Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Paralisação dos caminhoneiros 2021
#1
Tópico dedicado a reunir informações sobre a nova paralisação.

Nas notícias está correndo que iniciará dia 01/02.

Quem souber de algo posta aqui.
Basta que o almejado ideal aconteça todos os dias para que a sonhada perfeição desapareça. 
Responda-o
#2
Muito bom tópico.
Trocando ideia com dois brother no começo da semana e tá confirmado.
Segue um resumo das tratativas entre o setor e do governo - sem juízo de mérito, é apenas um spoiler informativo.
Spoiler Revelar
Os 19 itens da pauta debatida entre governo e caminhoneiros
A proposta de redução tributária sobre o diesel foi bem recebida pela categoria, mas mesmo caminhoneiros alinhados com o governo questionam a viabilidade e celeridade da medida.
O ministro Tarcísio de Freitas e líderes da categoria entendem que somente as estratégias conduzidas até então para desmobilizar lideranças favoráveis à paralisação seriam insuficientes para segurar o ímpeto dos autônomos grevistas.
Para apaziguar os ânimos, a CNTA intensificou as articulações com o Ministério da Infraestrutura e a categoria nos últimos dias. Confira a seguir os itens da agenda debatida entre governo e caminhoneiros:
1. Alteração das normas de pesagem
Os caminhoneiros autônomos defendem a mudança da pesagem, atualmente feita por eixo, para uma medição de peso bruto total (PBT). Resta um acordo com o Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que defende um PBT acima de 50 toneladas. A categoria tenta pleitear uma medição independentemente do volume da carga.
2. Promover a aproximação com a PRF
A categoria pleiteia o estabelecimento de novos parâmetros de policiamento nas rodovias federais e um relacionamento melhor com os agentes da Polícia Rodoviária Federal.
3. Acompanhamento da implantação dos PPDs
Caminhoneiros cobram a instalação dos pontos de parada e descanso (PPDs) e sua inclusão obrigatória nos novos processos de concessão de rodovias. Estruturas garantem repouso mais confortável e seguro.
4. Foco no aperfeiçoamento e implantação do DT-e
O Documento Eletrônico de Transporte (DT-e) vai unificar cerca de 20 documentos que são exigidos para operações de transporte de carga no país. Sua implantação favorecerá a contratação direta do autônomo pelo embarcador.
5. Inclusão do quarto eixo na agenda regulatória
Algumas empresas, hoje, modificam sob encomenda carretas para acoplar um quarto eixo. Isso é feito na informalidade e os caminhoneiros pedem que o Contran regulamente o assunto.
6. Crédito para programa de manutenção veicular via Cartão BNDES
Caminhoneiros pleiteiam via cartão caminhoneiro do BNDES uma linha de crédito para fazer a compra de peças para a manutenção do caminhão. Em 2019, o banco liberou uma linha de R$ 100 mil aos autônomos que, em geral, não conseguiram obter nos bancos.
7. Análise sobre custo e preço dos pneus no Brasil
O imposto de importação de pneus favorecia um quase monopólio no mercado nacional, na avaliação dos caminhoneiros. Eles pediam o combate a práticas anticoncorrenciais no mercado de reposição de pneus de carga e eliminação da proteção à indústria nacional. Em resposta, o governo zerou o imposto de importação.
8. Redução das alíquotas do PIS e Cofins incidentes sobre o diesel
