julgamento. Inclusive, planejei o tempo de confecção deste comentário para postá-lo antes das 14h30 e assim não me atrasar pra um compromisso que tenho daqui a pouco. rs

Roberto bem assertivo.
- A verdadeira liberdade está no domínio absoluto de si mesmo (Montaigne).





Responda-o
#25
Citação:A inteligência emocional está ligada ao seu carácter. O que observo nas interações sociais o ideal é se manter estável, caminhando entre os lobos, é sempre bom ter comportamento de algumas pessoas como referência tome para si construa seus princípios, trabalhe no carácter e ele guiará suas ações automaticamente.

Perfeito!
Responda-o
#26
(13-02-2016, 09:18 PM)Libertador Escreveu: É um livro religioso, chamado: "Patriarcas e Profetas". Conta a história dos personagens bíblicos com algumas reflexões.

Esse trecho em específico, é sobre a história de Sansão, ele foi o homem mais forte da terra, era o homem mais importante do país na época dele, ninguém conseguia o derrotar, mas foi derrubado por uma jovem, por não saber controlar seus sentimentos.

Sent from my GT-I9500 using Tapatalk

- Hoje em dia, para uma evolução emocional, uso o Eu como gestor do intelecto. Vejo as emoções e tento racionalizar a fonte do problema para não perder o controle diante de situações adversas. Ainda estou treinando para ficar bem experiente nas ações de controle.

(15-02-2016, 02:15 PM)Roberto Escreveu: O motorista calmo é um perfeito exemplo de como funciona o magnetismo nas relações sociais. Concentrem-se no áudio e assistam aos primeiros 25 segundos do vídeo. Agora comparem com a voz dele a partir de 1:45. Percebam a tonalidade suplicante, desesperada e impotente. Nenhuma arma de fogo, nenhum golpe de arte marcial tem um efeito tão devastador quanto a defesa emocional.

A inteligência emocional é um fator determinante da hierarquia social porque a maioria das pessoas age em piloto automático: conversam sem raciocinar, trabalham em atividades mecânicas e repetitivas e não planejam a semana.

O sistema emocional tem a importante função de impulsionar as suas ações enquanto a parte racional do seu cérebro estiver dormente. As emoções são naturalmente submissas, e primeiro enviarão um impulso à parte racional do seu cérebro, agindo apenas se você continuar omisso após o alerta.

A ação motivada por emoções é impulsiva, instintiva, genérica e previsível. Imaginem-se no lugar do motorista do vídeo e saiam do carro. Garanto que vocês podem prever passo a passo o que aconteceria na sequência, inclusive a parte onde a polícia levaria ambos para a delegacia.

Para tomar o controle da própria vida e fazer prevalecer a racionalidade nas próprias ações, é necessário desenvolver a frequência e prevalência do raciocínio no cotidiano. Ou seja, fazer com que um percentual maior das próprias ações seja motivado e arquitetado pela racionalidade.

Por exemplo: você está sentado na postura correta enquanto lê o meu comentário? Quando você precisa ir ao banheiro, você vai imediatamente ou continua a ler até não agüentar mais? Você consegue trabalhar ou estudar por um longo período sem se distrair? Quando acontece algum desentendimento com um colega ou estranho, o seu foco continua nas suas metas?

É importante fracionar as suas metas em pequenos objetivos que você possa executar em curtos espaços de tempo, educar o seu piloto automático para executar naturalmente algumas tarefas produtivas (ex.: acordar em determinado horário, acostumar-se a estudar de três em três horas, melhorar a tolerância a ruídos etc.) e buscar um ponto de equilíbrio entre trabalho, estudos e lazer.

Eu tenho o costume de exercitar a racionalidade tanto nas tarefas pequenas, como a postura, maneira de andar e respiração, quanto nas questões mais complexas como a orientação de testemunhas para a audiência de instrução e julgamento. Inclusive, planejei o tempo de confecção deste comentário para postá-lo antes das 14h30 e assim não me atrasar pra um compromisso que tenho daqui a pouco. rs

- Imagino as vezes algumas situações para me preparar psicologicamente antes do evento. Um exemplo aconteceu comigo nesta citação abaixo.


