Fórum da Real - Legado Realista
[REFLEXÃO] Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - Versão para Impressão

+- Fórum da Real - Legado Realista (https://legadorealista.net/forum)
+-- Fórum: A Real (https://legadorealista.net/forum/forumdisplay.php?fid=11)
+--- Fórum: Relacionamentos (https://legadorealista.net/forum/forumdisplay.php?fid=23)
+--- Tópico: [REFLEXÃO] Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey (/showthread.php?tid=4246)

Páginas: 1 2


Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - Trunks - 20-01-2020

Introdução

Este é um texto que visa fazer uma reflexão acerca das mudanças dos comportamentos humanos - sobretudo o feminino - nos últimos anos e algumas analogias de acordo com as épocas onde não havia smartphones e sobre famigerado Instagram que coroou a hipergamia e levou as mulheres a almejarem sonhos e relacionamentos completamente impossíveis para a realidade de um país igual o Brasil. 


Anos 2000 e a era Orkut/MSN

A primeira década do Século XXI foi marcada pela inclusão digital monstruosa que ocorreu no Brasil e com os diálogos instantâneos em mensageiros como MSN e também pela novidade de poder encontrar várias pessoas e debater temas no lendário Orkut. Até então, os anos 90 ainda regionalizavam extremamente as relações de homem/mulher e a presença física era obrigatória para a conquista, e isto mudou radicalmente nos anos 2000. 

Os anos 2000 permitiram que muitos homens tentassem conquistar mulheres através da conversa virtual, sem ter de estar presencialmente no ambiente, onde a tela do computador e a ânsia para que a janela da pessoa desejada no MSN pulassem eram rotina na vida de muitos homens. Nesta época, de fato, haviam muitos cafajestes (muitos deles remanescentes dos anos 90) que utilizaram da internet para passar o rodo. Quando digo "muito" é em comparação ao número de hoje, e não como as feministas dizem que é o comportamento de todos os homens, pois qualquer pessoa sabe que o número de homens que realmente consegue transar com várias é ínfimo perto ao número de homens que são absolutamente invisíveis aos olhos femininos. Digamos que o padrão 80/20 no qual 20% dos homens ficava com 80% das mulheres fazia algum sentido nos anos 2000. Atualmente vejo este número em 95/5 e diminuindo cada vez mais.

Uma das diferenças mais brutais dos anos 90 para os anos 2000 é que as mulheres bonitas passaram a ser conhecidas em círculo exponencialmente maiores. Nos anos 90 só era possível ver uma mulher muito bonita se ela estivesse na sua frente, ou seja, as gostosonas da cidade só eram conhecidas pelos moradores da cidade ou quando se deslocavam até alguma cidade próxima, diferentemente dos anos 2000 onde era possível ser vista no Orkut, ser adicionada no MSN por alguém a quilômetros de distância ou receber visitas/seguidores no Fotolog. Fazendo uma analogia, pode-se dizer que a descarga de dopamina nas mulheres sobre essas validações masculinas foi parecida com o efeito que a pornografia virtual causou em nós homens, porém perto do que estava por vir na próxima década, essas validações de ego eram brincadeira de criança.

Para finalizar sobre os anos 2000: foi uma época boa, onde havia um equilíbrio ao qual o jogo da hipergamia ainda era jogável e quem possuía poder de barganha conseguiu muitos encontros com belas mulheres, outros conseguiram namoradas que realmente eram companheiras e outros se enfiaram de cabeça na matrix da paixão, pois as red flags naquela época eram muito menores. Teve de tudo, mas nem de longe se via tantos homens desistindo de relacionamentos sério e mulheres que mostravam a bunda na internet eram vistas como uma aberração PELAS PRÓPRIAS MULHERES. Procedimentos estéticos eram coisas de artistas e subcelebridades e as fotos da época na máquina digital denotavam uma certa inocência por parte de homens e mulheres. As coisas eram realmente mais naturais. 



Anos 10 - Parte I (2010-2014)

A primeira parte dos anos 10 foi conhecida como a Era Carpe Diem das finanças brasileiras, onde a farra do crédito do Governo Lula e Dilma, fez com que quase todo mundo estivesse sempre comendo picanha, bebendo Heineken, viajando, comprando carro novo e contraindo dívidas. Nunca na história desse País o brasileiro aproveitou tanto a bonança do desenvolvimento artificial baseado em crédito para consumo e valorização de commodities , pouco se importando que a conta chegaria algum dia. 

