Fórum da Real - Legado Realista

Versão completa: Lockdown: a nova ideologia totalitária
Você está visualizando uma versão simplificada de nosso conteúdo. Ver versão completa com a formatação apropriada.
Páginas: 1 2 3 4
Lockdown: a nova ideologia totalitária
Vivenciamos o novo fanatismo do século


[Image: 3298.png]


Toda ideologia política tem três elementos: uma visão do inferno com um inimigo que tem de ser esmagado; uma visão de um mundo mais perfeito; e um plano de transição de um para o outro. 

Os meios de transição geralmente envolvem a tomada e a subsequente utilização total da ferramenta mais poderosa da sociedade: o estado.

Por esta razão, a tendência das ideologias é serem totalitárias. Eles dependem fundamentalmente de sobrepujar as preferências e escolhas dos indivíduos e substituí-las por um sistema de crenças e comportamentos planejado por algum comitê de iluminados.

Um caso óbvio é o comunismo. O capitalismo é o inimigo. Controlar os trabalhadores e abolir a propriedade privada seria o paraíso. E os meios para se alcançar isso seriam a expropriação violenta das posses da burguesia, com o assassinato dos resistentes.

O socialismo oferece uma versão mais suave do mesmo projeto: na tradição fabiana, você alcança estes mesmos objetivos por meio do planejamento econômico gradual.

A ideologia do racismo postula algo diferente. O inferno seria a integração étnica e a mistura de raças. O paraíso seria a homogeneidade racial. E os meios de mudança são a marginalização ou o genocídio de algumas raças.

O fascismo vê o livre comércio global, o individualismo e a imigração como os inimigos, ao passo que um poderoso nacionalismo seria o paraíso. E a maneira de se fazer a transição é tendo um grande líder. Você pode observar as mesmas características em certos tipos de tradicionalismo religioso teocrático.

Cada uma dessas ideologias vem com um foco intelectual principal, algum tipo de estória projetada para chamar a atenção. Exploração. Desigualdade. Teoria racial. Identidade nacional. Salvação. E cada uma vem com sua própria linguagem para sinalizar o apego à ideologia.  

Praticamente todas as ideologias acima já são bem conhecidas e já estão bem desgastadas. O mundo já tem muita experiência prática com cada uma delas. É possível simplesmente recorrer à história para observar os padrões, reconhecer seus apoiadores e refutar suas teorias.

A nova ideologia totalitária

O ano de 2020 nos deu uma nova ideologia com tendências totalitárias. Ela possui uma visão do inferno, do céu e um meio de transição. Possui um aparato de linguagem único. Tem um foco mental. Possui sistemas de sinalização para revelar e recrutar adeptos.

Essa ideologia tornou-se mundialmente conhecida como "lockdown". Podemos também adicionar o sufixo "ismo" à palavra: lockdownismo.

Sua visão do inferno é uma sociedade na qual os patógenos circulam livremente. Seu paraíso é uma sociedade controlada inteiramente por tecnocratas médicos, cuja principal tarefa é a supressão de todas as doenças. O foco mental são os vírus e outras pragas. A antropologia é considerar todos os seres humanos como pouco mais do que sacos recheados de patógenos mortais. As pessoas suscetíveis à ideologia são as pessoas com vários graus de misofobia — outrora considerada um problema mental, mas que agora foi elevado à condição de consciência social.

O ano de 2020 foi o primeiro teste do lockdownismo. Ele já chegou impondo os controles mais intrusivos, abrangentes e praticamente globais de seres humanos na história registrada. Mesmo em países onde o Estado de Direito e as liberdades individuais são fontes de orgulho nacional, as pessoas foram colocadas em prisão domiciliar. Suas igrejas e empresas foram fechadas. Milhões de empreendedores e trabalhadores foram humilhados pelo estado, o qual, além de proibi-los de trabalhar, ainda afirmou que suas atividades não eram essenciais para ninguém. A polícia foi estimulada a impingir todos os decretos draconianos e a prender dissidentes que oferecessem qualquer resistência.

A devastação é comparável a períodos de guerra, exceto pelo fato de que foi uma guerra imposta pelo governo ao direito das pessoas de se locomoverem e comercializarem livremente.

E o que é mais impressionante é que, depois de tudo isso, ainda não foi apresentada uma mísera evidência empírica, de qualquer lugar do mundo, de que esta política totalitária, estupefaciente e sem precedentes teve algum efeito em controlar o vírus, para não dizer em aniquilá-lo.

