Fórum da Real - Legado Realista

Versão completa: [Relato] Traição = Nojo
Você está visualizando uma versão simplificada de nosso conteúdo. Ver versão completa com a formatação apropriada.
[Relato] Traição = Nojo
(Por Larry)

[Image: ZtVIreN.jpg?1]

Olá, senhores.
Bem, é meu primeiro post aqui. Gostaria que tivessem a paciência de ler e, se possível, comentar em seguida. Haverá uma 'continuação' pra essa história,  portanto, é imprescindível que a leiam pra entender o próximo post. Não vou me prender muito aos detalhes para não ficar muito extenso, mas fiquem a vontade pra perguntar qualquer coisa.

Conheci uma garota pela internet, começamos a namorar virtualmente (na verdade foi da parte dela, sou extremamente cético pra esse tipo de situação) e fui conhecê-la depois de uns 6 meses. Estados com distância de 2 mil km entre eles. O negócio 'deu certo', ficamos 20 dias praticamente grudados. Ela inclusive me deu uma aliança, além de alguns presentes (eu não dei absolutamente nada, se bem que uma viagem dessas, além de hospedagem, saídas, etc., ficaram bem mais caras).

Depois disso começamos a namorar efetivamente. Estava no último semestre da faculdade, além de estar trabalhando. Foi uma correria absurda. Nesse meio tempo ela veio duas vezes pra minha casa passar um mês em cada uma. Ela tatuou meu nome, inclusive. Depois de 8 meses de idas e vindas, mudei próximo a ela. Logo em seguida fomos morar com a mãe dela em um país europeu (onde ela havia vivido por 10 anos). Nesse período houve muitas brigas, e inclusive terminei uma vez pois ela me xingou e não tolerei. Mas depois de muito choro, parentes me ligando pedindo pra reconsiderar, resolvi dar uma chance, afinal, um namoro desse tipo requer (ou não) posturas diferentes.

Ao chegar na casa da 'sogra', começou um grande inferno. A mulher simplesmente não gostou de mim. Pois eu era muito quieto e anti-social, na visão dela. Além disso, havia muitos desentendimentos sérios entre mãe e filha (brigas sempre com xingamentos e ofensas graves).

----

Até que, num belo dia, depois de uma série de brigas entre eu ela... Peguei seu notebook e comecei a dar uma pesquisada. Olhei seus registros de conversa na época do antigo MSN. Me deparei com conversas realmente complicadas com várias pessoas, em especial um amigo.

----

Fui lendo de trás pra frente e inclusive foi necessário recuperar algumas conversas que já haviam sido apagadas. Peguei também senhas de e-mails, Orkut, Yahoo Answers e etc.

Enfim, resumindo, vou dizer o que encontrei:
- Amizade colorida com esse sujeito nos primeiros 6 meses do nosso namoro;
- Falava coisas extremamente particulares minhas pra ele e outras pessoas;
- Nesses 6 meses ela costumava vê-lo na webcam, onde ele se mostrava pelado, com o pau duro, etc. E ela se exibia também. chegaram trocar fotos nus. 
- Ele tentou de todas as formas 'conquista-la', mas parece que ela optou por mim ¬¬;
- Ela me traiu nessa época (efetivamente). Saiu de balada com duas amigas, sendo que uma tinha namorado. O namorado da amiga chegou junto, ficou tentando, até que conseguiu (estava completamente chapada de maconha e vodka)... A amiga viu e deu piti. Conclusão, o cara e ela foram pra casa dele e a namorada ficou na poeira. (depois do ocorrido dizia estar muito arrependida pro amigo e etc., o que evidentemente não importa);
- Além disso ela reclamava demais de mim pra todo mundo, inclusive tinha conversas bem 'obscuras' com a mãe... Do tipo "você é nova, precisa curtir a vida";
- No Yahoo Answers vi perguntas (anteriores a eu ficar com ela) como: "Socorro! Fiz sexo anal, vaginal e oral com um amigo, sem camisinha e agora está saindo um líquido fedido da minha vagina, o que pode ser?!".

Conclusão, automaticamente peguei uma repugna absurda. Um nojo que só quem passou por algo parecido sabe descrever. Quando ela chegou em casa, apenas mostrei um resumo das informações que havia coletado. Ela surtou, confirmou (lógico, né). Disse que se sentia horrível de guardar isso e etc.
Disse pra ela simplesmente não cruzar na minha frente e que iria embora o quanto antes. Algumas horas depois, a irmã dela começou a dar uns gritos no banheiro. Ela havia ingerido caixas de calmantes da mãe. 4 dias no hospital e quase morreu.

Eu voltei pra minha casa.

----

Acho que a primeira pergunta que vocês podem "velho, você não percebeu essa porra antes?" Não percebi. Estava atolado com faculdade e trabalho. Achei que a neurose dela com ciúmes, além da aliança, tatuagem, presentes era mais do que suficiente pra eu confiar tranquilamente. Além do mais, acreditava (até então) na idiotice de SE EU FOR CORRETO COM ELA, ENTÃO ELA TAMBÉM SERÁ COMIGO, afinal, eu estava na faculdade, e oportunidades eram o que não faltavam.

Pra finalizar, uma frase pra os guerreiros (que provavelmente já sabem) que chegaram até o final do relato:

Não basta ser correto, honesto, honrado. Tem que ser LIGEIRO também. Pra depois não vir com o papo de "há fui sempre certinho e me zoaram, agora vou sacanear também".

Obrigado pela atenção, amigos.

Esse tópico faz parte do projeto Segunda das Relíquias perdidas.