Nessa primeira metade dos anos 10 a pegação em shows, baladas, eventos universitários e sexo casual sem muito esforço bombaram no Brasil. Não havia a camarotização em excesso nos eventos, não existiam "stories", as vidas perfeitas em redes sociais e portais de notícias eram apenas nos universos longínquos de atores globais, onde pouco afetava as mentes femininas, porém já se via alguma mudança gradual. A bomba estava sendo plantada alli. Homens solteiros de 20 a 35 anos com algum valor social fizeram a festa nesta primeira parte da década. Os considerados "medianos" também sempre conseguiam alguma coisa. Muitos namoros foram formados neste primeira parte da década e duram até hoje, sendo que vários deram em casório. Foi um período bom tanto para solteiros quanto aos que buscavam a monogamia.

Ainda em 2010 e 2011, os smartphones estavam longe de serem onipresentes, porém já se notava um certo repúdio ao MSN, Orkut, fotos com câmeras digitais e concomitante a isso, o Facebook bombou brutalmente no Brasil em meados de 2011. O Facebook trouxe uma validação de ego feminina muito mais explosiva às mulheres devido ao seu dinamismo e à velocidade com que determinada foto feminina conseguia dezenas ou centenas de likes. O "like" foi o primeiro grande motor do que estava por vir. Em aproximadamente num período de 10 anos, as mulheres que eram endeusadas apenas em seus bairros e no máximo em suas cidades (quando de pequeno ou médio porte) passaram a ser vistas e desejadas por homens do Brasil inteiro. Essa foi uma dopamina que nunca mais fez com que as mulheres fossem as mesmas. Ali já se via uma mudança na estética fotográfica, onde a preocupação com o ângulo da foto passou a ser priorizada, a ousadia nas roupas, nos detalhes e toda uma preocupação de harmonia em busca dos likes. Mostrar a bunda ainda era um certo tabu e causava algum furor, mas menos do que nos anos 2000.

Em 2012 e 2013 o Facebook já havia se difundido no Brasil todo e era a principal Rede Social, disparada. Ferramentas como Instagram e Snapchat eram um tanto quanto exóticas e alternativas, porém ali já se via a possibilidade de filtros e o Instagram, muito por conta de sua estética mais minimalista, começou a atrair os olhares tanto de homens quanto de mulheres. O Facebook ainda reinava, mas algumas fotos como pratos em restaurantes caros e paisagens eram exclusivamente postadas no Instagram. Era um presságio do que estava por vir.

2014 foi o ano chave da mudança, pois houve uma das eleições mais conturbadas da história, entre Dilma e Aécio. As fotos femininas visando likes e check-ins foram deixados de lado para dar lugar aos textões e intermináveis brigas políticas. Isto foi um divisor de águas para a debandada do público jovem, aos poucos, para o Instagram. O Facebook virou uma plataforma política e não mais um local de alpinismo social por parte das mulheres. 


Anos 10 - Parte II (2015 - 2019)

É aqui o clímax deste post. Essa segunda metade da década consagra a completa dominação das fêmeas nas rédeas do jogo para com praticamente todos os homens. É aqui que bombam as chamadas "Digital Influencers", onde procedimentos estéticos são completamente democratizados através de parcerias ou endividamentos, onde os silicones são normas e também surge um novo tipo de prostituição, a chamada prostituição híbrida, que consiste em camuflar-se através de "modelo" e ao qual o Instagram passa a ser a vitrine e os clientes altamente selecionados, geralmente através de intermédios de terceiros.


Aqui a maioria esmagadora da velha guarda da cafajestagem masculina dos anos 90, 2000 e início dos anos 10 já está casada, são pais e os poucos remanescentes não entendem completamente que o jogo mudou, não compreendendo mais como o "xaveco" ou "pé-de-valsismo" de outrora não funcionam mais. Agora os balizadores masculinos das mulheres são Rodrigo Hilbert, Alok, Christian Grey e todas almejam as vidas perfeitas das blogueiras fitness. O Gim com Tônica, as praias paradisíacas, barcas de Sushi e determinados elementos materiais e comportamentais se tornam a rotina e pouquíssimos homens conseguem produzir a dopamina que garotas bonitas, e até mesmo as medianas e feias desejam. Os likes em suas bundas e fotos sensuais são infinitos e há um movimento pró-monogamia, onde nenhuma delas aceita mais ser "contatinho". O problema está que não há namorados destacados pra todas.