Citação:- Passei por uma situação aos uns 10 anos atrás. Antigamente tinha o hábito de colocar a carteira na cintura. Depois pensei assim comigo: “Algum dia, posso ser parado por policiais, os mesmos irão pensar que estou com uma arma na cintura”. Depois deste pensamento, meio que me preparei psicologicamente (e imaginar o que iria acontecer e como agir caso acontecesse algo do tipo).

- Não deu outra, algum tempo depois fui abordado de uma maneira repentina por um PM com uma arma em punho. Na maior calma, levantei a camisa em movimento bem controlado para não acionar o ‘gatilho’ de ação e reação do policial. 

Moral da história: Acredito que se não tivesse me preparado psicologicamente, teria perdido o controle emocional e possivelmente ter me ferrado.
Responda-o
#27
- Agregando minha reposta anterior com outro exemplo baseado na resposta do confrade Roberto.

- Quando fazia viagens interestaduais de ônibus, passava a imaginar (depois das primeiras viagens) como iria sair de um ônibus em caso de emergência. Ou seja, me preparava psicologicamente caso precisasse passar por uma situação de urgência.
Responda-o
#28
(15-02-2016, 10:08 PM)Diamante Escreveu: - Agregando minha reposta anterior com outro exemplo baseado na resposta do confrade Roberto.

- Quando fazia viagens interestaduais de ônibus, passava a imaginar (depois das primeiras viagens) como iria sair de um ônibus em caso de emergência. Ou seja, me preparava psicologicamente caso precisasse passar por uma situação de urgência.


Isso eu faço em todos os lugares que eu vou, vejo as saídas de emergência, se é possível quebrar/sair pela janela, se tem alguém suspeito no local e nunca sento de costas para a entrada.
Bode velho gosta de Capim Novo.
Responda-o
#29
Quem desenvolve inteligência emocional consegue dominar a realidade e a forma como a enxerga, a vida passa a ser um papel em branco e você é o desenhista dela.
Sim nós é que devemos tecer o fio da realidade em que vivemos, sem aceitar pré-conceitos de nenhum tipo de doutrina, culto ou seja lá oque for do unidos do caralho a quatro....isso te torna alguém mais positivo, mais preparado pra vida mais seguro e capaz de vencer as adversidades.
Outra coisa importante é que a emoção gera sensibilidade, pessoas sensíveis estão em maior contato com o subconsciente e conseguem ter uma intuição mais aprimorada, recebendo mensagens cerebrais de uma via pouquíssimo acessada pelos seres humanos superficiais e retardados.....o essencial é invisível aos olhos.

Então confrades creio que primeiramente devemos priorizar a saúde no desenvolvimento pessoal, em segundo lugar as emoções, pois são delas que partem os maiores medos e inseguranças, seu maior inimigo ao desenvolvimento pessoal é você mesmo.

Força e honra.
Responda-o
#30
É incrível como um simples tópico tem um valor tão grande que pode mudar a vida das pessoas...
Muito obrigado!
Como o Mandrake citou, é disso que o MR precisa.
[img=0x45]http://i.imgur.com/QJXZrUp.png[/img]
Responda-o
#31
Inteligência emocional para o homem, nada mais é que frieza. Como ficou bem claro no vídeo. O homem que é um cubo de gelo nas mais diversas situações pode ser considerado como evoluído emocionalmente. Essa é uma característica inerente a masculinidade. Desenvolva a sua masculinidade que a inteligência emocional virá como que de brinde.

