Fórum da Real - Legado Realista

Versão completa: A Real e o Perdão
Você está visualizando uma versão simplificada de nosso conteúdo. Ver versão completa com a formatação apropriada.
Páginas: 1 2
Este é, na minha opinião, um dos melhores tópicos do Fórum do Búfalo, o link do tópico original está aqui, foi postado pelo realista Tiago Sorine, vou postar aqui pros juvenas e novatos que estão chegando agora no Legado Realista terem a oportunidade de ler este tópico fantástico também:
 


Este é um tópico que há tempos já pensava em fazê-lo. Ficou um pouco grande, mas espero que gostem.

É claro que muitos aqui já são meio que “auto-didatas” no Estudo da Real. Ou conheceram a Real por intermédio de amigos ou outras situações. Mas fato é, que muitos de nós conhecemos a Real e chegamos aqui, no pior estado emocional possível. Nos sentimos enganados, iludidos, frustrados, cheios de ódio, raiva, vingança, ao descobrirmos a verdade. Todos fomos machucados na vida. Todos fomos rejeitados por uma namorada, traídos por um amigo, passados para trás numa promoção, rejeitados pelos pais, ou vitimas de preconceito.

E acho que é natural sentir este tipo de coisa. É claro que com o tempo, a tendência é com os ensinamentos da Real, ir se desapegando e seguindo sua vida, se desenvolvendo, evoluindo, deixando estes sentimentos pra trás.

Mas muitos ainda, por mais que não digam ou que não afirmem isso (nem pra eles mesmos), bem lá no fundo, ficam presos ao sentimento de revanchismo, vingança a quem os iludiu, enganou, traiu. Seja quem for, uma namorada, um amigo, um parente, a maioria de nós acredita que as pessoas que nos feriram devem pagar pela dor que nos causaram; afinal, elas merecem ser castigadas, mesmo que inconscientemente ("nada como um dia atrás do outro" ou "um dia a pessoa vai ver o que perdeu").

A Real e o perdão... e digo: perdoe! Não se trata de esquecer a maldade alheia ou minimizar o próprio sofrimento. Para ser capaz de um perdão verdadeiro e sadio basta entender que ele traz muito mais benefícios do que o rancor.

Infelizmente, o conceito de perdão de cada um pode limitar ou dificultar a capacidade de perdoar. Dizem que perdoar é coisa de gente fraca, medrosa, sem auto estima. Possuímos crenças negativas de que perdoar é aceitar de forma passiva tudo o que nos fizeram. Achamos que perdoar é aceitar agressões, desrespeito aos nossos direitos. Muitos afirmam: "eu não levo desaforo para casa!..." ou tipo “Que se foda, eu sou assim!” Pergunto: Somos alguns destes? Um GDR age assim? Será que a pessoa que perdoa demonstra fraqueza de caráter? NÃO, NÃO E NÃO!

Falemos então sobre algo que invariavelmente discutimos, a todo momento: relacionamentos.
Muitos dizem: "Ah, eu me estrepei com aquela mulher". É claro! E não foi por causa do feminismo, do marxismo cultural (Tudo bem, em alguns casos sim! trollface ) Sabem porquê ? Porque se iludiram, pensaram que ela seria perfeita o tempo todo. Culpa tbm da Matrix, mas tbm porque provavelmente, notaram muitas virtudes e aí passaram a imaginar que aquela pessoa era um "anjo caído do céu", mas quando esta mostrou os seus defeitos, veio a desilusão, o engano, a decepção. Aí, muitos dizem que não conseguem perdoar porque estão muito magoados. Porém, o problema não está no outro, pois era previsível que por mais especial que esta pessoa fosse (por favor não me joguem pedras por falar isso Yaoming ), um dia acabaria agindo de forma diferente daquela que esperávamos. O erro está em nós, que não aceitamos as pessoas como elas são. Ainda mais nos dias de hoje, onde pode tudo!

Pergunto: Será que estamos aceitando as pessoas como elas são? Será que não estamos esperando muito dos outros? Mulheres, familiares, chefes, amigos? Será que estamos esperando lidar com mulheres, seres angelicais ? Sabemos que de angelicais elas não tem nada. Amigos, Sem Aceitação, Não há Perdão!