Outra medida acenada pelo governo. O presidente Jair Bolsonaro alerta, contudo, que cada centavo de redução no PIS/Cofins sobre o combustível teria impacto de R$ 800 milhões aos cofres públicos. O governo, por isso, corre atrás de medidas para compensar a perda de arrecadação. Uma alternativa em estudo é aumentar a tributação de automóveis adaptados para deficientes que custem mais de R$ 70 mil.
9. Efetivação do programa de renovação de frota
Caminhoneiros autônomos pedem uma cesta de soluções para viabilizar a troca de um caminhão antigo por um novo sem o aumento da frota de veículos no país. Linha especial do BNDE ou crédito do ICMS são propostas analisadas.
10. Operação dos pátios de triagem nos portos
Transportadores pedem a efetivação e cumprimento das regras da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) em relação à implementação de protocolos de atendimento para recepcionar os caminhões nos portos. Pauta tem apoio da Federação Nacional das Operações Portuárias (Fenop).
11. Rediscussão do Marco Regulatório do Transporte Rodoviário de Cargas
O marco regulatório, que está no Senado, define questões como condições de contratação, pagamentos, seguro do caminhão e da carga, contratação direta entre autônomo e embarcador, entre outras.
12. Contratação direta
A meta é implementar condições para simplificação da contratação direta do autônomo pelo contratante, reduzindo intermediadores, como as transportadoras, e permitindo que o caminhoneiro busque a carga diretamente com os embarcadores.
13. Substituição tributária
Caminhoneiros demandam alterações tributárias visando à paridade fiscal em relação às empresas, de modo que os autônomos possam usar créditos tributários de ICMS, PIS e Cofins.
14. Revisão de normas do Contran
Caminhoneiros pedem a revisão de normas antigas do Contran para simplificar a burocracia, reduzir custos operacionais e incrementar a produtividade.
15. Fiscalização da aplicação do Vale-Pedágio, Piso Mínimo de Frete e Pagamento Eletrônico de Frete
Autônomos lidam com custos de pedágio não repassados pelas transportadoras e valores do frete abaixo do piso mínimo. Caminhoneiros pedem rigorosa fiscalização da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).
16. Efetiva implementação do CIOT para todos
Caminhoneiros cobram que o Código de Identificação de Operações de Transporte (CIOT) seja aplicado a toda a cadeia do transporte, inclusive as transportadoras. Medida visa garantir que receberão o pagamento do frete conforme os valores contratados.
17. Comprovação da liquidação do frete pelas IPEFs
Categoria exige a implantação efetiva de mecanismos que assegurem o pagamento de todo o valor do frete contratado. É comum os transportadores autônomos receberem 70% do valor adiantado e não serem pagos pelos 30% residuais. Meta é que as Instituições de Pagamento Eletrônico de Frete (IPEFs) reportem tudo à ANTT.
18. Pagamento do frete em conta corrente ou poupança
Categoria quer a exigência de que as IPEFs ofereçam opção de pagamento do frete por meio de depósito em conta corrente ou poupança ou por cartão-frete, de acordo com a escolha do autônomo.
19. Cumprimento da Lei da Estadia
Caminhoneiros pedem fiscalização da ANTT sobre a obrigação do embarcador ou destinatário da carga de fornecer documento hábil para comprovar o horário de chegada do caminhão na origem ou destino.
É bom considerar os suprimentos de casa, água e gás, por que o começo de fevereiro vai ser, a priori, complicado.