Ainda mais impressionante, os poucos locais que permaneceram completamente abertos (Dakota do Sul, Suécia, Tanzânia, Bielorrússia) não perderam mais do que 0,06% da sua população para o vírus, em contraste a locais como Nova York e Grã-Bretanha, que se fecharam totalmente e apresentaram as mais altas taxas per capita de mortalidade.

A mesma metodologia

Logo no início, a maioria das pessoas concordou, pensando que a mediada era de alguma forma necessária e de curto prazo. Duas semanas se estenderam para 30 dias, que se estenderam para 7 meses, e agora somos informados de que nunca haverá um momento em que não mais seremos obrigados a continuar professando essa nova fé de política pública. Trata-se explicitamente de um novo totalitarismo. E, como ocorre com todos esses regimes, há um conjunto de regras para os governantes e outro distinto para os governados.

O aparato da linguagem agora é incrivelmente familiar: achatamento da curva, desaceleração da disseminação, distanciamento social, contenção em camadas direcionadas, intervenção não-farmacêutica. 

O inimigo é o vírus e qualquer pessoa que não esteja vivendo sua vida de maneira exclusivamente voltada a evitar a contaminação. Como você não pode ver o vírus, isso geralmente significa gerar uma paranóia sobre O Outro: alguém diferente de você tem o vírus. Qualquer um pode ser um super disseminador, e você pode reconhecê-los por seu comportamento desobediente e não-submisso.

Repentinamente, "especialistas" e autoridades ao redor do mundo impuseram restrições sobre quem você pode receber em sua casa, proibiram todos os eventos, aboliram as viagens, e até mesmo atiçaram desconfiança contra animais de estimação. Tudo isso levou ao efetivo desmantelamento da rotina em todas as cidades, algo que ainda está longe de se recuperar.

O novo puritanismo e o desprezo pelas consequências

A postura dos adeptos do lockdown almeja uma sociedade de volta ao estado da natureza, com uma idílica purificação da vida. Essa neurose com uma sociedade sem patógenos ajuda a explicar uma das mais estranhas características do lockdownismo: seu puritanismo.

Observe que o lockdown atacou especialmente qualquer coisa que se pareça com diversão: filmes, teatros, eventos culturais, esportes, viagens, boliche, bares, restaurantes, hotéis, academias e clubes. Ainda agora existem locais com toques de recolher para impedir as pessoas de ficarem fora de casa até tarde — sem absolutamente nenhuma justificativa médica.

Se uma atividade é divertida, ela vira um alvo.

Existe um elemento moral aqui. O pensamento é que, quanto mais as pessoas estão se divertindo, quanto mais escolhas elas fazem por conta própria, mais doenças (pecados) se espalham. Trata-se de uma versão sanitária da ideologia religiosa de Savonarola, que levou à Fogueira das Vaidades

O lockdownismo tem todos os elementos esperados. Tem um foco maníaco em uma única preocupação — a presença de patógenos —, com a exclusão de todas as demais preocupações. A menor das preocupações é a liberdade humana. A segunda menor preocupação é a liberdade de associação. A terceira menor preocupação são os direitos de propriedade. Tudo isso deve se curvar à disciplina tecnocrática dos mitigadores de doenças. 

As constituições e os limites ao governo não importam. E observe também quão pouco a terapêutica médica aparece. Não se trata de fazer as pessoas melhorarem. Trata-se apenas de controlar toda a vida.  

E vale notar também que não se deu a mais mínima atenção para as consequências não-premeditadas. A destruição de milhares de pequenas empresas e empregos levou milhões à depressão (com aumento substantivo no número de overdoses e suicídios). As vidas de incontáveis milhões ao redor do mundo foram despedaçadas. Em outras palavras, o lockdown não apenas não alcança bons resultados em termos de saúde pública, como, ao contrário, ele faz o oposto.

Isso nada mais é do que puro fanatismo, uma espécie de insanidade forjada por uma visão selvagem de um mundo unidimensional em que toda a vida é organizada em torno da prevenção de doenças. 

Note-se, também, a ignorância (intencional) do fato de que nossos organismos (por meio do sistema imunológico) evoluíram junto com os vírus ao longo de um milhão de anos. Não há nenhum reconhecimento dessa realidade, mesmo entre os "especialistas". 

Ao contrário, o único objetivo é tornar o "distanciamento social" o novo credo nacional. 