Os homens solteiros nascidos nos anos 90 que agora são adultos nesta época, em sua esmagadora maioria, não conseguem nem de perto acompanhar as vidas desejadas por estas mulheres. O que mais se vê são hordas de garotas belíssimas solteiras e que simplesmente desistiram de relacionamento sério, porque elas mesmas sabem que o que elas querem no Brasil é ultra raro de encontrar: um homem solteiro, rico, bonito e que as entretém o tempo todo. Estimo que para cada homem neste padrão existam no mínimo 500 mulheres minimamente bonitas solteiras que queiram o alpha supremo delas. No Brasil 80% dos homens ganham até R$2.500,00 por mês. É ÓBVIO que essa conta não vai fechar nunca. E estamos na pior crise da história com tudo inflacionado, onde nem homens nem mulheres jovens conseguirão ganhar dinheiro igual as gerações passadas ganharam através de especulações.

As feministas alegam que isso é uma vingança, que não passa das mulheres se comportando iguais aos homens. Elas não estão erradas, qualitativamente falando, mas sim quantitativamente. Todos sabem que sempre foi uma minoria ínfima dos homens (5% no máximo) que conseguia fazer um número alto de mulheres de gato e sapato e que realmente pegavam todas. É praticamente impossível homens medianos que ganham de 2 a 5 mil reais, que são regras no Brasil, serem os reis dos camarotes e comedores. A questão é que esta vingança feminina veio em bloco, desde as supergostosas que são inacessíveis até as bonitas e medianas. Todas elas querem uma vida perfeita e eu não vou nem entrar na questão do que elas tem a dar em troca, de questões de futilidade e moralidade, pois não é o foco do tópico.

O Instagram é o ápice da dopamina feminina. É lá que elas mostram seus patrocínios, sua rotina, seus corpos e como pensam que são pessoas superinteressantes e que merecem um casamento em alguma bela praia e uma vida perfeita. Há um número pequeno de sortudas que conseguiram isso, as chamadas blogueiras, e são elas quem ditam as regras às suas milhões de seguidoras. As mulheres se sentem absurdamente mal ao se deflagarem com esses perfis perfeitos, porém preferem ficar solteiras do que casar com um homem do nível delas e tentarem construir patrimônio e riqueza juntos, tal qual muitos casais fizeram no século XX.

O que se vê é um bombardeio de lindas mulheres, bundas e decotes na fuça do cidadão médio que fica atônito, com a quantidade absurda de mulheres bonitas e gostosas que existe hoje. Independente desta beleza ser "artificial" ou não, nunca se viu tanta mulher bonita no Brasil igual atualmente.

Os anos 20 nos dirão se essa suposta liberdade e a falta de preocupação em casarem farão elas felizes como elas alegam, ou se teremos uma horda de depressivas. Só o tempo irá dizer. Na virada de 2029 para 2030 analisaremos novamente.

Forte abraço.


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - _Blake_ - 20-01-2020

Nunca espere nada de uma mulher e nunca prometa nada a uma mulher. Assim eu sempre deixo claro para elas que se elas identificarem algum macho com o maior potencial que o meu elas estão livres para fazer o que quiserem, e isso seria melhor para mim também, não vou segurar alguém que acha algo melhor do que eu tenho para oferecer, fora que eu volto a ficar livre. Não esquento com a hipergamia das mulheres, eu as aceito como elas são e procuro jogar com isso.


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - Seattle - 20-01-2020

Sem coitadismo, quem espera embarcar nos lances de relacionamento, hoje em dia, tem que fazer isso ciente de que, mais cedo ou mais tarde, a banca vai te derrubar.

Para nós, homens normais, é praticamente certo que em médio ou longo prazo a conta virá e tu terá que abrir mão de um amor (e lidar com a traição, abandono, jogos mentais, etc), do teu ego (se rebaixar para manter um relacionamento) ou de parte do teu patrimônio conquistado (caso venha a separar).

Existem exceções!? Claro! Mas cada dia são mais raros os confrades que conseguem conquistá-las ou separar o joio do trigo, sobretudo os residentes em cidades médias, grandes e/ou próximas à grandes centros, onde os valores estão mais deturpados.


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - Patrulheiro - 20-01-2020

Quando eu li a biblioteca da Real interiorizei os ensinamentos e pude perceber as manobras femininas e sua forma de agir.

Fiquei na fase da revolta, tudo bem, mas aliado a outros ensinamentos, pude mesclar e tirar proveito disso, a saber, que não vale a pena se relacionar seriamente hoje em dia com essas mulheres, mas que não devemos arredá-las.

O que vejo na Real, é que muitos post's beiram a uma certa raiva das mulheres, como se elas nos devessem alguma coisa.