Um outro motivo para esquecermos as ofensas está na constatação de que o perdão traz um grande alívio para quem perdoa. Não é para quem é perdoado. Muitas vezes quem é perdoado não consegue se livrar da sua consciência, mas este também precisa aprender a se perdoar e a recomeçar novamente. O autoperdão também é importante. Para que reconhecendo os nossos erros encontremos forças para reformular nossas atitudes e começar uma nova vida.

Considerando a própria fragilidade, o indivíduo deve conceder-se a oportunidade de reparar os males praticados, reabilitando-se perante si mesmo e perante aqueles a quem haja prejudicado. O arrependimento, puro e simples, se não acompanhado da ação reparadora, é tão inócuo e prejudicial quanto a falta dele.

Um Guerreiro da Real perdoa a si mesmo pelos erros cometidos no passado e não fica se martirizando por isso. O autoperdão ajuda o amadurecimento moral, emocional, porque propicia clara visão responsabilidade, levando o indivíduo a cuidadosas reflexões, antes de tomar atitudes agressivas ou negligentes, precipitadas ou contraditórias no futuro.

Quando alguém se perdoa, aprende também a desculpar, oferecendo a mesma oportunidade ao seu próximo.

"O PERDÃO É SEMPRE PARA QUEM PERDOA".

Não nos contaminemos pela raiva, pela cólera e pela mágoa. Vivamos em paz e com a nossa consciência tranqüila pronta para merecer o perdão das pessoas que prejudicamos com os nossos atos, palavras e pensamentos, pois somente será perdoado aquele que perdoa. Essa é a lei.

O que quero dizer não tem ligação direta com religião ou qualquer seita ou culto. É mais do que isso. O perdão sob a ótica da Real, ele te ajuda no desapego e te faz andar pra frente, sem que mais nada te prenda ao passado.

Quando digo perdoar a pessoa que te prejudicou, não quero aqui dizer que as coisas vão ser igual ao que era antes, que você vai ter que conviver com a pessoa, ou se relacionar com ela. Não, não e não. Você apenas aceita que a pessoa agiu daquela forma e que ela é assim e de certa forma você se protege e começa a andar pra frente rumo ao seu desenvolvimento.

Quando perdoamos as pessoas que nos machucaram, não estamos dizendo que o que foi feito contra nós não teve importância ("não foi nada") ou não deixou marcas profundas (aquelas a ferro e fogo). Essas perdas foram terríveis e fizeram grande diferença em nossa vida, mas nos ensinaram muitas coisas: tanto a não nos tornarmos vítimas novamente, como não fazermos o mesmo para terceiros e o principal, traz pra nós o aprendizado.

PERDOAR NÃO É ESQUECER. É LEMBRAR SEM SENTIR DOR. É NÃO LEVAR EM CONTA.

Um Guerreiro da Real perdoa. Portanto, seja o que for e a quem for.
O perdão beneficia aquele que perdoa, por propiciar-lhe paz espiritual, equilíbrio emocional e lucidez mental na busca pelo desenvolvimento intelectual, físico, financeiro e emocional que se busca no Estudo da Real.

Acredito que muitos têm alguma dificuldade ou são reticentes quanto ao usar o perdão.
Não perdoar nos dá a ilusão de força, de poder ("agora eu controlo", “eu conheço a Real”). Não perdoar ajuda a compensar a sensação de falta de poder que nós sentimos quando fomos machucados.

De fato, se trancarmos na prisão de nossa mente essas pessoas que nos prejudicaram, vamos nos sentir onipotentes ("agora é minha vez") pela força do nosso ódio silencioso. Isso não é bom.

E, por último, não perdoar nos dá a ilusão de que não seremos machucados outra vez. Mantendo a dor viva, os olhos bem abertos para qualquer perigo em potencial, reduzimos o risco de voltamos a sofrer rejeição, traição ou qualquer outra forma de ferimento.