Hoje a masculinidade sofre constantes ataques, e ser um sujeito convicto de sua posição como homem é visto com maus olhos pela sociedade de uma forma geral. É sabido de todos que ser soft, politicamente correto e sentimental é a regra hj. Um cara que não consegue ou não quer ter o controle sobre si mesmo é patético. Enquanto os homens viverem conforme o modelo cosmopolita de ser humano, pouco focado, preocupado com futilidades, vibrado o tempo todo na merda de uma tela de celular, comprando trecos para aumentar o seu conforto, pouco irá evoluir no emocional. Observe que essas coisas que eu citei, é uma forma de terceirização da nossa vida. Isso que destrói o masculinidade, pq o homem autentico vai lá e faz. Por ex., um homem autentico vai lá e fala com aquela gostosa que está afim cara a cara, sem medo. Um homem moderno, vai falar via whats, ou via face, etc. Aplique isso a todas demais áreas.  Em vez de eu aprender a fazer  comida, eu vou lá e compro pronto. Em vez de eu aprender a mexer na mecânica do carro, eu vo lá e pago alguém para fazer isso. Em vez de eu levantar o peso do chão, eu vou numa máquina que vai reduzir o meus esforço. Em vez de eu interagir com a vida, eu vivo na frente de celular estúpido.

Isso mina qualquer emocional de forma sorrateira, pq quando se deparamos com uma situação conflitante e estressante, não sabemos o que fazer pq vivemos, praticamente, em um mundo ilusório e irreal, a todo momento sendo confortável alterado de forma artificial para nos satisfazer, desde a infância. Todo lugar precisa ser limpinho, cheirozinho, quentinho, aconchegante, divertido, descontraído, bonito. Isso é antinatural. A realidade não é isso. Isso nos torna frágeis. Algo frágil se desestabiliza por completo sob qualquer atrito ou pressão. Essa é a resposta da falta de inteligência emocional do homem moderno. O homem moderno é um "bichano".

Ao meu ver, masculinidade é uma forma de robustez. É força! Força contrária aplicada a realidade das coisas. É não se permitir ser levado pela correnteza da vida. É interagir e se proteger. É agir. É fazer, por conta própria. É enfrentar, é sentir. A medida que o homem se dá conta disso, começa a deixar de ser frágil e o emocional acompanha essa postura. Ser masculino é ser anti-frágil. Ao começar ver a vida como ela é de verdade, o homem autentico se dá conta que a vida não é tudo legal, tudo bonito. Se dá conta que o horror, a morte, o choro e ranger de dentes existem aqui e não só em um outro mundo. Sentir dor, enfrentar as dificuldades de cara limpa, se decepcionar e não ter medo de errar, em suma, viver perigosamente faz com que seu caráter seja forjado, e consequentemente seu emocional também. A dor te lembra de que você está vivo.

Homens que vivem em suas bolhas de vidro, convivendo só com quem tem os mesmos gostos, indo só a lugares que querem, agindo politicamente corretos de forma a evitar toda forma de conflito, estão fadados a serem uns fracassados emocionalmente falando, e poderão ser dobrados por qualquer pirralha vadiazinha juvenil, se tornar descontrolados pq nao puderam comprar em primeira mão o iphone novo, ou pq perderam no videogeme para aquela cara pau no cu do ap do lado. Quer ter inteligência emocional? Cultive a masculinidade. Interaja com o mundo. VIVA. Saia da sua zona de conforto. Se suje, sue. Se queime no sol. Erga pesos pesados.  Discuta com alguém. Arrume alguma confusão. Tente algo novo. Erre, acerte. Leia bastante. Acalme seus pensamentos aleatórios. Se ocupe. Seja focado. Honre a testosterona que corre nas suas veias. Seja viril. Saia da frente do computador, porra.

O homem deve ser uma fortaleza impenetrável, e cultivando essa postura, seu emocional se forçará e ser impenetrável também. Veja o mundo com seus olhos, o como disse o Spectro, sinta o mundo. O ser sentimental que ele disse, e que eu concordo que é importante para nós, não é esse emocional retardado de ser romanticú como é ensinado pela mídia e instituições. É sentir a gratidão pela vida, e dar valor para cada pequena coisa que acontece com vc. É se sentir vivo em uma conversa com os amigos, com seu avo. É se sentir satisfeito pelo seu trabalho. É se sentir feliz por poder treinar. Em suma, é ser grato pela vida que tem. Mas isso só será possível se vc forçar a si mesmo a sair do seu mundinho.