Sim, alguns homens desse fórum parecem esquerdistas imundos que acham que as mulheres bonitas nos devem alguma coisa, como os nazicomunistas acham os ricos.

Diabólico.

Desde que o mundo é mundo é assim: homens com poder têm barganha, mulheres com poder têm barganha, homens com dinheiro têm barganha, mulheres com dinheiro têm barganha.

E claro que hoje essa percepção está escancarada em nossos olhos devidos as mídias sociais, mas sempre foi isso.

E daí que a Carol Nakamura não sai com um cidadão médio? Ela deveria? Quanto coitadismo DIABÓLICO.

Enquanto eu sou um jardineiro humilde, que nado no oceano, como carnes frescas e faço boxe de dia, tem homem comendo modelos em orgias incríveis. E é isso. Vou lamentar? De forma alguma.

Devemos nos aproveitar dessa hipergamia feminina. Eu já devo ter comido mais mulheres que qualquer rei da idade média e olha que sou apenas um humilde jardineiro. E provavelmente qualquer homem nota 6 também.

Agora, as últimas linhas foram tenebrosas de digerir.

O autor do tópico se sente mal pelas fotos publicadas das mulheres que ele nunca vai ter? Que gay!

Quanto coitadismo. Estão igual aquelas mulheres que dizem que as mulheres não podem postar foto de corpo padrão porque aflige quem não tem.

Diabólico.

No mais, esqueça esse coitadismo todo e se reinvente: ternos personalizados, charutos, boxe, surf, vodka, coqueiros e curta a vida. E transe.

E o principal: delete essa merda de Instagram. É tão gay.

Mantenha-se low-profile.


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - lokoman - 20-01-2020

Eu não tenho instagran e nem face. Tenho linkedim e olhe lá.

Percebo que muitas meninas da faculdade ficam surpresas quando eu digo que não uso essas coisas. Uma mina me dava idéia la na sala (top) pq eu nunca babei ovo dela como os demais. Ela perguntou meu insta e eu disse q não tinha. Aos poucos, ela parou de vir conversar cmg. Ela deve ter pensado que eu era algum cafa destacado do sec. XXI pq eu realmente não 'tremia' quando estava diante dela.

A nossa maior defesa para essas minas exibicionistas é a Frieza de NA. Uma frieza que vem de dentro para fora. Esses caras destacados, muitos deles são inseguros. Isso pode ser dedudzido a partir da necessidade de atenção que eles demonstram quando fazem stories diariamente ostentando bobagens. As mulheres são reclamonas, em certos momentos elas se cansam destes tipos. A nossa virilidade e frieza emocional deve estar presente para que quando essas janelas de insatisfação femininas aparecerem, a gente ir la e meter a rola sem dó.

Por mais tecnológico que seja o mundo atualmente, ainda somos animais dotados de instintos. Muitos homens estão infectados pela 'betice' e politicamente correto. Nossa maior arma contra essas merdas e a nossa masculinidade. As mulheres têm periodos instaveis, como disse anteriormente, so precisamos identifica-los e devemos fazer das palavras do PRAGA um lema "desapego emocional e apego corporal".

Comeu o cuzinho da patricinha? não se iluda e use isso como prova de que o desenvolvimento pessoal ta dando resultado, e continue mais focado ainda em VOCÊ. Até que outra mulher que esteja no 'cio' venha chorar pitangas pro seu lado e dai é so comer cuzinho e vazar como se nada tivesse acontecido