O objetivo

Isso tem de ser dito mais claramente: o que tudo isso realmente significa é a imposição da separação humana forçada. Significa o desmantelamento de mercados, cidades, eventos esportivos presenciais e o fim do seu direito de circular livremente. 

Todo o argumento se baseia em um simples erro: a crença de que mais contato humano dissemina mais doença e mortes. Em contraposição a essa insanidade, a eminente epidemiologista de Oxford Sunetra Gupta argumenta que a globalização e mais contato humano amplificaram as imunidades e tornaram a vida vastamente mais segura para todos.

Os defensores do lockdown foram surpreendentemente bem-sucedidos em convencer as pessoas de seus pontos de vista malucos. Todo o necessário é você acreditar que o único objetivo de todos na sociedade é evitar o vírus. A partir daí, todas as implicações se tornam explícitas. Antes que você perceba, você já se juntou a um novo culto totalitário.

Para concluir

Os lockdowns estão cada vez menos parecidos com um gigantesco erro e cada vez mais semelhantes a uma ideologia política fanática, um experimento político que ataca frontalmente os postulados básicos da civilização. 

Já passou da hora de levarmos essa ideologia a sério e combatê-la com o mesmo fervor com o qual indivíduos livres resistiram a todas as outras ideologias maléficas que visavam a destituir a humanidade de toda a sua dignidade, e a substituir as liberdades individuais pelos terríveis sonhos de intelectuais e seus fantoches empoleirados nos governos.


Fonte:
https://www.mises.org.br/article/3298/lo...otalitaria


[Image: 05%20Ouro.png]
2021
Tópico - Vencedor
Mises Brasil e Inst. Rothbard, podem ler tudo que é sucesso!
Confrade, muito interessante o texto, nunca parei pra enxergar dessa forma.

Parece até uma narrativa de george orwell, mas infelizmente é a realidade.

Engraçado que tudo que os governos totalitários querem é exatamente oq foi citado, querem consumir o ser humano e acabar com qualquer tipo de diversão.

Os estados só querem uma coisa, e não é a garantia da saúde doas cidadãos, mas sim a grana da União por causa do "estado de calamidade pública".
Já fiz merda para cacete na vida, tentei desputanizar quengas, já votei no Lula, mas pelo menos me orgulho de que não defendi essa porcaria de ação chamada lockdown, nem na época que esta praga chinesa chegou ao Brasil, tal ação é um acinte a liberdade e auto-determinação do indivíduo.

Os governantes encheram a burra de dinheiro, colocaram safenados como mortos por covid e não fizeram sua parte no aparelhamento emergencial para evitar o "colapso do sistema de saúde", como se o SUS fosse bom pra caramba, mesmo antes da pandemia.

E por grata surpresa os Ancaps e libertários foram os primeiros a perceber este teatro ridículo que é a pandemia, e para todos os efeitos, a Covid existe sim, já pandemia é a construção fantasiosa deste fenômeno que vai justificar qualquer ação abestada do estado em nome da "ciência".

Apesar do alardeamento alarmista e neurótico da mídia o povão não cai mais nas incoerências de discurso, onde o próprio indivíduo se ferra em transporte lotado e não pode ir ao seu culto ou o motoboy que rala na pista para levar o ifood para turma do fica em casa, ainda é chamado de genocida se resolver levar sua namoradinha para beber uma cerveja no barzinho. O povão cansou desta merda, felizmente!

A nova moral social limpinha e permeada de frases fofinhas, é capaz de pensar e justificar as maiores barbaridades e ao pior totalitarismo a níveis jamais pensados, quem viver verá!

Isto sem contar com a nova e disfuncional proposta de um "novo normal", ou seja, diabólico!
Minha cidade não irá fazer lockdowns pela pressão do povo, sinal de que as pessoas estão ficando cada vez mais de saco cheio disso ai.
Será interessante ver se vai haver alguma diferença significativa nela para as outras, provavelmente não, e vão jogar tudo para baixo dos tapetes.
De qualquer forma, eu não duvido que a taxa de mortalidade não diminua magicamente na época das eleições, ou quando o lula for eleito.

Mas eu não espero que as coisas vão melhorar, não espero que o povo vá contra isso, eu perdi a fé nas pessoas, a maioria são ovelhas, e essas ovelhas agora serão guiadas por lobos, a única coisa possível a se fazer é pular a cerca e sair correndo enquanto dá.

Não tem como lutar mais contra isso, eu ouvi uma live recente do Átila, o cara é convincente, tem base ciêntifica, qualquer pessoa mais "nornimie" cai fácil na lábia dele, concorda que tem que cortar da própria carne em pról de um bem maior, e fica por isso mesmo.