Mas será que os benefícios (iludidos) de não perdoar valem o preço que pagamos por armazenar essas mágoas, remoer esses sentimentos e nos agarrarmos com unhas e dentes à dor do passado? Será que vale a pena continuarmos alimentando a raiva, revidando com palavras ou com silêncio e assim nunca sentirmos o verdadeiro prazer de viver? Claro que não! É o que a Real prega, desapegue-se do passado e seja uma pessoa melhor pra você mesmo!!

O perdão se torna uma possibilidade quando a dor do passado pára de reger nossas vidas; quando não precisarmos mais do ódio e do ressentimento como desculpas para obter menos da vida, do que queremos ou merecemos. Perdoar é chegar à conclusão de que já odiamos bastante e não queremos odiar mais; portanto, perdoar é usar a energia da vida, não para reprimir esses sentimentos, mas para quebrar o ciclo da dor se voltando para o futuro e não machucando outras pessoas como fomos machucados.

Há quem diga que perdoar é escolher entre se vingar e se aproximar, entre ser vítima ou sobrevivente. Na realidade, perdoar é um processo que vem de dentro. É uma libertação. Uma aceitação. Perdoar é aceitar que a coisas ruins podem e de fato acontecerem na vida das pessoas, e que as pessoas mesmo quando se envolvem, machucam e se machucam. Perdoar é um sentimento de bem-estar, é reconhecer que existe algo melhor que queremos fazer com a energia da vida e fazê-lo.

E creio que todos nós aqui somo sobreviventes rumo a um futuro de muitas batalhas, na busca se sermos melhores homens, melhores pessoas, enfim melhores seres humanos!

E tenho dito!!   Fuck
Complemento importante:

(27-07-2017, 10:55 AM)Gary Holt Escreveu: [ -> ]Sorine como prosseguir quando o rancor te influi fisicamente? O que fazer para você ver as pessoas como seres humanos dotadas de erro e não ser perfeita?

Ultimamente tenho sido intolerante as pessoas (mesmo até com pequenos erros) pois se eu sou "flexível" eu sinto que estou sendo um manézão quando estava com minha BM.

Tenho até pedido a Deus para me trabalhar neste ponto.

Sorine respondeu:
 
Aceitação meu caro, aceitação. Olhe para dentro de vc mesmo, e veja quem realmente é você. Se encare. Quem é vc? Vc é perfeito? Existe alguém perfeito? Tente se olhar sem arrogância e sem orgulho, vaidade. Ao conseguir ter essa visão sobre si mesmo, verás que também és imperfeito e que precisa melhorar. Aceite-se, mas busque melhorar. Precisamos aceitar que somos seres humanos imperfeitos, altamente falíveis. E na maioria das vezes somos (eu me incluo) muito arrogantes em apontar o dedo para os outros e não olhar para nós mesmos.

Sou da corrente que não se mata o ego. O ego deve ser controlado. Devemos mantê-lo lado a lado com a autoestima. Devemos sempre nos policiar e ter uma visão crítica dos outros e, principalmente, de nós mesmos. Mas cuidado ao olhar pra dentro de si mesmo, e não se encher de culpa, rancor, vitimismo. SEja justo!

E outra coisa muito importante, confrade: O amor. Não aquele sentimento piegas, matrixiano, lúdico. Mas sim o amor por vc, se aceitando do jeito que vc é e tentando evoluir. Amor pelas pessoas, aceitando que elas são assim do jeito que são, por escolha delas e que vc não pode fazer nada por isso. Entender o que o outro está passando, ter empatia, mas não interferir no seu livre arbítrio, nas escolhas delas. Amor pelas pessoas que te querem bem, amor pelas coisas que vc faz, pelo seu trabalho. Um amor meio que racional, se é que me entende.

Alguns ainda conseguem entender isso e estão sempre buscando evolução na tentativa de serem melhores pessoas e deixar algo nesta vida, um legado. Outras querem viver a vida do jeito delas e estão aqui tendo uma existência mesquinha e fútil.


Só através disso na minha singela opinião, é que conseguiremos ter paz de espírito para poder caminhar pra frente e viver uma vida saudável fisicamente e emocionalmente.
Importantíssima essa reflexão..