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - Berzerk - 20-01-2020

Gostei do texto (bem escrito) e concordo com muita coisa.
Mas discordo em algo essencial:
AO MEU VER as mulheres estão EVIDENTEMENTE numa situação muito melhor que os homens com as redes sociais. Qualquer mulher MEDIANA (nota 5-6) tem uma vida sexual movimentadíssima e é super disputada. Mas NÃO ACHO que elas estão frustradas esperando o "alfa supremo", o "Alok/Hilbert" da vida. Elas estão na cola do alfa local mesmo, como sempre estiveram. Só que agora elas NEM PENSAM em aceitar algo ABAIXO do alfa local. Tenho alguns amigos nessa situação de "alfa da região" que o limite de sexo é o quanto o cara aguentar. Com as redes sociais, tenho a impressão que foi montado uma gigantesca e complexa estrutura onde as mulheres esperam a vez delas com o alfa regional, vão se revezando mesmo. Isso é verdade: preferem uma noite solitária de sexo com esses caras do que relacionamento sério com o mediano. O NOJO SEXUAL ao mediano atingiu níveis estratosféricos... e está piorando exponencialmente...  uma mulher nota 5 tem REPULSA a um cara nota 7. É FATO.
Em compensação um mediano de hoje, também nota 5-6 ou até mesmo 7 (lembrando: AO MEU VER) está completamente fudido comparado aos anos 80-90. Gordos então só servem pra ser zoados nos grupos de amigos do whats.
Sinceramente não tenho ideia de como vai acabar isso, mas é a hipergamia de sempre utra-master-super turbinada.
Tá foda pra quem é rapaz de mais ou menos 20 anos mediano.
Esse tipo de texto acho muito bom, pois dá pra desenvolver muito assunto em cima.
Por exemplo: acho que tem efeito diferente de uma cidade grande acima de 500 mil habitantes para uma cidadezinha do interior de menos de 30 mil habitantes.
Eu fui num churrasco numa chácara em uma cidade pequena (coisa de 20 mil habitantes) semana passada em que foram uns 30 locais. Não é o MESMO NÍVEL que uma metrópole; tem um pouco mais de equilíbrio.
Já uma SP da vida, um mediano é um ser INVISÍVEL.


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - Villefort - 21-01-2020

Muito bom o texto, está de parabéns o confrade que escreveu e compartilhou conosco.


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - Merdingo - 21-01-2020

Eu vou upar este tópico pelos próxinos 10 anos sem parar.


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - Hombre de hielo - 21-01-2020

Duvido que venha a existir um puteiro maior para as mulheres (heterossexuais) do que o Instagram. Através de cliques elas podem conseguir modelos pra transar e caras que aparecem em fotos de viagens pra namorar (casar já é outra estória). Um realista que se preze, EM NENHUMA HIPÓTESE, deve ter um perfil no Instagram, no máximo, no Facebook (já acho muito).

Se o Fotolog tivesse sido mais objetivo e tivesse um melhor 'layout'... o Instagram nem existiria!


(20-01-2020, 01:36 AM)Trunks Escreveu: e também surge um novo tipo de prostituição, a chamada prostituição híbrida, que consiste em camuflar-se através de "modelo" e ao qual o Instagram passa a ser a vitrine e os clientes altamente selecionados, geralmente através de intermédios de terceiros.

E tem as que, 'misteriosamente', vivem viajando mesmo não trabalhando e vindas de uma família de fudidos.


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - Minerim - 21-01-2020

Os anos 20 nos dirão se essa suposta liberdade e a falta de preocupação em casarem farão elas felizes como elas alegam, ou se teremos uma horda de depressivas. Só o tempo irá dizer. Na virada de 2029 para 2030 analisaremos novamente.

Cinicamente os machos da esfera masculinista já sabem dos resultados, a validação destes dados  pelo sistema cultural estatista é irrelevante, estamos 25 anos adiantados diante da engenharia social e desinformação correntes, temos o mapa e o cenário. A Real é uma ciência exata.

O estrago feminazi/marxista cultural é grande no Brasil em termos de desconstrução/desconstituição/destruição de famílias tem eficiência melhor do que as batalhas da 2 guerra mundial e bombas atômicas lançadas em grandes capitais. O efeito deletério da maldição radioativa psíquica e tóxica transformou o país numa civilização em decomposição mental e espiritual.

Destruíram o MS-DOS civilizacional. O inimigo dos betas são os comunistas, inclusive autoridades.

Todos irão viver o grande sonho de familia americana no Br? trollface Classe média, familia, tradição e propriedade  Gargalhada

Enquanto a intocável e  protegida casta comunista não for deposta e varrida do mapa o brasileiro não poderá voltar a sonhar e respirar aliviado.

[Image: size_960_16_9_familia-americana-nos-anos-50.jpg]


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - Berzerk - 22-01-2020

(20-01-2020, 01:36 AM)Trunks Escreveu: Os anos 20 nos dirão se essa suposta liberdade e a falta de preocupação em casarem farão elas felizes como elas alegam, ou se teremos uma horda de depressivas...

Aquele cara do MGTOW (Racoon) tem uma teoria pra essa afirmação...
Ele acha que essa horda de mulheres depressivas, que em algum momento (depois dos 35, por aí) serão desprezadas pelos alfas e depois até mesmo pelos betas (que apesar de sentirem nojo por eles, os aceitariam para não ficarem só) casarão com o ESTADO.
Elas formarão uma massa de eleitores que forçarão o Estado a criar leis que farão os homens pagarem (através de todo tipo de ajuda estatal) o sustento delas. Essas mulheres "sustentadas pelo estado" ficarão AINDA MAIS amargas e chatas.