Confie em mim, desenvolva a masculinidade que está adormecida em vc, e eu prometo que o emocional impenetrável virá junto.
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#32
- Esse é o novo MR. Debates de qualidade. Um dos melhores tópicos desta casa.  Cool
Responda-o
#33
(24-02-2016, 07:40 PM)Diamante Escreveu: - Esse é o novo MR. Debates de qualidade. Um dos melhores tópicos desta casa.  Cool

²
Responda-o
#34
Caraca, muito boa esta resposta do Hércules.
Só não concordo com a parte de viver perigosamente.
Bode velho gosta de Capim Novo.
Responda-o
#35
Tópico monstruoso. Definitivamente um dos melhores tópicos. Pode soar como exagero meu, mas eu diria que seria de utilidade pública, visto o estado atual de nossa sociedade, que está seriamente doente.
"Quando tua inteligência tiver cruzado a densa floresta da ilusão, tornar-te-ás indiferente a tudo o que se ouviu e a tudo o que se há de ouvir."

– Bhagavan Sri Krishna, Capítulo II, Verso 52, Bagavadguitá
Responda-o
#36
Hércules meteu a Real. Muito bem.
"Primeiro vêm os sorrisos, depois as mentiras; por último, o tiroteio" - Roland de Gilead
Responda-o
#37
Hércules realmente falou certo e bonito.

Quando comecei a ler, logo pensei que o Hércules era anti evolucionista, mas posteriormente compreendi o real sentido da sua postagem.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Responda-o
#38
É por essas e outras que digo que O Magnetismo nas Relações Sociais é o livro mais completo de Nessahan Alita, apesar de ser também o mais complexo também.

Digo isso, porque o livro ultrapassa a esfera das relações homem-mulher, abordando todos os tipos de relacionamento humano.

Acredito que deveria ser dada uma atenção especial à essa obra. E sobre o suposto misticismo ou esoterismo que dizem haver no livro, digo-lhes que se fato NÃO EXISTE. Na verdade Nessahan Alita utilizou linguagem simbólica - cifrada ou codificada - para transmitir oa ensinamentos. Eu não sei ao certo o motivo disso, mas acredito que seja devido ao poder destrutivo que esse tipo conhecimento pode causar se cair nas mãos erradas.

Outra coisa que digo é LEIAM O BAGAVADGITÁ. Esse livro é o ápice de todo ensinamento sobre autocontrole e inteligência emocional. Aliás, ainda farei um tópico sobre ele.
"Quando tua inteligência tiver cruzado a densa floresta da ilusão, tornar-te-ás indiferente a tudo o que se ouviu e a tudo o que se há de ouvir."

– Bhagavan Sri Krishna, Capítulo II, Verso 52, Bagavadguitá
Responda-o
#39
Trecho pertinente sobre esse tema postado na pagina Geraçao de Valor no facebook:

EMOÇÕES, EXPERIÊNCIAS E CRÍTICOS

Depois de 25 anos atuando na linha de frente no mercado, formando executivos e empreendedores, vendo muita gente fracassar e alguns triunfarem, estou cada dia mais convencido de que as competências emocionais são as que realmente fazem a diferença.

Já vi muita gente inteligente e talentosa desperdiçarem oportunidades por desequilíbrios inacreditáveis, por inseguranças inexplicáveis e por serem controlados pela ansiedade. Tudo isso, mesmo considerando uma boa formação e conhecimento técnico invejável, em alguns casos.

Por outro lado, já presenciei o caso de outros que, apesar de não terem tido acesso a uma formação recomendada e, mesmo tendo que lidarem com uma série limitações, chegaram muito longe, graças a sua disciplina, lealdade e foco. Suas limitações técnicas foram superadas com um pouco mais de tempo e esforço até alcançarem o nível suficiente.

Já me lamentei muito por perder grandes talentos, ou melhor, por vê-los morrendo em meus braços e ao ouvir o seu último suspiro, enquanto lutava muito para orientá-los na direção certa. É claro que o maior prejuízo sempre foi desses suicidas profissionais, mas, como líder, sempre me lamentei muito todas as vezes que precisei atuar como coveiro, enterrando esses talentos desperdiçados no cemitério do esquecimento.