Me lembro de quando li esse texto, o separei, junto com outros muitos mais, e volta e meia os releio..
Isso ajuda agente a recomeçar da maneira correta, sem rancor por outras pessoas e sobretudo por nós mesmos.

Não esquecendo o que ocorreu, convertendo em aprendizado e experiência, desapegando desses infortúnios.

Homem preso ao passado, melancólico, nostálgico, está fadado à estagnação.
[Image: giphy.gif]
Excelente. Excelente.
Texto Féra!

Perdoar é uma das coisas primordiais para o desenvolvimento, ficar com aquele sentimento de que a Ex, emprego ou familiar um dia vai ver o que perdeu ou ver que desprezou a pessoa errada é estar em um estado emocional negativo e repelente. Perdoar é libertar o ego da negatividade, e deixa-lo em um estado muito mais fácil de manipula-lo e usa-lo em nosso favor, principalmente não interferindo no livre arbítrio do próximo.
(27-07-2017, 10:55 AM)Libertador Escreveu: [ -> ]Este é, na minha opinião, um dos melhores tópicos do Fórum do Búfalo, o link do tópico original está aqui, foi postado pelo realista Tiago Sorine, vou postar aqui pros juvenas e novatos que estão chegando agora no Legado Realista terem a oportunidade de ler este tópico fantástico também:
 

Spoiler Revelar
Este é um tópico que há tempos já pensava em fazê-lo. Ficou um pouco grande, mas espero que gostem.

É claro que muitos aqui já são meio que “auto-didatas” no Estudo da Real. Ou conheceram a Real por intermédio de amigos ou outras situações. Mas fato é, que muitos de nós conhecemos a Real e chegamos aqui, no pior estado emocional possível. Nos sentimos enganados, iludidos, frustrados, cheios de ódio, raiva, vingança, ao descobrirmos a verdade. Todos fomos machucados na vida. Todos fomos rejeitados por uma namorada, traídos por um amigo, passados para trás numa promoção, rejeitados pelos pais, ou vitimas de preconceito.

E acho que é natural sentir este tipo de coisa. É claro que com o tempo, a tendência é com os ensinamentos da Real, ir se desapegando e seguindo sua vida, se desenvolvendo, evoluindo, deixando estes sentimentos pra trás.

Mas muitos ainda, por mais que não digam ou que não afirmem isso (nem pra eles mesmos), bem lá no fundo, ficam presos ao sentimento de revanchismo, vingança a quem os iludiu, enganou, traiu. Seja quem for, uma namorada, um amigo, um parente, a maioria de nós acredita que as pessoas que nos feriram devem pagar pela dor que nos causaram; afinal, elas merecem ser castigadas, mesmo que inconscientemente ("nada como um dia atrás do outro" ou "um dia a pessoa vai ver o que perdeu").

A Real e o perdão... e digo: perdoe! Não se trata de esquecer a maldade alheia ou minimizar o próprio sofrimento. Para ser capaz de um perdão verdadeiro e sadio basta entender que ele traz muito mais benefícios do que o rancor.

Infelizmente, o conceito de perdão de cada um pode limitar ou dificultar a capacidade de perdoar. Dizem que perdoar é coisa de gente fraca, medrosa, sem auto estima. Possuímos crenças negativas de que perdoar é aceitar de forma passiva tudo o que nos fizeram. Achamos que perdoar é aceitar agressões, desrespeito aos nossos direitos. Muitos afirmam: "eu não levo desaforo para casa!..." ou tipo “Que se foda, eu sou assim!” Pergunto: Somos alguns destes? Um GDR age assim? Será que a pessoa que perdoa demonstra fraqueza de caráter? NÃO, NÃO E NÃO!

Falemos então sobre algo que invariavelmente discutimos, a todo momento: relacionamentos.
Muitos dizem: "Ah, eu me estrepei com aquela mulher". É claro! E não foi por causa do feminismo, do marxismo cultural (Tudo bem, em alguns casos sim! trollface ) Sabem porquê ? Porque se iludiram, pensaram que ela seria perfeita o tempo todo. Culpa tbm da Matrix, mas tbm porque provavelmente, notaram muitas virtudes e aí passaram a imaginar que aquela pessoa era um "anjo caído do céu", mas quando esta mostrou os seus defeitos, veio a desilusão, o engano, a decepção. Aí, muitos dizem que não conseguem perdoar porque estão muito magoados. Porém, o problema não está no outro, pois era previsível que por mais especial que esta pessoa fosse (por favor não me joguem pedras por falar isso Yaoming ), um dia acabaria agindo de forma diferente daquela que esperávamos. O erro está em nós, que não aceitamos as pessoas como elas são. Ainda mais nos dias de hoje, onde pode tudo!