------------------

A minha teoria pessoal INFELIZMENTE não é nada boa para os Homens. Eu acredito, pelas minhas observações, que as mulheres são muito menos "bobinhas" do que se imagina e estão se adaptando ao jogo. Noto que várias AGORA MESMO estão "sacando o timing" de parar com a putaria no carrossel de rolas (ali pelos 26-29 anos) e achar um cara pra casar/morar junto e ter filhos. Boa parte delas estão "entendendo" que tem hora pra levar a vidaloka e hora pra achar o trouxa.
Claro que tem várias que não percebem isso e quando começam a ser rejeitadas para trepadas casuais já é tarde demais, o corpo já caiu além do aceitável e o beta tem coisa melhor pra investir. Aí a depressão é certa. Conheço duas mulheres bem nessa situação: 33-35 anos, corpo já caidinho e vivem em micaretas, festas, litoral no fds, vão sozinhas e voltam sozinhas (ou seja, vão só pra trepar mesmo). TODAS as fotos delas no insta só mostrando peito, bunda, de biquini e roupas sumárias mesmo. Já começou a reclamação de que "ninguém quer nada sério".  Ah, é mesmo? Mais uns 3 anos e já estarão criando gatos...
Mas tem umas bem espertas, viu. Trepam feito loucas e ainda com o corpo bem em cima trocam de bairro (ou cidade, dependendo do lugar onde mora) e mudam o modus operandi... fiquem espertos e reparem.


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - WhiteWolf - 31-01-2020

Bom texto, me veio a lembrança dos anos 2000. Realmente as relações eram muito mais naturais e verdadeiras. Até as fotos são diferentes, eram mais reais. Quanto ao instagram,
nunca entendi o significado de "stories", uma postagem instantânea que se autodestruirá... E o zumbi (usuário) fica lá 24 horas publicando e mostrando para os amigos o quanto a vida dele é "interessante". Quem não usa essa ferramenta é considerado um ninguém, que não tem uma vida "interessante".

As vezes que analisei o perfil de mulheres nessa rede social, observei que é como aquela vitrine de prostitutas da holanda, só que digital. E é muito gay, drogado, lésbica e lacrador por metro quadrado escrevendo textão sob efeito de droga. É a rede social onde mais se encontra gente vazia.


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - Escandinavo - 29-03-2020

Excelente publicação confrade.
Acredito que oss apps de namoro ( Tinder, Badoo, Happn.. etc) são ainda mais agressivos no que diz respeito à inflar o ego feminino. Eu já fiz algumas experiências no Tinder, como criar um perfil fake feminino pra ver o comportamento do gado, neste primeiro caso eu peguei fotos de uma mulher mediana e criei um perfil, em menos de 20 minutos eu já tinha 100 likes e o assédio era enorme.

Já no segundo caso eu criei um perfil de um homem bem sucedido e misterioso e ofereci dinheiro (350 Bolsonaros) para foder mensalmente com as civis, e pasmem a grande maioria das mulheres aceitaram. Mulheres de todos os estilos, desde novinhas bonitinhas com tudo em cima, até balzaquianas. Inclusive uma mulher (M$ol) disse pra mim que tinha gostado da ideia e acabou criando um perfil novo aonde dizia na descrição que estaria disposta a aceitar $ por sexo.


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - Hombre de hielo - 31-03-2020

(21-01-2020, 07:33 PM)Hombre de hielo Escreveu: Duvido que venha a existir um puteiro maior para as mulheres (heterossexuais) do que o Instagram. Através de cliques elas podem conseguir modelos pra transar e caras que aparecem em fotos de viagens pra namorar (casar já é outra estória). Um realista que se preze, EM NENHUMA HIPÓTESE, deve ter um perfil no Instagram, no máximo, no Facebook (já acho muito).

Se o Fotolog tivesse sido mais objetivo e tivesse um melhor 'layout'... o Instagram nem existiria!


(20-01-2020, 01:36 AM)Trunks Escreveu: e também surge um novo tipo de prostituição, a chamada prostituição híbrida, que consiste em camuflar-se através de "modelo" e ao qual o Instagram passa a ser a vitrine e os clientes altamente selecionados, geralmente através de intermédios de terceiros.

E tem as que, 'misteriosamente', vivem viajando mesmo não trabalhando e vindas de uma família de fudidos.