"Só os canalhas precisam de uma ideologia que os absolva e justifique." (Rodrigues, Nelsson)
Responda-o
#3
o estado é refém dos caminhoneiros porque, historicamente, negligenciou o investimento em estradas de ferro (trilhos). Alguns presidentes, como por exemplo JK, introduziram uma cultura de que "carro é um avanço" na sociedade, que se comprova com os investimentos malucos em rodovias e a subordinação aos interesses das indústrias automobilísticas norte americana e Européia. Em suma, o estado brasileiro achando que tava abafando, mas so criou terreno para que as grandes montadoras internacionais chupassem ate a ultima gota de sangue do país se aproveitando da mao de obra brarata local, de garantias de lucros e, quando isso acaba, quando o estado deixa de dar de mamar a elas com seus subsídios estatais, largam o pais como se fossem mulheres que largam um beta quando fica sem grana.

Eu não sei qual é a proporção entre caminhoneiros que são CLT e os que são PJ. Imagino que a grande maioria sejam PJ. Então, suponho que eles vao se ferrar tb se o governo não der o braço a torcer. A popularidade de Bolsonaro está uma merda, isto supõe uma ação rápida o executivo, tanto pra bem quanto pra mal.

Se ele não acatar ou ficar negociando com a classe, os caminhoneiros, que são PJ, vao ficar duros também. Eles tem pensões para pagar às msois, precisam de insumos (cocaina muitas vezes e prostitutas), combustível e alimentos. O dinheiro acabaria rapidinho. A questão é: quem fica duro primeiro? o brasileiro médio ou o caminhoneiro?

O governo, como mencionei anteriormente, é refém da classe porque não dispõe de infraestrutura suficiente para manda-los ir cagar. principalmente em lugares como Manaus, onde a questão logistica por conta das condições morfologicas do local, sugerem uma dependência maior para com a estrada.

Uma alternativa do governo é tentar suprir essa necessidade de gás e gasolina sozinho, mas duvido que tenha essa capacidade, o governo nao tem capacidade sequer para repor oxigenio e distribuir uma vacina, e teriam que agir rapido, tipo começar isso pra ontem para nao refletir nos preços.

Eu acho que o bolsonaro vai aceitar tudo numa boa. Por estar nas vésperas de uma eleição (que ele pensa que tem chance, inocente), e pelos motivos que eu citei anteriormente. O recado está dado. Todas as classes "PJotizadas", tirando muitas poucas, como médico, vivem insatisfeitas com as questões tributarias e contabeis do negocio.

Algumas reivindicações dos caminhoneiros são pertinentes, como simplificação tributaria e questões de melhora na relação de contratação e operacional. Mas tantas outras não tem nada a ver. A questão de pneus, peças e etc, vao ser repassadas para o cidadao comum pagar via impostos. Não existe almoço gratis.

O Brasil vem demonstrando que reconhece seu erro historico em "babar ovo e ir com a manada" em atender os interesses da industria automobilistica em investir em ferrovias. Mas ainda é pouco. Enquanto isso não ocorrer de forma contundente, seremos refens dos caminhoneiros, dos motoristas de onibus, dos combustíveis fosseis e vamos viver pagando mais caro por tudo
Responda-o
#4
No Brasil, deveria haver o incentivo para investimento em navegação de cabotagem e malhas ferroviárias eficientes, para que toda uma sociedade não fique nas mãos de um grupo de pessoas as quais, com vistas ao atendimento das próprias demandas, acabam por prejudicar todo mundo.

Não sou contra a greve, conceitualmente. É um meio legítimo de se pleitear condições de trabalho adequadas etc. Mas, normalmente, a greve afeta apenas aquela área, aquela empresa, aquele empregador. Não toda uma sociedade.

E, mais que isso. Nunca dá em nada. Que atendam esses caras de uma vez, pra não prejudicar ninguém, mas, principalmente, que se comece a implementar formas de não continuar essa dependência dos homens de duas (ou mais) famílias.
Responda-o
#5
Conversa para boi dormir..

90% dos caminhoneiros são pró Governo!

Aquela greve teve muito mais aver com o Governo da época do que com o preço dos combustiveis em sí

O Caminhoneiro ele repassa essa alta no preço para o consumidor, quem realmente paga isso é o pobrezinho que tem que comprar
a lata de óleo mais cara porque o frete encareceu.

Então esquece, não vai ter greve, caminhoneiros não estão contra o Governo.

Sem contar que muitos levaram um prejuízo filha da puta aquela vez.
Além disso, ore para que a vontade de Deus seja feita! Não a sua.
Responda-o
#6
Na ultima greve os camioneiros tomaram no toba, lançaram a tabela estatal minima de fretes em pleno seculo 21, o mercado se adequou, muitos migraram pra frota própria, o autônomo se fodeu, ou tá endividado ou perdeu o caminhão. As grandes empresas sempre dão um jeito.