As pessoas só vão acordar quando for tarde demais, da mesma forma que foi na união soviética e na ditadura nazista, não adianta.
Estou vendo alguns camaradas aqui no fórum cravando a eleição do BANDIDO e CHACEIRO em 2.022.
Calma, porra.

Os comunistas não prestam quando estamos em sã consciência, ainda mais com essa histeria toda.
Está uma merda e vai piorar até lá, mas só joga a toalha quem é fraco.

Acerca do lockdown, o Estado que deve ser observado de perto por nós é o Texas.
A mídia, com absoluta certeza, não vai noticiar nada a respeito, então precisamos ir atrás das notícias.

Eles abriram a porra toda e inclusive não há mais a obrigatoriedade das máscaras.
É o único Governador que está peitando a ditadura chinesa travestida de Biden.
@hjr_10 cara, queria ter esse otimismo, mas pros caras ficarem anos no poder, alguma esperteza eles tiveram e tem, não é a toa que, de certa forma, a narrativa estúpida deles está dominando a porra e toda, e de qualquer forma, o comunistinha padrão é só uma marionete descartável, agora, os socialistas globalistas são outros 500, esses ai são espertos e diabólicos, não tem nada de tolos.
(11-03-2021, 08:14 PM)hjr_10 Escreveu: [ -> ]Estou vendo alguns camaradas aqui no fórum cravando a eleição do BANDIDO e CHACEIRO em 2.022.
Calma, porra.

Os comunistas não prestam quando estamos em sã consciência, ainda mais com essa histeria toda.
Está uma merda e vai piorar até lá, mas só joga a toalha quem é fraco.

Acerca do lockdown, o Estado que deve ser observado de perto por nós é o Texas.
A mídia, com absoluta certeza, não vai noticiar nada a respeito, então precisamos ir atrás das notícias.

Eles abriram a porra toda e inclusive não há mais a obrigatoriedade das máscaras.
É o único Governador que está peitando a ditadura chinesa travestida de Biden.

Queria ter esse teu otimisto que nem o colega disso acima, um ministro de bosta deu uma canetada pra tirar o processo dele e tu acha que nada pode acontecer no Tse em 2022?

Hoje quem manda no Brasil são 11 pessoas, os '3 poderes' de antigamente, hoje virou 1.
E onde vocês leram nesse tópico eu dizendo que está fácil e garantido para o Bolsonaro, porra?
Isso do STF mandar no Brasil eu estou dizendo há anos, fiz um milhão de tópicos neste reduto já, inclusive.

Muito menos estou otimista. O que eu disse é que vocês estão cravando algo totalmente incerto e imprevisível e que histeria de balzaca traída não vai resolver absolutamente nada.
Do contrário, peço aos senhores que nos informem quais serão os números da mega, porra.

Vocês estão parecendo a mídia bandida da Globo. Você diz A e eles noticiam X.
Puta que o pariu.

Todo cuidado com esses canalhas comunistas é pouco.
Mas segurem os cu.
@hjr_10 cara, ao meu ver é quase certo uma reileiçao do molusco, a questão é, após a releição dele, vai haver formas de sair do país, caso sim, beleza, é só pegar um cargo público que paga bem, daqueles que vão explodir na era lula. Passar, juntar uma boa grana, e até 2025 ou 6, estar com tudo pronto para se mudar para um país decente, estou cada vez mais apostando nos países baixos, na russia, ou na africa do sul, vamos ver.
(12-03-2021, 03:57 AM)Reale Escreveu: [ -> ]@hjr_10 cara, ao meu ver é quase certo uma reileiçao do molusco, a questão é, após a releição dele, vai haver formas de sair do país, caso sim, beleza, é só pegar um cargo público que paga bem, daqueles que vão explodir na era lula. Passar, juntar uma boa grana, e até 2025 ou 6, estar com tudo pronto para se mudar para um país decente, estou cada vez mais apostando nos países baixos, na russia, ou na africa do sul, vamos ver.