O TikTok tem tudo pra derrubar o Instagram, e com isso limitando o puteiro das mulheres heterossexuais. Conheço algumas mulheres populares no Instagram que até tem conta no TikTok, mas a maioria posta pouco. Fazer vídeos nem que seja de 15 segundos é mais custoso do que tirar fotos e editá-las. Tem mulher querendo fazer do TikTok uma extensão do Instagram, gravando vídeo, ficando parada e sem falar nada.


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - Realistic_20 - 31-03-2020

Ir ao instagram é simplesmente degradante, são aos milhares as mulheres que ganham a sua vida a postar fotos íntimas e a receber por isso à custa dos milhões de gado que as seguem, até mesmo a mulher mediana comum entra nesse jogo E isso representar o modelo ideal e o patamar máximo que tanta gente gostaria de alcançar é um reflexo da degradação da nossa sociedade. Uma mulher ganha imediatamente pontos na minha consideração quando me diz que não usa essa rede, é logo um bom indicador.

Nos aplicativos de namoro, muitas mulheres vão para lá sem quaisquer intenções de se relacionar com alguém e sim com o intuito de aferir o seu status, só para verem quantos homens lhes dão em cima. E como já se viu, são muitos..completamente famintos e desesperados por migalhas de atenção.

Da minha parte, recuso fazer parte da roda e alimentar o jogo. Uso facebook para ver o feed e falar com pessoas próximas, nada mais.


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - Crixus - 31-03-2020

(31-03-2020, 10:38 AM)Realistic_20 Escreveu: Ir ao instagram é simplesmente degradante, são aos milhares as mulheres que ganham a sua vida a postar fotos íntimas e a receber por isso à custa dos milhões de gado que as seguem, até mesmo a mulher mediana comum entra nesse jogo E isso representar o modelo ideal e o patamar máximo que tanta gente gostaria de alcançar é um reflexo da degradação da nossa sociedade. Uma mulher ganha imediatamente pontos na minha consideração quando me diz que não usa essa rede, é logo um bom indicador.

Nos aplicativos de namoro, muitas mulheres vão para lá sem quaisquer intenções de se relacionar com alguém e sim com o intuito de aferir o seu status, só para verem quantos homens lhes dão em cima. E como já se viu, são muitos..completamente famintos e desesperados por migalhas de atenção.

Da minha parte, recuso fazer parte da roda e alimentar o jogo. Uso facebook para ver o feed e falar com pessoas próximas, nada mais.
Quer ficar chocado com a hipergamia feminina? Experimente o tik tok.


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - Livre - 01-04-2020

(31-03-2020, 11:32 PM)Crixus Escreveu:
(31-03-2020, 10:38 AM)Realistic_20 Escreveu: Ir ao instagram é simplesmente degradante, são aos milhares as mulheres que ganham a sua vida a postar fotos íntimas e a receber por isso à custa dos milhões de gado que as seguem, até mesmo a mulher mediana comum entra nesse jogo E isso representar o modelo ideal e o patamar máximo que tanta gente gostaria de alcançar é um reflexo da degradação da nossa sociedade. Uma mulher ganha imediatamente pontos na minha consideração quando me diz que não usa essa rede, é logo um bom indicador.

Nos aplicativos de namoro, muitas mulheres vão para lá sem quaisquer intenções de se relacionar com alguém e sim com o intuito de aferir o seu status, só para verem quantos homens lhes dão em cima. E como já se viu, são muitos..completamente famintos e desesperados por migalhas de atenção.

Da minha parte, recuso fazer parte da roda e alimentar o jogo. Uso facebook para ver o feed e falar com pessoas próximas, nada mais.
Quer ficar chocado com a hipergamia feminina? Experimente o tik tok.

Já ouvi falar bastante, e sempre vejo em anúncios patrocinados, alguns trechos de vídeos, porém não baixei e nem vou baixar essa merda ! Pelo oque já ouvi é perda de tempo total, mas pra mangina e as superpoderosas é um prato cheio mesmo !


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - Faller - 02-08-2022

Excelente tópico! E tá cada vez pior, qualquer mediana se acha a estrela, nem mais abre uma mensagem. Até em balada a mulherada tá olhando com desdém pra quem não é um blogueirinho local.


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - consigliere - 02-08-2022

(20-01-2020, 09:15 AM)Patrulheiro Escreveu: Quando eu li a biblioteca da Real interiorizei os ensinamentos e pude perceber as manobras femininas e sua forma de agir.

Fiquei na fase da revolta, tudo bem, mas aliado a outros ensinamentos, pude mesclar e tirar proveito disso, a saber, que não vale a pena se relacionar seriamente hoje em dia com essas mulheres, mas que não devemos arredá-las.