Agora diminuir imposto do principal modal do país é legitimo, e impacta positivamente em toda a cadeia de consumo. Enquanto isso, é preciso investir em outros modais, mais seguros e baratos, como as ferrovias, mas com a infra atual não tem jeito, é caminhão msm.
Spoiler Revelar
"Facts don't care about your fellings!"

Responda-o
#7
O engraçado é que há dois dias os caminhoneiros fizeram um grande protesto em São Paulo por conta do aumento do ICMS determinado pelo DITADOR e GENOCIDA João Dória.

A mídia não noticiou nada.

Não obstante, em plena pandemia e o respectivo governador-ditador trancando tudo, deixando o povo na miséria e sem emprego, acabando com a economia - que nunca foi boa, o concorrente ao cargo presidencial da esquerda em 2022 vai aumentar os gastos com publicidade do seu governo em APENAS 70%.

Também não vi nada sendo noticiado.
Que coincidência, né?

Caiu um meteoro na puta que o pariu ontem. A suspeita é de que tenha sido Bolsonaro o mandante! Gargalhada

Concordo com o grilo no sentido de que os caminhoneiros não estão contra o governo. PORÉM, acredito que vão paralisar sim. Espero que o camarada esteja correto.

Ministro Tarcísio é espetacular, muito competente e está se destacando no governo.
Se o congresso não legislasse em causa própria e por ideologia, conseguiria fazer 200% a mais, bem como o Paulo Guedes, vulgo Ipiranga, também.
#somostodosvelhos
Responda-o
#8
Bom, vocês sabem como o gado é quando assustado pela mídia.

Vão esvaziar todos os mercados, postos e combustível e o escambau.

Caso ocorra algo, acho pouco provável que dure mais do que 3 semanas, dada a situação econômica atual, os motoras também precisam de renda para se sustentar, que não cairá do céu enquanto eles ficam parados. A menos que inventem o bolsa caminhão parado e congelem o salário de outra categoria pra pagar, ou criem algum imposto novo para os empresários.

Em suma, visando não passar aperto pensei em adiantar algumas compras, visando apenas as 3 semanas e deixar meus veículos abastecidos. Uma vez que a estabilização podera levar mais umas 2 semanas e adentraremos em março.

Para quem mora sozinho, que é meu caso, não vejo necessidade de estoques apocalípticos como os que foram feitos na primeira vez.
Basta que o almejado ideal aconteça todos os dias para que a sonhada perfeição desapareça. 
Responda-o
#9
Eu acredito que possa haver paralisação, mas não do nível da última, na certa o governo vai criar um canal de negociação e vai ceder algumas concessões, boa parte delas paliativas, como diminuir o preço do Diesel nas refinarias, criar patéticos controles estatais no mercado, etc.

Com isso turma se acalma, volta a trabalhar e depois o ciclo se repete.
Responda-o
#10
(29-01-2021, 08:38 AM)gRILO Escreveu: Conversa para boi dormir..

90% dos caminhoneiros são pró Governo!

Aquela greve teve muito mais aver com o Governo da época do que com o preço dos combustiveis em sí

O Caminhoneiro ele repassa essa alta no preço para o consumidor, quem realmente paga isso é o pobrezinho que tem que comprar
a lata de óleo mais cara porque o frete encareceu.

Então esquece, não vai ter greve, caminhoneiros não estão contra o Governo.

Sem contar que muitos levaram um prejuízo filha da puta aquela vez.

Fonte: Teu cu

A Pauta é legítima e o foco é o calcinha apertada que fodeu com economia de SP, torrou grana até não poder mais pra lacrar na pandemia, muito dinheiro foi pelo ralo da corrupção e agora quer recuperar o cofre colocando no cu do setor produtivo através do ICMS, até mesmo quando tem baixa do combustível nas refinarias o governo estadual reajusta seu imposto para manter ou aumentar arrecadação.

Sobre repasse de custos ao consumidor novamente, teu cu, o que acontece quando imposto sobe fodendo a empresa e encarecendo frete é que são praticamente obrigados a abaixar sua margem de lucro para manter competitividade.