Por outro lado, não há alegria maior para um líder ver seu aluno reencontrando a autoconfiança, libertado-se dos complexos que carregou por toda vida, vendo o seu talento florescer, seu brilho nos olhos de volta, enquanto amadurece a ponto de se tornar um bom gestor de seus sentimentos, em vez de ser sequestrado por eles como eu outro tempo.

Depois de quase 3 décadas neste campo sangrento de batalha, não me restam dúvidas sobre o quanto as competências emocionais fazem toda diferença entre o sucesso e o esquecimento, entre a relização e a frustração, bem como entre a prosperidade e a mediocridade.

Apesar de constatar essa realidade, vejo que muitos desconhecem a sua existência. Além disso, tratam como sendo algo abstrato e quase místico. Por isso, vão sempre classificar essa abordagem como uma espécie de auto-ajuda barata, referindo-se a ela sempre com um certo desdém e um olhar de superioridade.

Não fazem isso por mal. Fazem por ignorância, por limitação mesmo, pois nenhuma dessas competências emocionais lhes foram ensinadas na escola. São completamente analfabetos no assunto. Como geralmente esses candidatos a intelectuais acreditam muito no sistema, dentro do qual se encontram bastante enraizados, tudo que é diferente desta cartilha, na qual foram adestrados, é rejeitado em vez de reconhecerem com humildade que teriam muito o que aprender a respeito.

Em muitos casos, tudo isso acontece, enquanto eles não conseguem ter sucesso em seus pequenos projetos, acumulando muitas frustrações que acabam sendo despejadas em suas palavras contra o que eles chamam de "fórmulas de sucesso" ou palavras de efeito.

De certa forma compreensível, pois realmente deve ser insuportável pra essa gente concluir que no alto de sua sapiência e intelectualidade, com o passar do tempo, os seus resultados tornaram-se decepcionantes e insignificantes. Por isso, restam-lhes apenas refutar todo e qualquer discurso que lhes atribuam responsabilidade. Segundo eles, é tudo culpa da crise, do Brasil, do sistema, do mercado etc. Se tudo der errado, no fim, pelo menos vão poder escrever sobre suas frustrações em seus blogs e desferirem críticas aos "cabeças fracas" que dão tanta audiência para a auto-ajuda barata. Tudo uma massa formada por bobinhos desmiolados. Mas não eles. Eles são os descolados, falam bonito, escrevem bonito. Eles são os detentores exclusivos do senso crítico, são cheios de teorias e meia dúzia de realizações corriqueiras.

Já os bobinhos, os que acreditam que as respostas para suas aspirações não estão somente no raciocínio cartesiano e binário ensinado na escola, nem nas razões macroeconômicas, mas sim, dentro de cada um de nós, nos labirintos de nossas emoções, onde se escondem grandes monstros capazes de nos paralisarem ou grandes heróis sedentos por viverem uma aventura cheia de vitórias.

Nos últimos 25 anos vi repetidamente tudo isso acontecer. Enquanto isso, eu que sou o mais bobinho e iludido de todos, seguidor de auto-ajuda barata e não sou tão esperto, intelectual e descolado como eles, colecionei alguns resultados e, depois disso, colecionei mais outros e como os descolados costumam dizer que é sorte, fundei mais empresas que foram novamente bem sucedidas. Mas que sorte!

Assim é a vida. Formada pelos que aplaudem, os que são aplaudidos e os que somente criticam.

Pobre vida dos que somente criticam.
Já os bobinhos...

Sent from my GT-I9500 using Tapatalk
“A honra, a integridade e a verdade precisam ser guardadas, custe o que custar ao próprio eu.” Obreiros Evangélicos, pág. 447
Responda-o
#40
Os que acreditam que as respostas para suas aspirações não estão somente no raciocínio cartesiano e binário ensinado na escola, nem nas razões macroeconômicas, mas sim, dentro de cada um de nós, nos labirintos de nossas emoções, onde se escondem grandes monstros capazes de nos paralisarem ou grandes heróis sedentos por viverem uma aventura cheia de vitórias.

Obrigado Libertador por ter trazido isso aqui, Olha o tamanho da importância do controle emocional.
- A verdadeira liberdade está no domínio absoluto de si mesmo (Montaigne).





Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)