Fórum da Real - Legado Realista

Versão completa: Apego
Você está visualizando uma versão simplificada de nosso conteúdo. Ver versão completa com a formatação apropriada.
Apego
(Por Johnnie Walker)

[Image: IdySTbU.jpg?1]

Vejo muitos amigos nas comunidades criticando o relacionamento apegado onde o homem e a mulher se apegam. 

Eu não vejo problema algum em se apegar a uma mulher ou uma mulher se apegar a um homem, o apego foi por muito tempo a essência de muitos casamentos honrados que deram certo e somente terminaram com a separação através da morte. 

O apego foi por tempos o motor dos relacionamentos, as pessoas se apegavam para gerar sentimentos verdadeiros de doação e consideração um pelo outro. Pensem nisso! O único problema é o homem ou a mulher se apegar e não ser correspondido a altura, ai sim eu sou contra em se apegar ao companheiro ou companheira. Essa história de namorar desapegado para mim não passa de conto erótico de swingueiros incubados que não fazem questão em dividir suas mulheres com outros machos desde que não saibam. 

Não existe isso de estar em um relacionamento e não esperar ser correspondido com sentimentos consideráveis e uma conduta respeitosa ao companheiro(a). O único ser no mundo que consegue fazer isso é o cafajeste que somente visa um retorno sexual e poligâmico com as mulheres, um cara de família e com boa índole, jamais conseguiria partir deste principio. 

Para mim esta historia de relacionar-se desapegadamente é uma vertente de movimentos como o "amor livre" e o "poliamor" onde os casais relacionam-se desapegadamente com diversos parceiros e ninguém é de ninguém com a permissão do companheiro e companheira. Um homem pode ter vários relacionamentos e a mulher também desde que seja oficializado na concepção destas aberrações. 

Ou seja uma putaria disfarçada com intenção de levar homens e a mulheres ao intuito de relacionar-se sexualmente com outras pessoas fora do casamento e relacionamento desde que seja com os consentimentos do parceiro(a) para que não seja caracterizada uma traição conjugal, estes tipos de pessoas estão a um passo de frequentar casas de swing onde rola a famosa troca de casais consciente.

_______________________________

Nem preciso dizer que o movimento que mais apóia este tipo de conduta são os gayzistas e feministas. 

Gayzistas porque muitos gostam de uma suruba generalizada e orgias sexuais onde ninguém é de ninguém, isso dá para eles uma sensação de liberdade sexual e aceitação dos heterossexuais, afinal eles são desapegados com certeza não se importam se sua companheira tem outro ou não desde que não saibam e nem sejam tachados como o enganado da historia pela sociedade. 

Já ouviram aquela famosa frase... "O que os olhos não vêem o coração não sente." É esta a sensação que um desapegado tem com sua companheira, só que ele prefere não admitir que esta em um relacionamento onde ele apenas quer sexo ou tem segundas intenções. 

Feminista porque vai de encontro as ruínas da família tradicional, quem aqui nunca ouviu de uma mulher coisas do tipo: "Nossa, você é muito possessivo!" Ou: "O homem acha que a mulher é propriedade dele!". Elas vivem incentivando as mulheres serem desapegadas ao homem e individualista ao extremo. 

O machismo nunca pregou o desapego, muito pelo contrario, sempre pregou o relacionamento monogâmico e de fortes considerações sentimentais entre os casais. Quem aqui acha que vai conseguir um relacionamento daqueles conforme dizem os padres no ato do casório: "Na pobreza ou na riqueza, na saúde ou na doença..." sendo um desapegado?! 

Qual desapegado consegue gerar sensações consideráveis e prova de lealdade de seu parceiro(a)? Se for para ter um relacionamento onde a pessoa não passará de um objeto sexual meu e sem perspectiva de nada prefiro ficar sozinho vivendo de fodas casuais. 

Muitos ai devem estar se perguntando" CACETE, LOGO VOCÊ QUE É CONTRA OS NAMORADEIROS E CASAMENTEIROS?! POR QUE ESTA DIZENDO ISSO?!
Em breve eu respondo... Quem sabe no próximo post.

Esse tópico faz parte do projeto Segunda das Relíquias perdidas.
O que pode acontecer é uma pequena confusão de termos e conceitos, mas no fim acaba-se por dizer a mesma coisa.

Quando algum camarada diz aqui nesse ambiente que o sujeito deve ser desapegado, não creio que está se referindo ao poliamor, orgias, trocas de casais ou outras depravações do tipo, até por que tais práticas vão na contramão de um homem honrado, que é o que buscamos ser aqui.

Para tanto, significa que o homem não deve fazer com que sua vida gire ao entorno de sua companheira, pois caso o relacionamento termine (e essa hipótese deve ser sempre levada em consideração), o cara com certeza estará afundado na dor amorosa, no sofrimento emocional e por aí vai, ao passo que o processo de restruturação será ardiloso.