Assim como a outra, essa greve tem apoio das empresas, do setor produtivo e vai acontecer sim.

E mesmo que fosse contra o governo federal, tem que acontecer, chega de bundamolismo do Bolsonaro, categoria não tá tão fechada com ele assim não.
Responda-o
#11
Como dizia o mito Alborghetti:

"Tudo que pinta de novo, pinta no rabo do povo".



#somostodosvelhos
Responda-o
#12
(29-01-2021, 10:42 AM)Penoso Escreveu:
(29-01-2021, 08:38 AM)gRILO Escreveu: Conversa para boi dormir..

90% dos caminhoneiros são pró Governo!

Aquela greve teve muito mais aver com o Governo da época do que com o preço dos combustiveis em sí

O Caminhoneiro ele repassa essa alta no preço para o consumidor, quem realmente paga isso é o pobrezinho que tem que comprar
a lata de óleo mais cara porque o frete encareceu.

Então esquece, não vai ter greve, caminhoneiros não estão contra o Governo.

Sem contar que muitos levaram um prejuízo filha da puta aquela vez.

Fonte: Teu cu

A Pauta é legítima e o foco é o calcinha apertada que fodeu com economia de SP, torrou grana até não poder mais pra lacrar na pandemia, muito dinheiro foi pelo ralo da corrupção e agora quer recuperar o cofre colocando no cu do setor produtivo através do ICMS, até mesmo quando tem baixa do combustível nas refinarias o governo estadual reajusta seu imposto para manter ou aumentar arrecadação.

Sobre repasse de custos ao consumidor novamente, teu cu, o que acontece quando imposto sobe fodendo a empresa e encarecendo frete é que são praticamente obrigados a abaixar sua margem de lucro para manter competitividade.

Assim como a outra, essa greve tem apoio das empresas, do setor produtivo e vai acontecer sim.

E mesmo que fosse contra o governo federal, tem que acontecer, chega de bundamolismo do Bolsonaro, categoria não tá tão fechada com ele assim não.

Nesse caso ambos estão certos, há repasse ao consumidor, mas há também sacrifício de margem. 

Mas pensando como empreendedor, o imposto fode mesmo é o pobre, quem empreende só o fará tendo lucro, simples assim.
Spoiler Revelar
"Facts don't care about your fellings!"

Responda-o
#13
(29-01-2021, 10:39 AM)Merdingo Escreveu: Bom, vocês sabem como o gado é quando assustado pela mídia.

Vão esvaziar todos os mercados, postos e combustível e o escambau.

Caso ocorra algo, acho pouco provável que dure mais do que 3 semanas, dada a situação econômica atual, os motoras também precisam de renda para se sustentar, que não cairá do céu enquanto eles ficam parados. A menos que inventem o bolsa caminhão parado e congelem o salário de outra categoria pra pagar, ou criem algum imposto novo para os empresários.

Em suma, visando não passar aperto pensei em adiantar algumas compras, visando apenas as 3 semanas e deixar meus veículos abastecidos. Uma vez que a estabilização podera levar mais umas 2 semanas e adentraremos em março.

Para quem mora sozinho, que é meu caso, não vejo necessidade de estoques apocalípticos como os que foram feitos na primeira vez.

Foco no pragmatismo, porra! Antes de discutir o caráter legítimo e filosófico da questão, é importante lembrar de se abastecer de insumos básicos e combustíveis!

E não falo isso por conta da greve, mas por conta da alucinação coletiva do efeito manada. Como o @Merdingo disse, o bonobo afegão médio vai esvaziar as prateleiras no desespero, e provavelmente ocasionar uma alta dos preços por conta da elevada demanda.