Pergunto: Será que estamos aceitando as pessoas como elas são? Será que não estamos esperando muito dos outros? Mulheres, familiares, chefes, amigos? Será que estamos esperando lidar com mulheres, seres angelicais ? Sabemos que de angelicais elas não tem nada. Amigos, Sem Aceitação, Não há Perdão!

Um outro motivo para esquecermos as ofensas está na constatação de que o perdão traz um grande alívio para quem perdoa. Não é para quem é perdoado. Muitas vezes quem é perdoado não consegue se livrar da sua consciência, mas este também precisa aprender a se perdoar e a recomeçar novamente. O autoperdão também é importante. Para que reconhecendo os nossos erros encontremos forças para reformular nossas atitudes e começar uma nova vida.

Considerando a própria fragilidade, o indivíduo deve conceder-se a oportunidade de reparar os males praticados, reabilitando-se perante si mesmo e perante aqueles a quem haja prejudicado. O arrependimento, puro e simples, se não acompanhado da ação reparadora, é tão inócuo e prejudicial quanto a falta dele.

Um Guerreiro da Real perdoa a si mesmo pelos erros cometidos no passado e não fica se martirizando por isso. O autoperdão ajuda o amadurecimento moral, emocional, porque propicia clara visão responsabilidade, levando o indivíduo a cuidadosas reflexões, antes de tomar atitudes agressivas ou negligentes, precipitadas ou contraditórias no futuro.

Quando alguém se perdoa, aprende também a desculpar, oferecendo a mesma oportunidade ao seu próximo.

"O PERDÃO É SEMPRE PARA QUEM PERDOA".

Não nos contaminemos pela raiva, pela cólera e pela mágoa. Vivamos em paz e com a nossa consciência tranqüila pronta para merecer o perdão das pessoas que prejudicamos com os nossos atos, palavras e pensamentos, pois somente será perdoado aquele que perdoa. Essa é a lei.

O que quero dizer não tem ligação direta com religião ou qualquer seita ou culto. É mais do que isso. O perdão sob a ótica da Real, ele te ajuda no desapego e te faz andar pra frente, sem que mais nada te prenda ao passado.

Quando digo perdoar a pessoa que te prejudicou, não quero aqui dizer que as coisas vão ser igual ao que era antes, que você vai ter que conviver com a pessoa, ou se relacionar com ela. Não, não e não. Você apenas aceita que a pessoa agiu daquela forma e que ela é assim e de certa forma você se protege e começa a andar pra frente rumo ao seu desenvolvimento.

Quando perdoamos as pessoas que nos machucaram, não estamos dizendo que o que foi feito contra nós não teve importância ("não foi nada") ou não deixou marcas profundas (aquelas a ferro e fogo). Essas perdas foram terríveis e fizeram grande diferença em nossa vida, mas nos ensinaram muitas coisas: tanto a não nos tornarmos vítimas novamente, como não fazermos o mesmo para terceiros e o principal, traz pra nós o aprendizado.

PERDOAR NÃO É ESQUECER. É LEMBRAR SEM SENTIR DOR. É NÃO LEVAR EM CONTA.

Um Guerreiro da Real perdoa. Portanto, seja o que for e a quem for.
O perdão beneficia aquele que perdoa, por propiciar-lhe paz espiritual, equilíbrio emocional e lucidez mental na busca pelo desenvolvimento intelectual, físico, financeiro e emocional que se busca no Estudo da Real.

Acredito que muitos têm alguma dificuldade ou são reticentes quanto ao usar o perdão.
Não perdoar nos dá a ilusão de força, de poder ("agora eu controlo", “eu conheço a Real”). Não perdoar ajuda a compensar a sensação de falta de poder que nós sentimos quando fomos machucados.