Tem certas coisas que são FACÍLIMAS de escrever, mas de fazer... são quase impossíveis.
"...é só pegar uma cargo público..."
Primeiro que não era fácil antes, muito menos agora. E muito menos ainda no futuro.
NÃO TEM MAIS DINHEIRO.
Já era, acabou. 
MAL TEM pra pagar os sanguessugas que já estão lá no "...cargo público que paga bem..."
Se for basear sua estratégia de vida numa miragem dessas, tá fudido, meu irmão.
A outra parte é "...se mudar pra um país decente..."
Parece uma moleza isso, não é mesmo? Fácil demais!
Dê uma olhada na Argentina, que fez isso que pelo jeito vai acontecer no BR: colocou o Lula deles de volta no poder.
Estão completamente, amplamente e totalmente FUDIDOS. Não tem grana pra pagar o funcionalismo que já existia antes.

Então, qual é a "jogada"?
Pra quem está pensando em cair fora do BR? Vá embora AGORA.
Ah, Berzerk, mas agora não dá, não tenho dinheiro, tá difícil.
Pois é, mais pra frente vai estar mais difícil AINDA.

E eu? Eu não tenho como sair daqui. Tô fudido.
Concordo com o que disse, confrade @Berzerk, mas mesmo que não de certo em um cargo mais ou menos grande, um cargo low-tier já me daria oportunidade de conseguir juntar um pouco mais de dinheiro enquanto isso ainda é possível por aqui, e esses cargos vão existir, seja de baixo, ou de alto nível, porque como ele já fez lá no passado, ele vai ignorar complementa o contexto da economia e como ela funciona como um todo, e vai simplesmente encher o país de cargos, "porque é disso que povão gosta", então no fim das contas, uma nova era de concursos vai acabar voltando, or um período de tempo menor, mas eu acredito que vai voltar sim, pura e simplesmente porque ele vai cagar para  contexto econômico atual.

Antes dessa palhaçada toda eu sempre ouvi de vários lugares "mas reale, o brasil é um país bom se comparado as os outros, temos mulheres gotosas, um clina bom, e outros desastres naturais"  se voce parar para pensar bem, é um paraíso mesmo, se você tirasse todo o contexto político da jogada, mas infelizmente esse contexto existe, e acaba não só anulando, como sendo um contraponto muito mais forte, se comparado as "coisas  boas naturais" que esse país tem a oferece".

Também já ouvi diversas vezes "mas, reale, veja bem, em outros lugares do mundo você será tratado como cidadão de segunda classe, muitos lugares lá são xenofóbicos". 

Mas se você parar para pensar bem, aqui você já não é tratado como cidadão de segunda classe? A agenda globalista já entrou aqui faz muito tempo e tudo que der errado no governo lula será culpa dos vestígios da era bolsonaro, das pessoas que não colaboram, e, é claro, do conservador homem branco mal, como eles gostam de forçar na agenda deles.

Se você parar para pensar bem, sendo homem, você é cidadão de segunda classe em qualquer lugar do mundo. 

Eu não tenho amigos aqui, todos se mostraram verdadeiros idiotas que só ficam ao seu lado por conveniência, não tenho namorada ui, não tenho um graqndev sonho de construir uma família aqui, e muito mnos de fazer "qlgo grande pela nação" nem na minha própria famíli aa seu sou muito chegado.

Se for parar par pensar, de certa forma, eu já sou um cidadão de segunda classe, quanto as mulheres, conseguir uma ajeitadinha de vez em nunca é aproveitar as "mulheres voluptuosas" desse país? Acho que não, do que adianta viver em um país abundante em algo que você não aproveita, é tipo morar na praia e nunca pisar no mar.

Se for para já ser um cidadão de segunda classe no meu próprio país, e covenhamos, a maioria é, compensa ser um cidadão de segunda classe em um país de primeiro mundo, onde pelo menos você pode sair para caminhar a noite tranquilo e tem um emprego garantido, por mais baixo nível que ele possa ser, melhor que viver na eterna esperança de ter um "bom emprego" que no fim das contas, vai pagar a mesma coisa que um emprego ruim lá fora, mas nem sequer ter a garantia de consegui-lo.

Dizem também que lá é muito difícil conseguir mulher, mas vamos combinar, que a brasileira média não fica muito atrás.

De qualquer foram só algumas considerações posso nem tentar sair do país, mas achp que ficar aqui só para não ser trataao como um cidada~ode segunda classe lá no exterior, ´uma grande falácia no fim das contas.
O texto resume a grande manipulação mundial, agora globalistas sabem que está dando certo não vão lagar o osso nem tão cedo.
Essa questão do governo está igual o Trump várias situações que podia decretar lei marcial quando tinha os protestos, nas eleições americanas mais fraudulentas da história ele fez nada só diz que aceita a derrota pelo Biden é vejo vocês em 4 anos, no final do mandato se acovardou.
Ai tem Bolsonaro que o Olavo já falava de ter pulso firme com inimigos, agora vimos o mais frouxo que o Michel Temer
deixando seus apoiadores na prisão, xingando muito no twitter pelo caso do Lula solto. O ponto é as urnas eletrônicas da smartmatic que vamos repetir a mesma história fraude.
Não tem nada de totalitarismo no "Lockdown"...