O que vejo na Real, é que muitos post's beiram a uma certa raiva das mulheres, como se elas nos devessem alguma coisa.

Sim, alguns homens desse fórum parecem esquerdistas imundos que acham que as mulheres bonitas nos devem alguma coisa, como os nazicomunistas acham os ricos.

Diabólico.

Desde que o mundo é mundo é assim: homens com poder têm barganha, mulheres com poder têm barganha, homens com dinheiro têm barganha, mulheres com dinheiro têm barganha.

E claro que hoje essa percepção está escancarada em nossos olhos devidos as mídias sociais, mas sempre foi isso.

E daí que a Carol Nakamura não sai com um cidadão médio? Ela deveria? Quanto coitadismo DIABÓLICO.

Enquanto eu sou um jardineiro humilde, que nado no oceano, como carnes frescas e faço boxe de dia, tem homem comendo modelos em orgias incríveis. E é isso. Vou lamentar? De forma alguma.

Devemos nos aproveitar dessa hipergamia feminina. Eu já devo ter comido mais mulheres que qualquer rei da idade média e olha que sou apenas um humilde jardineiro. E provavelmente qualquer homem nota 6 também.

Agora, as últimas linhas foram tenebrosas de digerir.

O autor do tópico se sente mal pelas fotos publicadas das mulheres que ele nunca vai ter? Que gay!

Quanto coitadismo. Estão igual aquelas mulheres que dizem que as mulheres não podem postar foto de corpo padrão porque aflige quem não tem.

Diabólico.

No mais, esqueça esse coitadismo todo e se reinvente: ternos personalizados, charutos, boxe, surf, vodka, coqueiros e curta a vida. E transe.

E o principal: delete essa merda de Instagram. É tão gay.

Mantenha-se low-profile.
 A REAL PRECISA DE CADA VEZ MAIS PATRULHEIROS.
NOSSA COMUNIDADE URGE POR MEMBROS DESSE QUILATE.


RE: Instagram, Hipergamia Feminina e Síndrome de Christian Grey - War - 02-08-2022

(02-08-2022, 11:57 AM)consigliere Escreveu:
(20-01-2020, 09:15 AM)Patrulheiro Escreveu: Quando eu li a biblioteca da Real interiorizei os ensinamentos e pude perceber as manobras femininas e sua forma de agir.

Fiquei na fase da revolta, tudo bem, mas aliado a outros ensinamentos, pude mesclar e tirar proveito disso, a saber, que não vale a pena se relacionar seriamente hoje em dia com essas mulheres, mas que não devemos arredá-las.

O que vejo na Real, é que muitos post's beiram a uma certa raiva das mulheres, como se elas nos devessem alguma coisa.

Sim, alguns homens desse fórum parecem esquerdistas imundos que acham que as mulheres bonitas nos devem alguma coisa, como os nazicomunistas acham os ricos.

Diabólico.

Desde que o mundo é mundo é assim: homens com poder têm barganha, mulheres com poder têm barganha, homens com dinheiro têm barganha, mulheres com dinheiro têm barganha.

E claro que hoje essa percepção está escancarada em nossos olhos devidos as mídias sociais, mas sempre foi isso.

E daí que a Carol Nakamura não sai com um cidadão médio? Ela deveria? Quanto coitadismo DIABÓLICO.

Enquanto eu sou um jardineiro humilde, que nado no oceano, como carnes frescas e faço boxe de dia, tem homem comendo modelos em orgias incríveis. E é isso. Vou lamentar? De forma alguma.

Devemos nos aproveitar dessa hipergamia feminina. Eu já devo ter comido mais mulheres que qualquer rei da idade média e olha que sou apenas um humilde jardineiro. E provavelmente qualquer homem nota 6 também.

Agora, as últimas linhas foram tenebrosas de digerir.

O autor do tópico se sente mal pelas fotos publicadas das mulheres que ele nunca vai ter? Que gay!

Quanto coitadismo. Estão igual aquelas mulheres que dizem que as mulheres não podem postar foto de corpo padrão porque aflige quem não tem.

Diabólico.

No mais, esqueça esse coitadismo todo e se reinvente: ternos personalizados, charutos, boxe, surf, vodka, coqueiros e curta a vida. E transe.

E o principal: delete essa merda de Instagram. É tão gay.

Mantenha-se low-profile.
 A REAL PRECISA DE CADA VEZ MAIS PATRULHEIROS.
NOSSA COMUNIDADE URGE POR MEMBROS DESSE QUILATE.

Post fulminante, falo a real sem dó