De fato, se trancarmos na prisão de nossa mente essas pessoas que nos prejudicaram, vamos nos sentir onipotentes ("agora é minha vez") pela força do nosso ódio silencioso. Isso não é bom.

E, por último, não perdoar nos dá a ilusão de que não seremos machucados outra vez. Mantendo a dor viva, os olhos bem abertos para qualquer perigo em potencial, reduzimos o risco de voltamos a sofrer rejeição, traição ou qualquer outra forma de ferimento.

Mas será que os benefícios (iludidos) de não perdoar valem o preço que pagamos por armazenar essas mágoas, remoer esses sentimentos e nos agarrarmos com unhas e dentes à dor do passado? Será que vale a pena continuarmos alimentando a raiva, revidando com palavras ou com silêncio e assim nunca sentirmos o verdadeiro prazer de viver? Claro que não! É o que a Real prega, desapegue-se do passado e seja uma pessoa melhor pra você mesmo!!

O perdão se torna uma possibilidade quando a dor do passado pára de reger nossas vidas; quando não precisarmos mais do ódio e do ressentimento como desculpas para obter menos da vida, do que queremos ou merecemos. Perdoar é chegar à conclusão de que já odiamos bastante e não queremos odiar mais; portanto, perdoar é usar a energia da vida, não para reprimir esses sentimentos, mas para quebrar o ciclo da dor se voltando para o futuro e não machucando outras pessoas como fomos machucados.

Há quem diga que perdoar é escolher entre se vingar e se aproximar, entre ser vítima ou sobrevivente. Na realidade, perdoar é um processo que vem de dentro. É uma libertação. Uma aceitação. Perdoar é aceitar que a coisas ruins podem e de fato acontecerem na vida das pessoas, e que as pessoas mesmo quando se envolvem, machucam e se machucam. Perdoar é um sentimento de bem-estar, é reconhecer que existe algo melhor que queremos fazer com a energia da vida e fazê-lo.

E creio que todos nós aqui somo sobreviventes rumo a um futuro de muitas batalhas, na busca se sermos melhores homens, melhores pessoas, enfim melhores seres humanos!

E tenho dito!!  fuckyou



Esse texto me atingi de cheio.

Eu tenho extrema dificuldade em perdoar, nem falo de mulher porque nunca tive problema com elas, sempre soube diferenciar quem merece meu respeito e dedicação de quem merece só rolada e bomba ninja. Falo por outras coisas que aos olhos de quem ta de fora são coisas pífias, como ja relatei em um outro tópico, tenho raiva e ódio de pessoas que eu tive desavenças na infância/adolescência, brigas bobas que muitos ja teriam esquecido, eu não esqueço e quando eu vejo a pessoa me bate aquela raiva que aperta no peito. Como você disse me sinto humilhado e traído por qualquer pilantragem que fazeram comigo, já fiquei anos sem falar com um irmão meu, hoje converso mas não é nada do que era antes, não sei lidar com esse tipo de coisa, apesar de achar que hoje já evoluí muito preciso trabalhar esse meu lado, que querendo ou não me prejudica e muito.

Vou citar um exemplo simples, quando eu tinha uns 22/23 anos saí na porrada com um muleque na rua e chamaram a polícia, um vizinho que nada tinha a ver com a briga falou pro policial que eu tinha começado a confusão, o que não foi verdade, depois disso só de olhar pra cara dele me dava raiva (pilantrao do caralho). Anos se passaram, e um dia a esposa dele estava em trabalho de parto e o mesmo não tinha carro, o SAMU não chegava, foram bater na minha porta para que eu a levasse, resultado acabei não levando, depois de alguns minutos arrumaram outro carro, na hora eu me senti tipo "vingado" mas logo depois senti um remorso desgraçado, um sentimento pessimo que não me agrega em nada, me senti mau pra caramba, se pudesse voltar teria feito diferente. Por essas e por muitas outras eu preciso me livrar desse sentimento, ele não me trás nada de bom, nada que possa ser aproveitando.
Ia dormir sem pensar nada, porém esse tópico vai fazer eu refletir.
(27-08-2017, 05:03 PM)Jhon Capitão Escreveu: [ -> ]Texto Féra!