São as pessoas com medo de morrer (a favor) versus as pessoas com medo de perder seu padrão de vida (contra).

Essa de inventar um fantasma pra validar seu ponto de vista, é uma tática velha.
(13-03-2021, 01:30 AM)Hombre de hielo Escreveu: [ -> ]Não tem nada de totalitarismo no "Lockdown"...

São as pessoas com medo de morrer (a favor) versus as pessoas com medo de perder seu padrão de vida (contra).

Essa de inventar um fantasma pra validar seu ponto de vista, é uma tática velha.

Defina "totalitarismo", por favor.
Gargalhada olha aí o COVID indo surfar...  Em menos de 2 anos vai ter CHINÊS e CUBANO comandando a PM e matando brasileiro a rodo...


Toda e quaisquer  legitima defesa constitucional  será chamada de terrorismo...

PR: EU FAÇO O QUE O POVO QUISER... Cachorro      Acredite se quiser, jogou para galera mais uma vez....todo sabemos que somos reféns dos ESTATISTAS a mando da CHINA... e que nada será feito.





Políticos burocratas cada vez mais planejam um mundo parecido com os totalitarismos do século passado, só que pior. Hoje, os ditos "especialistas" dão respaldo às atitudes temerárias dos governos ao redor do mundo. E quem somos nós para julgarmos um cientista? 

Através da mídia, propagam que o ser humano tem uma grande tendência à morte se não respeitar uma regra ou outra, jogam sujo, apelam ao instinto mais primitivo do ser humano: o de sobreviver. E assim, a ideologia coletivista ganha forma, por que não espancar alguém tão individualista e desumano capaz de sair nas ruas e infectar outras tantas pessoas? Pois, alguém capaz de colocar a vida de tantas pessoas em risco, merece, quando muito, ser colocado atrás das grades. 

Depois de quase dois anos em que todos devem usar máscaras ou permanecer em casa como cordeiros, não duvidem de nada. Esse tempo de propaganda serviu perfeitamente para exacerbar a ideia de que se você é capaz de sair às ruas em tempos tão dramáticos, não existe alguém mais insensível que você, e que talvez sua vida deva ser ceifada em prol do coletivo. Entretanto, o que o Estado impõe, só dá certo para uma maioria de pessoas que o teme. Certamente, você não verá o Estado atuando de forma coercitiva nas favelas...

Os "lockdowns" são experiências sociais bem-sucedidas. Agora, os burocratas sabem mais do que nunca acerca da propensão do ser humano em acatar ordens e repudiar os que se recusam a acatá-las. Dessa forma, vamos aceitando calados essas ideias estapafúrdias. Na quinquagésima onda da Covid, talvez acabem com os lockdowns, apesar de eu não saber exatamente quando cada onda da doença teve fim até então.
Os argentinos devem ter se arrependido por não conseguirem linchar...





Se brotar isso para  o povo do Ocidente a liberdade começara a ser restaurada poupando-se a vida de muitos civis...tempos pré 3 guerra mundial.

[Image: NgimfpI.gif?noredirect]
Bom texto.
Se possível, convém buscar mais informação sobre o Great Reset e como o mesmo está sendo engendrado pelo Fórum Econômico Mundial.
E o papel do Brasil nisso, é como de um peão no tabuleiro, de tão ''importante'' que é esse país.
(13-03-2021, 01:30 AM)Hombre de hielo Escreveu: [ -> ]Não tem nada de totalitarismo no "Lockdown"...

São as pessoas com medo de morrer (a favor) versus as pessoas com medo de perder seu padrão de vida (contra).

Essa de inventar um fantasma pra validar seu ponto de vista, é uma tática velha.

Vejamos: proibição de ir e vir, de utilizar espaços públicos, de abrir o próprio comércio, toque de recolher, polícia invadindo propriedade privada e agredindo trabalhador por causa de festa de aniversário com pessoas da família, realmente bastante democrático. Yaoming

O brasileiro é o retrato do Hielo, e é disso pra pior.

https://brasilsemmedo.com/policia-do-loc...ianopolis/
Páginas: 1 2 3 4