O ponto chave aqui é timing: comprar antes do gado fazer merda, para poder aguentar o suficiente para a loucura acabar. De qualquer forma, itens básicos não são perecíveis.
Jet Sky < link

Um homem com escolhas é um homem livre.
Responda-o
#14
Por causa desse rumor de greve agora provavelmente serei convocado para trabalhar na minha folga! Mesa 


Mas falando sério, acredito que não irá vingar, porque essa greve é organizada por sindicatos.
Em tudo dai graças.

Responda-o
#15
Já vou fazer minha reserva de charque e cuscuz.
Responda-o
#16
Mensagem do Ministro Tarcisio:

Senhores,
apenas para trazer tranquilidade ao grupo, é importante pontuar o contexto desta tentativa de greve de caminhoneiros.
Ela está sendo chamada pelo Conselho Nacional, entidade que não representa a categoria, que congrega alguns que buscam protagonismo, sem qualquer expressão. A entidade não existe, não é reconhecida e nem sequer tem CNPJ.
Na pauta, uma série de demandas que não temos como atender, por questões de mercado ou de conceito.
Estamos conversando com lideranças, empresas de transporte, monitorando os grupos, pesquisando nas ruas e postos de todo Brasil e o cenário é de baixíssima adesão.
As empresas não têm nenhum interesse em parar, tampouco os sindicatos.
Atuaremos no judiciário e nas estradas para impedir qualquer bloqueio de pista.
No máximo, teremos algumas ações isoladas, em que atuaremos rapidamente.
Entendo que não há motivo para preocupação.
Qualquer dúvida, estou à disposição.

Texto recebido em um grupo empresarial de logística.
Spoiler Revelar
"Facts don't care about your fellings!"

Responda-o
#17
E eu tô indo pra luta amanhã e parece que não tem nada confirmado, o que me faz pensar que esses rumores sobre a greve podem ser infundados. Não se sabe se isso é uma cortina de fumaça pra algo ou se é verdade mesmo.
Louvado seja o SENHOR, minha rocha; ele treina minhas mãos para a guerra e dá a meus dedos habilidade para a batalha. Ele é meu aliado infalível e minha fortaleza, minha torre segura e meu libertador. Ele é meu escudo, em quem me refugio; faz as nações se sujeitarem a mim. Salmos 144:1-2

強さと名誉と尊厳
Responda-o
#18
Essa não vou apoiar, não mudará nada! A chance que tínhamos foi na última, realmente legítima! A população até se solidarizou e ajudou os caminhoneiros parados.

O que o brasileiro médio tinha que fazer? Apenas deixar o carro em casa e não abastecer! Mas não, o que ouvi de cara falando: Eu não fico sem meu rolê de carro! Fazendo filas quilométricas nos postos. Essa parada ia derrubar o Temer, ele tremeu e resolver fazer acordo pois precisa manter a economia girando para manter seus compromissos com os "caras lá de fora".

Brasileiro merecer se foder mesmo para ver se aprende! Quanto tempo seremos burros e carga dos de fora, trampando como escravos e pagando impostos altíssimos para manter esse sistema podre?
Se o machado está cego e sua lâmina não foi afiada, é preciso golpear com mais força. Agir com sabedoria assegura o sucesso. - Salomão em Eclesiastes 10.10.
Muito cara legal foi parar debaixo de uma ponte por causa de uma mulher. - Bukowski.
As maiores redpills ouvimos da boca de mulheres.
Responda-o
#19
Segundo a grande mídia, a categoria está dividida... acho que ocorrerá uma greve parcial.
Responda-o
#20
Conforme o texto que mandei, a greve faiô mesmo, não era caminhoneiro querendo parar, não, o motivo era político e não legítimo, pra variar, no melhor esquema "vai que cola".
Spoiler Revelar
"Facts don't care about your fellings!"

Responda-o


Possíveis Tópicos Relacionados...
Tópico Autor Respostas Visualizações Última Postagem
  Legislação atual e Direito dos Homens - 2021 Berzerk 36 1,155 28-04-2021, 08:43 AM
Última Postagem: A6M Zero

Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)