Perdoar é uma das coisas primordiais para o desenvolvimento, ficar com aquele sentimento de que a Ex, emprego ou familiar um dia vai ver o que perdeu ou ver que desprezou a pessoa errada é estar em um estado emocional negativo e repelente. Perdoar é libertar o ego da negatividade, e deixa-lo em um estado muito mais fácil de manipula-lo e usa-lo em nosso favor, principalmente não interferindo no livre arbítrio do próximo.
Curti esse comentário!

Esse sentimento de "ela vai ver o que perdeu" nos aprisiona e impede que nos desenvolvamos, pois atitudes e escolhas no presente que poderiam ser benéficas a nós, acabam não acontecendo por essa sombra do passado.
Aqui vai um vídeo postado pelo confrade Água no Fórum do Búfalo em um tópico sobre o mesmo assunto.

É um vídeo é sensacional sobre o perdão, tipos e como perdoar.

OBS: Ative as legendas em português no player do Youtube.



Perdoar, em algumas situações, significa simplesmente esquecer ou lembrar com absoluta indiferença aquilo que tentou te atingir. Em particular atenção à expressão "tentou", pois os fortes conseguem se reerguer. Força é uma virtude.

Lembre-se que guardar mágoa, rancor ou ódio jamais vai atingir o ofensor, apenas você mesmo.

Pode soar repetitvo, foi o que aprendi ao longo da vida.
Perdoar, desconheço essa ação, nunca consegui perdoar as pessoas, nem a mim mesmo pelas ações negativas que resultaram em merda. Sou rancoroso ao extremo e para piorar sou perfeccionista, a Real tem me ajudado muito a abrir os olhos, mas tenho tido dificuldades em me libertar da raiva, que vai surgindo quando vou aprendendo mais sobre a minha ignorância. Este texto é um achado, espero que eu não demore muito para conseguir aplicar integralmente em minha vida.
O ponto de vista da Real sobre o perdão é uma pérola, pois é difícil perdoar, qualquer tombo e má decisão, mesmo após de conhecer a Real o ressentimento vem a tona, uma avalanche de pensamentos sobre como a vida seria mais fácil se não tivesse acontecido tal fato na infância, se fulano não tivesse feito aquilo eu não seria tão raivoso, rancoroso e por aí vai.

O outro engodo é justamente cair no pensamento de que perdoar é fraqueza, ainda mais depois de saber da Real e buscar desenvolver a masculinidade, aí complica mais. Parece que o sujeito vai precisar cansar de odiar e sofrer, perceber como tais sentimentos como: raiva, vingança são grilhões para o desenvolvimento, é bem verdade que para alguns tais sentimentos são um combustível, porém, não penso que seja o caso da maioria, acredito que a maioria vai precisar cansar de sentir essas coisas para entender o valor e a sabedoria do perdão.
Perdoar.. Está aí  algo difícil de ser realizado por quem tem o senso de justiça apurado. Não é fácil mesmo relevar um mal injusto sofrido quando você se julga incapaz prejudicar outra pessoa da maneira com foi prejudicado. Mais difícil ainda para quem não busca desenvolver sua espiritualidade de alguma forma.

Eu tenho dificuldade para perdoar, o estágio máximo que consegui até agora com os pouquíssimos desafetos que tenho foi um sentimento de desprezo, não desejo o mal nem o bem para eles, apenas tento ignorar e manter distância. Mas até chegar a esse estágio de desprezo leva muito dias remoendo as mágoas, o que sem dúvida faz mal por dentro, afetando a saúde. Existem estudos dizendo que quem perdoa vive melhor. Para mim faz sentido.

Quero melhorar essa parte, até porque sou cristão, espero que conforme o avançar da idade eu possa aperfeiçoar a capacidade de perdoar.
Essa é uma daquelas reflexões que todos nós sabemos que necessita ser praticada e aprimorada com afinco, mas talvez seja a missão mais perversa que possamos cumprir com excelência.

Esse texto foi um primeiros que tive contato nesta casa, e volta e meia o estava com ele novamente, contudo, por mais que eu tentei até hoje e acreditando que venho estando no caminho desse aprendizado, ainda sou terrivelmente falho nessa missão.

O velho ditado: "Errar é humano; perdoar, divino", de fato seria o ápice da nossa evolução, mas... quem consegue?

Faço minhas as suas palavras @Escobar, sem nada a acrescentar. (...citação extemporânea por admiração!)

Um Abraço Fraterno!
eu perdoo quem merece perdão e pediu por ela

na família nem existe muito isso de ficar pedindo desculpa e perdão por qualquer coisa então vc esquece e bola pra frente, afinal família é quem mais vai pisar na bola

levo em conta tbm se foi algo sem querer ou foi filha da putice msm. Intenção maldosa não perdoo de jeito nenhum nem que peça. Comigo vacila só uma vez.

É mais fácil desprezar e eliminar da vida pessoas que não valem a pena do que ficar por perto sempre tentando vingança ou tentando provar algo pra elas e a si próprio

Já precisei pedir muito perdão e perdoar, já tive amigos que fizeram cagadas enormes sem intenção e continuo a amizade.
Já uns fizeram menos e até sem intenção mas preferiram ser arrogantes e acharem q estão certos ou uns pediram perdão muito tempo depois quando eu já cortei contato aí q se dane msm eu não vou atrás
Tenho grande dificuldade em perdoar.
Prefiro manter a distância e não me envolver com a pessoa de maneira nenhuma.

Não sei se é necessariamente, uma auto defesa (falta de habilidade em lidar com decepções e etc). Mas é assim que sou.
Não tenho a menor dúvida de que se trata de um sentimento genuíno e sincero...

Não tenho uma opinião formada sobre o assunto... não sou cristão, então não me sinto impelido a perdoar baseado em algum mandamento divino... mas também acho que remoer alguma mágoa, faz mal acima de tudo para a própria pessoa. Perdoar é bom, mas para quem não consegue, não sei se deve-se buscar este objetivo.

São lacunas não preenchidas no meu entendimento...

PS: Alguém sabe por anda o confrade Sorine? Grande membro do FdB...
Eu também tenho dificuldade em perdoar, mas já vi muitas palestras do hélio couto que me ajudaram muito, umas reprogramações que diz "perdoo a todos" a todo momento, o problema são as caixas de pandora, e os otários que guardam magoa do passado.
O perdoar é divino, e devemos o praticar... E caso a pessoa não seja cristã, e não se sente presa a este mandamento, perdoar alguém é benéfico e tirará o peso da lembrança traumatizante... Aceitar nossas falhas, nos corrigir, já é o maior ato para direcionarmos nossa conduta quanto ao certo.
(17-02-2022, 10:35 AM)Spike Escreveu: [ -> ]O perdoar é divino, e devemos o praticar... E caso a pessoa não seja cristã, e não se sente presa a este mandamento, perdoar alguém é benéfico e tirará o peso da lembrança traumatizante... Aceitar nossas falhas, nos corrigir, já é o maior ato para direcionarmos nossa conduta quanto ao certo.

Concordo.

O Bandeirante de 2019 tinha dificuldade em perdoar e o de 2022, já melhorou bastante.

Perdão é complexo, está atrelado a confiança, expectativas e tudo mais.
Já avancei muito neste quesito, mas foi de maneira indireta. Ajustei minhas expectativas, então isso acaba criando um ambiente emocional interno mais sadio, onde você entende a limitação das pessoas, então quando alguém falha, você releva pois já não estava contando muito com aquilo, isso no caso dos amigos. Inclusive, quando você passa a agir desta maneira, abre espaço para que as pessoas te surpreendam positivamente.

Tenho 34 anos, então meu ciclo de amizades já foi definido a muito tempo. Com as pessoas de fora, você espera menos ainda, então não existe necessidade de "perdão", uma vez que não existe uma intimidade estabelecida.
Para estes, existe contrato assinado e clausulas que se não cumpridas, são resolvidos na esfera jurídica... ou seja, é outra história.
Páginas: 1 2